Arquivos de tag:

Peruíbe – Pesquisa independente indica empate técnico entre Emer, Luiz Maurício e Alex Matos

Da Redação

Faltando apenas um dia para a eleição deste domingo (15) o jornal A Voz do Litoral publica resultado de pesquisa levantada pela empresa FLS Pesquisa e Marketing na qual mostra resultado bastante diverso das pesquisas que têm sido veiculadas pelo staff do prefeito Luiz Maurício, nas quais ele aparece em primeiro lugar, com larga vantagem sobre o segundo colocado. Segundo o A Voz do Litoral (veja íntegra do jornal aqui), “o município de Peruíbe vive um cenário embaralhado e indefinido politicamente” nesta véspera das eleições.

A Redação deste blogue teve acesso ao inteiro teor da pesquisa, que foi registrada junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número SP-07666/2020 no último dia 6 de novembro. A coleta das amostras (pesquisa de campo) se deu nos dias 10 e 11 de novembro, com 403 entrevistados, com autorização do TSE para divulgação dos resultados a partir do dia 12, quinta-feira.

Empate técnico

Segundo o apontamento da pesquisa feita pela FLS Pesquisa e Marketing, o candidato Emer (DC) está ligeiramente na frente nas duas situações: tanto na espontânea (20,1%), que é quando o entrevistado manifesta preferência por um determinado nome, quanto na estimulada (23,3%), que é quando o entrevistador apresenta os nomes dos candidatos num disco.

Na primeira situação (espontânea), o atual prefeito Luiz Maurício (PSDB), que busca a reeleição, tem 19,6%, deixando Alex Matos (PODE) na terceira posição com 18,4%; enquanto que na segunda situação (estimulada), Luiz Maurício aparece empatado com Emer, com 23,3%, com Alex Matos também em terceiro, com 20,8%. Como a margem de erro é de 5% para mais ou para menos, a situação é de empate técnico entre estes três candidatos, o que leva para o dia da eleição uma grande incógnita sobre o que reservará o resultado das urnas.

Como esta pesquisa diverge muito das demais cujos resultados vêm sendo publicados até aqui, é de se entender importante que o eleitorado tome conhecimento da vertente proposta pela FLS Pesquisa e Marketing. Em nota de rodapé, o registro final desta pesquisa aponta que o nível de confiança é da ordem de 95,5%.

Segundo esta pesquisa, 73% responderam estarem totalmente decididos sobre sua escolha, com 22,3% alegando que ainda podem mudar o voto até a hora de votar, enquanto 4,7% não souberam responder se mudariam o voto ou não.

Anotação importante é quanto o alto índice de indecisos quando a pergunta era espontânea: 26,8%, o que aponta para um desinteresse geral para as campanhas dos candidatos, ou que estes falharam na tentativa de se comunicar junto ao eleitorado.

Outro apontamento interessante é quando a pergunta era sobre o que o entrevistado achava da atual administração, somando 32% para “ótima” e “boa”, 37,2% para “regular”, e 29,1% para “ruim” ou “péssima”. 1,7% não souberam responder esta pergunta.

Resultados

Abaixo as perguntas feitas pelos entrevistadores, com os respectivos resultados:

Se as eleições fossem hoje, em quem o Sr.(a) votaria para prefeito de Peruíbe (espontânea):

  1. Emer (DC) = 20,1%
  2. Luiz Maurício (PSDB) = 19,6%
  3. Alex Matos (PODEMOS) = 18,4%
  4. Kaio Lima (REPUBLICANOS) = 4,5%
  5. Janaína Corrêa (PT) = 4,0%
  6. Cabo Anderson Proerd (PATRIOTA) = 3,0%
  7. Barros (PP) = 1,7%
  8. Edson Mühlmann (REDE) = 0,7%
  9. Gilberto Giba (PSOL) = 0,7%
  10. Outros nomes = 0,5%
  11. Não sabe = 26,8%

Se as eleições fossem hoje, em quem o Sr.(a) votaria para prefeito de Peruíbe (estimulada):

  1. Emer (DC) = 23,3%
  2. Luiz Maurício (PSDB) = 23,3%
  3. Alex Matos (PODEMOS) = 20,8%
  4. Kaio Lima (REPUBLICANOS) =5,0%
  5. Cabo Anderson Proerd (PATRIOTA) = 4,5%
  6. Janaína Corrêa (PT) = 4,5%
  7. Barros (PP) = 2,2%
  8. Gilberto Giba (PSOL) = 1,2%
  9. Edson Mühlmann (REDE) = 0,7%
  10. Nenhum deles = 2,2%
  11. Nulo/branco = 3,5%
  12. Não sabe = 8,8%

Em qual destes candidatos o Sr.(a) não votaria de jeito nenhum (disco):

  1. Luiz Maurício (PSDB) = 21,1%
  2. Janaína Corrêa (PT) = 9,2%
  3. Emer (DC) = 7,2%
  4. Barros (PP) = 5,2%
  5. Alex Matos (PODEMOS) = 4,7%
  6. Cabo Anderson Proerd (PATRIOTA) = 2,7%
  7. Gilberto Giba (PSOL) = 2,7%
  8. Edson Mühlmann (REDE) = 2,2%
  9. Kaio Lima (REPUBLICANOS) =1,5%
  10. Nenhum deles = 3,2%
  11. Não rejeita nenhum = 13,7%
  12. Não sabe = 26,6%

A empresa F.L. S. PESQUISA, ASSESSORIA E MARKETING LTDA. / REINNO COMUNICACAO (CNPJ: 11.262.311/0001-45) está regularmente inscrita no TSE. O estatístico responsável pela empresa é Dário Nery (CONRE 6641A). A pesquisa acima não foi contratada por terceiros, sendo a própria empresa a “contratante” e “pagante” do trabalho, cujo valor está apontado no registro do TSE como tendo sido de R$ 7.000,00.

Conheça as propostas do candidato Luiz Mauricio à Prefeitura de Peruíbe, SP

Por Liliane Souza, do G1 Santos e Região

Ampliação e reforma de escolas, conclusão das obras do Hospital Municipal, implementação de um programa para atrair investidores para a cidade e pavimentação de 100 ruas em bairros carentes de infraestrutura estão entre as propostas do candidato à Prefeitura de Peruíbe, no litoral de São Paulo, Luiz Mauricio (PSDB).

Luiz Mauricio é o atual prefeito da cidade e tem 41 anos; seu número nas urnas é o 45. Em entrevista ao G1, ele destaca alguns pontos de seu plano de governo. “A gente vai inaugurar a maternidade nos próximos dias, ainda este ano. E a gente tem, para os próximos quatro anos, o grande desafio de terminar as obras do nosso hospital”, afirma o candidato.

G1 Santos está produzindo uma série de entrevistas com os candidatos a prefeito das cidades da Baixada Santista. Os prefeituráveis de Peruíbe responderam a dez questões sobre temas diversos e todos tiveram o mesmo tempo de resposta. Para acompanhar toda a cobertura, basta acessar a página especial.

Confira a entrevista completa:

Qual sua principal proposta no que diz respeito à área da saúde? Como planeja executá-la?

A gente avançou muito nesses últimos quatro anos na área da saúde, reestruturando a Atenção Básica, contratando agentes comunitários de saúde, enfermeiros e médicos, e fazendo uma reestruturação da política de saúde da mulher. A gente conseguiu diminuir o índice de mortalidade infantil de 17% para 9%, um dos melhores índices da região, e temos feito um planejamento de avançar e ir melhorando a cada dia as ações na área da saúde. A gente vai inaugurar a maternidade nos próximos dias, ainda este ano. E a gente tem, para os próximos quatro anos, o grande desafio de terminar as obras do nosso hospital, os recursos já foram liberados pelo Governo do Estado. E, também, construir uma nova sede do AMFFITO [Ambulatório de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional] e do CEO [Centro de Especialidades Odontológicas].

Quais serão suas prioridades na área da educação, caso seja reeleito?

Também fizemos investimentos nos últimos quatro anos, com a reforma de dez escolas, com uma maior organização de toda a pasta. A gente pretende, nos próximos quatro anos, além de uma reforma do estatuto do profissional da educação e do plano de carreira do profissional da educação, a reforma e ampliação de mais 15 escolas. A entrega do primeiro Centro de Educação Integral do município, a gente tem isso como uma referência, vai ser lá no parque da cidade. A gente tem melhorado os índices do Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica], isso mostra que as ações que estão sendo feitas têm surtido efeitos.

O que está previsto para a área da cultura?

Dar prosseguimento aos projetos que já iniciamos. O Arte para Todos é um dos projetos que têm se destacado. Ele envolve mil pessoas, e a ideia é que a gente possa ampliar esse programa no município. Já temos, também, o credenciamento dos artistas locais, isso já é uma realidade, a prefeitura contratando esses artistas, para que façam apresentações nos eventos e, também, nas ações que a prefeitura promover. A gente já inaugurou a nova biblioteca, e vamos colocar em funcionamento – só não está aberta em razão da pandemia. O projeto Natal na Praia faz parte da área da cultura e do turismo. A ideia é que a gente possa manter esse projeto nos próximos anos. A gente quer cada vez mais fomentar a cultura nos bairros.

Quais medidas devem ser implementadas para contribuir com a diminuição dos índices de criminalidade?

A prefeitura tem feito uma gestão muito próxima com a Polícia Civil e com a Polícia Militar, por meio da implantação de forças-tarefas, e isso já tem surtido efeito no município. Fizemos uma reestruturação da Guarda Municipal, com novo plano de carreira e estatuto da guarda, aquisição de uniformes e de novas viaturas. Foram cinco adquiridas nesses últimos anos. A gente tem o sistema de monitoramento, que é um dos mais modernos da região, hoje com cerco eletrônico e câmeras OCR [que fazem a leitura de placas de veículos] nas entradas e saídas da cidade. E a Atividade Delegada, já foi assinado o convênio e estamos aguardando o estado devolver o convênio, para que a gente possa implementar. Essas ações vão se fortalecer nos próximos anos.

Quais ações estão previstas para contribuir com a preservação do meio ambiente?

A gente pretende continuar as ações de fiscalização que a gente tem promovido por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura, que, aliás, foi criada nessa gestão, além das políticas de educação ambiental. A gente tem promovido ações na rede municipal de ensino, por meio de orientações aos nossos alunos. Também vamos fazer com que os nossos alunos possam conhecer esses espaços na cidade. Além disso, uma gestão muito próxima com a Fundação Florestal, do Governo do Estado. A gente tem no nosso entorno parques estaduais e a própria Estação Ecológica da Juréia. Fazendo com que essa gestão fique próxima, a gente consegue organizar todas essas ações, e fazer com que as políticas de meio ambiente sejam cada vez mais fortalecidas na cidade.

O que deve ser feito para estimular a geração de emprego?

A gente tem um programa ousado para os próximos anos, que é o Peruíbe Negócios. Esse programa prevê atrair a iniciativa privada, os investidores para o município, por meio de uma reforma do código tributário do município, para que a gente possa dar incentivos no município a todos os empreendedores, empresários, comerciantes, enfim, investidores que pretendem se instalar ou que já estão instalados na cidade. Além disso, uma revisão dos códigos do Plano Diretor, para que a gente possa incentivar a construção civil dentro de regras pré-estabelecidas, e potencializar cada vez mais o turismo. A cidade tem uma vocação turística, e com incentivos e parcerias com a iniciativa privada, a gente faz com que isso contribua para a economia e a geração de emprego na cidade.

Mesmo com todos os revezes, Luiz Maurício continua cotado como melhor prefeito da história de Peruíbe

Aprovação do prefeito de Peruíbe é maior que a soma do segundo, terceiro e quarto colocados

Da Redação

O prefeito de Peruíbe, Luiz Maurício Passos de Carvalho Pereira (foto), mesmo enfrentando uma batalha bastante comum nesta época do ano no município, que são as chuvas com consequentes enchentes pelos quatro cantos da cidade, ainda assim tem conseguido se manter à frente dos demais mandatários municipais quando a pergunta é “Quem você considera o MELHOR prefeito de Peruíbe até agora?”.

Segundo a enquete (veja e vote aqui), um terço (31% dos votantes) têm indicado que o atual prefeito vem se revelando melhor administrador que os seus antecessores. O índice é expressivo, quando considerado ser três vezes maior que o do segundo colocado, Gilson Bargieri, que obteve até aqui o apreço de apenas 11% dos que participaram da enquete.

Gilson Bargieri está a apenas um ponto percentual à frente do quatro vezes ex-prefeito Benedito Marcondes Sodré, que tem 10% dos votos, estando na terceira posição, portanto. O quarto lugar fica para Alberto Sanches Gomes (Dr. Alberto), que está também a um ponto atrás do terceiro colocado (9% dos votos).

Na quinta posição, com 8% dos votos cada, aparecem o ex-prefeitos José Roberto Preto (JR Preto) e Mário Omuro. Gheorghe Popescu (Dr. Popescu), é o sexto colocado, com 5% dos votos. Em sétimo lugar, com 4% dos votantes cada, aparecem Ana Maria Preto, Albano Ferreira e Geraldo Russomanno, este emancipador e primeiro prefeito de Peruíbe.

Julieta Fujinami Omuro, que fez um mandato tampão como prefeita de um ano apenas, é a penúltima colocada, com 3% dos votos, deixando Milena Bargieri na lanterna, com somente 2% dos votos.

Contraponto

O resultado acima faz contraponto com outra enquete envolvendo o nome do prefeito Luiz Maurício, que pergunta “Como você avalia a administração do prefeito Luiz Maurício?”.

De acordo com o que se nota no resultado até aqui desta enquete, Luiz Maurício permanece buscando equilíbrio na balança entre o excelente e o péssimo. A diferença de apenas um ponto percentual entre o “Péssimo” (27%) e o “Excelente” (26%) parece pontuar não só os desafios que o prefeito enfrenta em razão das chuvas intermitentes que castigam a cidade desde novembro, como também o próprio ano eleitoral, quando a ausência de críticas propositivas dá vez e oportunidade a que pré-candidatos se digladiem para buscar a cadeira do Executivo a qualquer preço.

Ainda assim, se somados os índices dos que entendem que a atual administração municipal está “Excelente” (26%), com aqueles que opinaram por “Boa” (23%), Luiz Maurício alcança 50% de aprovação, contra 42% que acham que a administração está “Péssima” (27%) ou “Ruim” (15%). Para 8% a administração é vista como “Média”.

Demais cidades

Se buscarmos genericamente sabermos “Como você avalia a administração do prefeito de sua cidade?”, os números parecem apontar em outra direção, já que por esta enquete 52% dizem que administração municipal está “Excelente” (35%), e “Boa” (17%).

Enquanto 17% parecem se manter céticos, dizendo que a avaliação do governo municipal está na “Média”, outros 31% consideram que os prefeitos de suas cidades estão sendo insuficiente no quesito governabilidade, com 11% para a alternativa “Ruim”, e 20% para “Péssima”.

Para o caso de Peruíbe, como parece que ainda muitas águas vão rolar (sem trocadilho), não será surpresa se Luiz Maurício inaugure uma reeleição, ainda que não muito folgada. Afinal, ano eleitoral é ano de inauguração de obras e de grandes feitos que, se não forem instrumento que levem o prefeito a outros quatro anos de governo, ao menos serão para marcar a passagem de um administrador diferente que, como disse em recente entrevista a este blogue, não tem medo da verdade e das críticas, dando por troco um trabalho que parece incessante; inglório à primeira vista, mas que tem alimentado a motivação do prefeito e sua equipe para a promoção de – como é mote do governo – “uma cidade de todos”.

Serviço

Para votar nas enquetes mencionadas nesta matéria, clique nos links abaixo:

Como você avalia a administração do prefeito de sua cidade?

Como você avalia a administração do prefeito Luiz Maurício?

Quem você considera o MELHOR prefeito de Peruíbe até agora?

Prefeito de Peruíbe afirma que maternidade estará aberta no primeiro semestre

Maternidade chegou a ser interditada em 2012 e 2014 e passa por reforma para ser reaberta

Sandro Thadeu, da Redação de A Tribuna

Apesar dos momentos de dificuldade enfrentados em sua gestão, por conta das dívidas feitas por antecessores e da economia do País ainda estar patinando, o prefeito de Peruíbe, Luiz Maurício (PSDB), entende que a Administração Municipal conseguiu sanar grande parte dos débitos em três anos e enxugar os gastos públicos. O chefe do Executivo pretende reabrir a maternidade da Cidade no primeiro semestre de 2020 e orgulha-se de conseguir viabilizar a retomada das obras do hospital municipal. Confira abaixo os principais trechos da entrevista concedida para A Tribuna.

A Tribuna – De forma resumida, qual o balanço que o senhor faz a respeito da Administração Municipal neste ano? 

Luiz Maurício – O ano de 2019 foi muito difícil. O Brasil ainda passa por dificuldades financeiras, o que afeta diretamente o Município. No caso de Peruíbe, nós tivemos no primeiro semestre as fortes chuvas, que causaram vários alagamentos na Cidade e um problema sério na Serra do Guaraú, mas nos empenhamos para vencer esses obstáculos. Mas acredito que a gente chega ao final de 2019 com um balanço positivo, porque conseguimos seguir nosso planejamento para colocar as contas em dia. Em 2017, assumimos a Prefeitura com uma dívida de cerca de R$ 75 milhões e nós já conseguimos quitar R$ 61 milhões. Não há dívidas de 2017 e de 2018.

Conseguimos depositar o 13º salário dos servidores em dia, manter o pagamento das licenças-prêmio do funcionalismo e os serviços continuaram funcionando, inclusive com a gente conseguindo melhorá-los e avançando em obras. Mas sabemos que ainda podemos melhorar mais. 

AT – Que medidas foram tomadas para amenizar os efeitos de uma nova temporada de chuvas, caso ocorra? 

LM – A gente está agindo dentro do que for possível na área preventiva, nas regiões que concentram o maior índice de alagamentos, e também fazendo o monitoramento constante da Serra do Guaraú. Assinamos neste mês um convênio com o Governo do Estado, no valor de R$ 3 milhões, para a manutenção e obras de infraestrutura na encosta da Serra do Guaraú. Entregamos neste mês uma nova base da Guarda Municipal no Guaraú. Será uma estrutura de apoio de segurança e da Defesa Civil, com funcionamento 24 horas, para fazer o monitoramento de veículos pela estrada em dias de ventania e chuvas intensas e fortes. Nessas condições, iremos fechar o trânsito para dar maior segurança aos usuários. Fizemos um serviço de limpeza com uma empresa especializada para tirar qualquer tipo de material e pedras das encostas, evitando deslizamentos. Estamos preparados para dar o suporte necessário às famílias que venham a ser afetadas pelos alagamentos.

AT – Para o próximo ano, a Prefeitura pretende lançar concursos públicos? 

LM – Fizemos um concurso no início deste ano para a área da Educação e lançamos em novembro um processo seletivo para a área da Saúde. No primeiro trimestre de 2020, pretendemos e queremos fazer um concurso para vários cargos, seguindo o planejamento de 2017, quando assumimos a Administração Municipal. No início da gestão, tínhamos uma despesa com a folha de pagamento de pessoal de 51,9% da Receita Corrente Líquida (RCL, ou seja, acima do limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF), mas conseguimos reduzir esse índice para 46% da RCL. Dentro desse corte de despesas para enxugar a máquina pública, cortamos o número de cargos comissionados. Em 2012, eram mais de 230. Em 2016, cerca de 100. Hoje, são 64. É uma máquina realmente bastante enxuta, mas que possibilita viabilizar investimentos importantes à população. 

AT – No ano passado, o senhor havia comentado que pretendia abrir a maternidade municipal no primeiro semestre deste ano, mas isso não ocorreu. Qual é a nova previsão para a entrega desse equipamento público? 

LM – Essa, talvez, seja a principal polêmica da minha gestão. A maternidade foi interditada em 2014 e ficou dois anos e meio sem ninguém tomar nenhuma providência. Em 2012, ela também chegou a ser interditada, foi feito um serviço paliativo e veio a fechar pouco tempo depois. Quando a gente assumiu, elaboramos um projeto de reforma e a nossa ideia era iniciar os atendimentos em 2019, mas tivemos que fazer uma reprogramação dessa obra, por conta da queda da arrecadação. Esse trabalho é feita com 100% dos recursos do tesouro municipal e hoje está praticamente finalizado. A gente inicia no começo de 2020 a instalação dos equipamentos e do mobiliário. A maternidade certamente estará aberta ainda no primeiro semestre.

Paralelamente a isso, a gente estuda a possibilidade de contratar uma organização social para fazer a gestão dessa unidade. 

AT – Outra demanda importante para o Município é a retomada das obras do hospital, que dependia de recursos do Governo do Estado. Houve avanços para a liberação dessa verba?

LM – A obra do hospital está parada atualmente porque o convênio firmado com a Secretaria de Estado da Saúde, em 2014, contemplava apenas a primeira fase do trabalho, que foi finalizada agora. O Governo do Estado anunciou a liberação, em até 90 dias, de R$ 18 milhões para terminar a obra. Estamos agora na fase final de preparação da licitação para retomar o serviço. Serão 18 meses até a conclusão dos trabalhos.

AT – Peruíbe, ao contrário de outras cidades, possui um aterro sanitário, cujo tempo de vida útil se encerra no próximo ano. Quais alternativas são estudadas pela Prefeitura para a destinação dos resíduos sólidos a partir de 2021?

LM – A licença do aterro vai até o final de 2020. A gente tem uma área que fica ao lado do espaço atual e está sendo licenciada para receber o novo aterro sanitário. Uma empresa já está contratada para fazer o EIA-Rima (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental). A Cetesb e o Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente, do Ministério Público Estadual) acompanham essa questão. Inclusive, fizemos recentemente o chamamento público do estudo de viabilidade de gestão desse aterro. 

AT – Na área da Educação, quais medidas estão previstas para o próximo ano? 

LM – Temos avançando bastante nessa área. Conseguimos fazer muita economia nesse setor. Para se ter uma ideia, em 2016, a Prefeitura gastou cerca de R$ 2 milhões com a aquisição de kits escolares. Neste ano, isso saiu por cerca de R$ 300 mil. Realizamos uma economia considerável, o que possibilitou novos investimentos na Cidade. A gente conseguiu finalizar a reforma e a ampliação de várias escolas municipais, como a Caraminguava 4, Caraguava 2 e Vila Romar. São unidades de ensino em que conseguimos dobrar a capacidade de atendimento infantil. Já finalizamos uma obra que estava parada, a creche da Santa Isabel, que entrará em funcionamento no próximo ano. Ainda há outras obras de reforma, ampliação e construção em andamento, como a creche Antônio Novaes, que tem previsão de entrega no meio do ano que vem, e uma escola no Caraguava, com previsão de entrega no segundo semestre de 2020. 

AT – Quais outros investimentos estão programados na Cidade? 

LM – Estamos com algumas licitações importantes abertas, como a do Parque da Cidade, um equipamento esportivo que está praticamente abandonado. Em 2011 ou 2012, a Prefeitura teve de devolver ao Governo do Estado todo o recurso investido nessa obra. Vamos fazer ali o primeiro centro de educação integral do Município. A gente deve iniciar as obras em abril. Será um equipamento semelhante ao CEUs (Centros Educacionais Unificados), da Grande São Paulo. Temos o projeto de reurbanização da orla, na região do parque turístico. É uma obra que foi planejada para ser executada em cinco fases. A primeira delas já está sendo licitada e a segunda, que engloba a construção do novo lamário, será viabilizado com recursos do Governo do Estado.