Arquivos de tag:

Anote a programação para os 61 anos de Peruíbe e não perca nada desta festa especial

Peruíbe completa 61 anos de emancipação no próximo dia 18. Para esse momento tão especial para nossa gente a Prefeitura preparou uma programação especial com esportes, eventos sociais e muita música. Confira a programação na imagem abaixo:

A fé sem obras para nada aproveita

leitura anterior

Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?

E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.

Tu crês que há um só DEUS; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem. Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada. E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em DEUS, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de DEUS.

Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé.

E de igual modo Raabe, a meretriz, não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho?

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.

Texto extraído do capítulo 2, versículos 14 ao 26 da Epístola Universal de Tiago (Bíblia Sagrada), segundo a versão Almeida Corrigida e Revisada Fiel (ACF)

próxima leitura

Ex-BBB vira pastora evangélica: “Nada daquilo preenchia o vazio dentro de mim”

Ex-BBB vira pastora evangélicaDo Portal pbagora

Ela ficou conhecida nacionalmente ao participar do “BBB 7”. No reality, emendou um namoro com o vilão da edição, Alberto Cowboy, com quem permaneceu após o fim da atração. Ganhou fama e dinheiro ao fazer ensaios sensuais e trabalhar como modelo de uma famosa agência do país. Mas toda essa trajetória virou frustração e arrependimento, e só servem hoje como testemunho de vida nas pregações que Bruna Tavares realiza pelo país ao lado da amiga Rhanúsia Borges.

Recém-convertidas à religião evangélica e frequentadoras da Igreja Batista Kerigma, elas fundaram em 2008 um Ministério religioso que leva seus nomes. “Eu já frequentava igreja antes de entrar no programa, mas depois que saí foi que percebi que nada daquilo preenchia o vazio que eu tinha dentro de mim. Foi aí que eu resolvi aceitar o chamado de Deus”, conta Bruna, arrastando um carregado sotaque mineiro.

Sempre atenta ao chamado de Deus, Bruna trocou a vida de glamour na cidade grande pela simplicidade da roça. Desde agosto, ela e a contadora Rhanúsia, de 36 anos, moram em uma fazenda em Astolfo Dutra, no interior de Minas Gerais, onde aprendem a conviver com os afazeres do campo. “Estou apaixonada por esse lugar. Daqui eu não saio mais. Somos em cinco, eu, a Rhanúsia, a mãe dela, Cidinha, que agora é minha mãe também, e mais dois funcionários. Aprendi a ordenhar vaca, cuidar do gado, porcos, plantar milho”, diz, empolgada

Bruna e Rhanúsia se conheceram em São Paulo, pouco depois da saída da catarinense do programa. Na época, Bruna enfrentava críticas sobre a sua forma física e tinha acabado de pôr fim ao namoro com Cowboy. Foi então que ela aceitou o convite da amiga para passar uns dias num SPA. Desde então, a ex-BBB foi adotada pela família de Rhanúsia. “Deus selou essa amizade e nos chamou para desempenhar o nosso ministério”, conta a amiga.

Vivendo em função da religião, elas deixaram para trás tudo o que conseguiram e se mudaram em 2009 para Campos, no Estado do Rio de Janeiro. Lá, se formaram como bacharéis em Teologia, e passaram a pregar a palavra. “Não sou pastora. Somos missinárias, pois, desempenhamos esse papel”, esclarece. Ela também abriu mão de todo o dinheiro que ganhou após o programa. “Fiquei sem nada”, conta Bruna, que recebe doações expontâneas de fiéis (ela não cobra cachê para ir às igrejas) e da venda de dois livros que lançou com a amiga inseparável. “Vivemos com Deus nos abençoando conforme precisamos”, explica. A fazenda onde moram foi comprada por Cidinha. ‘”Minha mãe biológica mora em Santa Catarina e respeita a minha decisão de servir ao Senhor”, explica Bruna.

Com as mãos calejadas do trabalho árduo na roça, Bruna diz que não vê necessidade de esconder os defeitos que Deus lhe deu, por isso usa menos maquiagem. As roupas foram outra grande mudança na vida da missionária. “Eu era muito mais bonita antes. Mas hoje eu sou linda por fora e por dentro. Deus conservou algo de diferente em mim. E quando você tem Deus na sua vida, você é mais feliz”.

Solteira desde que terminou o namoro com Alberto Cowboy, ela aguarda a providência divina para se casar. “Sinto um carinho muito grande pelo Alberto, e sei que ele também sente por mim, mas acabamos perdendo o contato. A próxima vez que eu namorar, vai ser para casar”, afirma ela, hoje com 28 anos.

Enquanto isso não acontece, Bruna se dedica ao planos que Deus colocou em sua vida. Sempre olhando para frente. “Já passei da fase de me arrepender de ter participado do ‘BBB’. O arrependimento é você se converter, como eu fiz. Hoje, só me arrependo de não ter conhecido Deus bem antes na minha vida”.

Extra

Tiririca diz que as letras K, Y e W não servem para nada e quer exclui-las do alfabeto

Votação do Código Florestal será novamente adiada para abrir espaço para o debate das letras inúteis do alfabeto

Do G17.com.br

A votação do novo Código Florestal será novamente adiada, porque os deputados irão discutir a remoção das letras K, Y e W do alfabeto.

O projeto é do Deputado Federal Tiririca (PR-SP), que segundo ele, as letras K, Y e W não tem utilidade a não ser enfeitar nomes de pessoas, e propõe a exclusão delas do alfabeto, para facilitar o aprendizado dos alunos nas escolas.

“Com essas letras abestadas que ninguém sabe pernunciar (pronunciar) fica difícil as quiancinhas aprenderem na escola, só serve para enfeitar nome de pobre”, disse Tiririca.

Se for aprovado, que possuir nome com K, terá que substituir para C; W para U e Y para I.