Início / Arquivos de tag:

Arquivos de tag:

“Encontrá-lo será meu presente de Natal”, diz mulher que procura filho desde 2011

Silvio está desaparecido desde 2011. Informações sobre seu paradeiro pelos telefones: (11) 4455-9941 e (11) 99292-0492
Silvio está desaparecido desde 2011. Informações sobre seu paradeiro pelos telefones: (11) 4455-9941 e (11) 99292-0492

Do Jornal da Cidade

Tudo teve início no ano de 1995. Com o fim do seu casamento, Silvio Cesar Corraini se afundou em uma depressão e tentou tirar a própria vida. Após essa tentativa frustrada, ele foi internado pelos pais em um centro psiquiátrico em São Bernardo do Campo.

Alguns anos depois, no dia 12 de outubro de 2011, Silvio, que morava em Itanhaém – litoral do estado – foi visitar a mãe em Santo André. A mãe Maria Aparecida Corraini conta que, nesse dia, pediu para o filho ir a sua casa para auxiliá-la no conserto de algumas prateleiras. “Eu, o meu marido e na época a esposa do meu filho combinamos de ir a Itanhaém. No caminho, descendo a serra, recebi uma ligação dele dizendo que me amava muito”, relembra dona Maria, muito emocionada. A mãe revela que o filho ainda sofria com a depressão.

A partir desse dia, Maria Corraini junta forças para encontrar Silvio. “Ele simplesmente desapareceu. Dois meses antes, ele já havia desaparecido, mas o encontramos. Desta vez, a procura já dura quatro anos”, acrescenta, com os olhos lacrimejados.

Com a intuição de mãe e o sentimento de esperança, Maria Aparecida decidiu procurar por mais informações do filho na Delegacia de Peruíbe no começo deste ano. Lá, foi informada de que o filho registrou um boletim de ocorrência por perda de documento pessoal na delegacia de Rio Claro. “Eu já esperava pelo pior, mas aí recebi essa informação da Polícia de Peruíbe. Me informaram que o boletim foi feito em outubro de 2012. No mesmo mês daquele ano ele também teria passado pela UPA aqui de Rio Claro com ferimentos no braço”, diz a senhora. Um levantamento que Maria Corraini fez com a assistente social da rodoviária de Rio Claro também revela que Silvio viajou para Araras naquele ano. Os registros policiais ainda indicaram que o filho desaparecido de Maria passou por outras cidades da região. No município de São Pedro, ele teria dado queixa na delegacia de outro documento pessoal que perdera. Silvio Corraini tem um filho de 25 anos que mora com Maria Aparecida e três netas. Muito emocionada e exibindo todas as fotos de seu filho, dona Maria revela que o melhor presente que poderia receber de Natal seria encontrá-lo. Informações podem ser passadas pelo telefone (11) 99292-0492.

De olho no céu, grupo faz vigília ufológica à procura de ETs em Peruíbe

Atividade reúne curiosos e estudiosos sobre o assunto a cada dois meses. Última vigília aconteceu na noite de sábado (23), na Praia do Guaraú.
Grupo conseguiu avistar apenas estrelas no céu de Peruíbe (Foto: Jamil Vila Nova / Arquivo Pessoal)
Grupo se dividiu e ficou em vários pontos da Praia do Guaraú (Foto: Jamil Vila Nova/Arquivo Pessoal)

Orion Pires, do G1 Santos e Região

Nada de balada, cinema ou barzinho. Um grupo de cerca de 20 pessoas se reuniu na noite de sábado (23) em Peruíbe, no litoral de São Paulo, para uma vigília ufológica. O local escolhido foi a Praia do Guaraú, próximo à Estação Ecológica Jureia Itatins, onde está concentrada a maior parte dos relatos sobre avistamentos de objetos voadores não identificados, os OVNIs.

Essa atividade pode parecer incomum para algumas pessoas, mas não para o Grupo de Estudos e Pesquisas Ufológicas de Peruíbe (Gepupe), criado em 2006, que costuma vigiar o céu da cidade pelo menos a cada dois meses. “É importante manter uma periodicidade, mas nem sempre conseguimos ver alguma coisa. Isso vai depender também do clima, porque o céu precisa estar limpo”, explica Keila Andréia, uma das líderes do grupo.

A equipe do Gepupe resolveu estender o projeto e convidar mais pessoas para a vigília. Isso porque Peruíbe desenvolve, anualmente, um encontro ufológico que reúne participantes de todo o País. O evento deste ano ainda não tem data para acontecer.

Com apoio da Secretaria de Turismo da cidade e de uma pousada no bairro Guaraú, a observação deste sábado reuniu também moradores de outras cidades da Baixada Santista e da capital paulista.

Casos de relatos de pessoas que garantem ter avistado algum tipo de objeto estranho no céu da cidade são registrados desde a década de 80. Por conta disso, a prefeitura local criou, em 2009, o primeiro roteiro ufoturístico do País. Nele, estão relacionados pelo menos sete pontos onde objetos teriam pousado ou deixado possíveis marcas.

Os mistérios que cercam o assunto são tantos que o ufólogo Jamil Vila Nova investe em equipamentos sofisticados que permitem o registro fotográfico desses objetos. A intenção é comprovar os relatos e buscar novas imagens para manter um arquivo sobre o tema.

Porém, durante a vigília deste sábado, uma câmera fotográfica que ficou apontada para o céu, apoiada em um tripé, captou apenas rastros de estrelas. “O tempo está muito úmido e isso não favorece nem para a observação, muito menos para um equipamento que trabalha em uma velocidade baixa”, comenta o ufólogo.

Para registrar com a maior precisão possível qualquer ponto de luz diferente, é necessário que o fotógrafo reduza a velocidade do obturador, o sensor responsável pela entrada de luz na máquina. Portanto, como as imagens são feitas durante a noite, quando há pouca luz, quanto mais tempo este sensor permanecer aberto, mais perfeito será o retrato.

‘Casal UFO’

Casal da capital paulista também participou da vigília (Foto: Orion Pires/G1)
Casal da capital paulista também participou da vigília (Foto: Orion Pires/G1)

A curiosidade sobre a ufologia é tão grande que atraiu um casal de São Paulo. O gerente de compras Erick Kamimura costuma visitar a cidade a passeio há pelo menos oito anos. Ele conta que ficou sabendo da vigília por meio de uma rede social e resolveu convidar a namorada para um fim de semana diferente, na praia. “Tentamos unir o útil ao agradável. Eu me interesso muito por esse tipo de assunto e ela também gosta. É um programa, no mínimo, diferente para um sábado à noite”, brinca o jovem.

A gerente administrativa Sil Nunes concorda com o namorado. Para ela, essa é uma ótima oportunidade de sair da rotina. “É a primeira vez que participo de algo assim. Tenho certeza que vai render uma boa história”, diz.

Polícia procura terceiro suspeito de estuprar turista em van no Rio

Wallace Souza Silva e Jonathan Foudakis de Souza foram presos. Polícia divulgou imagens dos suspeitos abastecendo van em São Gonçalo.
Foto: Lívia Torres/G1
Wallace, à esquerda, e Jonathan foram presos na noite deste sábado

Do G1 Rio de Janeiro

A polícia procura pelo terceiro suspeito de estuprar uma turista dentro de uma van em movimento, no Rio e na Região Metropolitana do Rio. O caso aconteceu no sábado (30). Wallace Aparecido Souza Silva, de 22 anos, e Jonathan Foudakis de Souza, de 20, foram presos.

Foram divulgadas imagens dos suspeitos abastecendo o veículo em um posto de gasolina de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, na madrugada de sábado (30). De acordo com policiais, a turista e o namorado estavam sob poder dos criminosos no momento que as imagens foram gravadas, como mostrou o Fantástico deste domingo.

O namorado da vítima, também estrangeiro, estava no veículo, foi algemado, espancado com uma barra de ferro e roubado, assim como a mulher. Os dois foram liberados pelos criminosos em Itaboraí, na Região Metropolitana, após passarem cerca de seis horas em poder dos bandidos, da 0h às 6h. A identidade das vítimas não foi divulgada pela polícia.

“Eles se revezavam no motorista, na condução do veículo enquanto os outros dois atrás praticavam o crime de estupro e a violência contra o namorado da vítima com o veículo em movimento”, conta o delegado assistente da Delegacia Especial de Apoio ao Turista (Deat), Rodrigo Brant.

Outra vítima

Segundo o delegado Alexandre Braga,  titular da Deat, uma outra jovem reconheceu os suspeitos ao ver a reportagem no G1 publicada na noite de sábado. Segundo a mulher, que é brasileira, a mesma situação aconteceu com ela uma semana antes, no sábado (23). Os policiais a pegaram em casa e ela fez o reconhecimento oficial dos dois na delegacia.

“Ela deu detalhes muito precisos do físico dos dois, como tatuagens, corte de cabelo, cor e altura. Eles também passaram basicamente pelos mesmos lugares. Ela também pegou a van em Copacabana, ia para o Centro do Rio, quando os suspeitos anunciaram um assalto, mandaram todos os passageiros descer e roubaram e estupraram a vítima, que foi abandonada em Niterói.  Um dos suspeitos confessou os crimes e falou da participação dos outros dois suspeitos. O outro preso negou a violência sexual. Estamos obtendo informações para tentar identificar o terceiro suspeito do caso, que está foragido”, contou o delegado.

O delegado disse não ter dúvidas quanto a participação dos três suspeitos nos casos de violência sexual contra a brasileira e os estrangeiros. Segundo Braga, eles vão responder pelos crimes de estupro, roubo com três causas de aumento de pena — utilização de arma (eles usaram uma barra de ferro para espancar o rapaz), concurso de pessoas (quando há mais de uma pessoa praticando um crime) e privação de liberdade das vítimas por período relevante de tempo — e corrupção de menores. Segundo as vítimas, um menor de idade, que desceu no meio do caminho, trabalhava como cobrador da van. As penas somadas podem chegar a 29 anos de prisão.

O caso da brasileira foi registrado na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói, na Região Metropolitana, onde a vítima foi abandonada pelos suspeitos. Agora, os dois casos serão investigados pela Deat.

Os dois suspeitos são moradores de São Gonçalo e foram presos por policiais da Deat. Um terceiro suspeito, cuja identidade não foi revelada, está foragido. Nenhum dos três tinha antecedentes criminais, segundo a Polícia Civil. À polícia, Jonathan disse que o terceiro suspeito, que está foragido, cometeu o crime contra a estrangeira. Ainda não foi divulgado se eles já têm advogado para representá-los.

Embarque em Copacabana

Foto: Lívia Torres/G1
Van utilizada pelos suspeitos de estuprar turista

O delegado Alexandre Braga, da Deat, contou no sábado (30) que o casal embarcou na Avenida Nossa Senhora de Copacanana, na Zona Sul, em direção à Lapa, no Centro. Na van estavam apenas Jonathan, que seria o motorista, e o cobrador, um menor, que desceu durante o percurso. Wallace embarcou na altura da Rua Duviver, ainda Copacabana.

Outros passageiros entraram em seguida, mas, em Botafogo, foram obrigados a saltar, quando os suspeitos anunciaram um assalto. O namorado da turista foi preso com algemas e começaram os abusos. A única arma usada foi uma barra de ferro, segundo Braga.

Durante as seis horas em que permaneceram com o casal, os suspeitos pararam em Niterói, usaram o cartão da mulher para comprar bebidas em um posto e sacar dinheiro em um Banco do Brasil. Em São Gonçalo subiu o terceiro suspeito, que também estuprou a vítima.

Como o cartão da estrangeira estourou o limite, eles voltaram a Copacabana, ao prédio onde o casal mora, fizeram a mulher subir no quarto e pegar mais cartões, voltaram a São Gonçalo e realizaram novos saques. Em um posto de gasolina, compraram mais bebidas e, em outro, abasteceram o veículo.

Os estrangeiros foram liberados na BR-101, em Itaboraí, na Região Metropolitana, e procuraram a polícia. Os policiais iniciaram as investigações e conseguiram prender os suspeitos em casa, em São Gonçalo. Segundo a polícia, o proprietário do veículo não teria ligação com o crime, pois não estava presente e apenas o alugava para o motorista. A van fazia o percurso Niterói-São Gonçalo e a polícia trabalha com a hipótese de eles terem ido a Copacabana para cometer crimes.

Polícia procura chefes do tráfico que escaparam de Bangu (veja as fotos)

Grupo de 31 detentos escapou pela tubulação de esgoto no domingo. Entre os foragidos está o criminoso que foi gerente do tráfico de drogas no Complexo do Alemão
Divulgação/Secretaria Estadual de Administração Penitenciária
Detentos foragidos: grupo escapou do Complexo de Bangu, no Rio de Janeiro

Da Veja

A Polícia Civil do Rio procura, desde domingo, 31 detentos que fugiram do Instituto Penal Vicente Piragibe, que integra o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. A fuga, através de um túnel ligado à tubulação de esgoto do presídio, não é um delito qualquer: a lista de foragidos, publicada esta manhã pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), tem alguns bandidos que comandavam favelas estratégicas para o tráfico de drogas, entre eles alguns do Complexo do Alemão, atualmente ocupado por uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Quatro detentos foram recapturados no domingo. A Corregedoria da Seap abriu sindicância para investigar como ocorreu a fuga. Agentes que estavam de plantão na unidade prisional começaram a ser ouvidos. Ainda não se sabe se houve participação de funcionários ou facilitação da fuga. Segundo a Seap, o presídio não registrava uma fuga desde 2002.

Os quatro recapturados foram transferidos para a Penitenciária Laércio da Costa Pelegrino, conhecida como Bangu 1, também localizada dentro do Complexo de Gericinó – uma unidade de segurança máxima.

Um dos criminosos considerados mais perigosos é Luiz Claudio Machado, conhecido como Marreta. Ele era gerente geral do Complexo do Alemão. Um dos destinos prováveis dos foragidos é o conjunto de favelas do Lins de Vasconcelos, bairro da zona norte do Rio. Reportagem de VEJA mostrou que, apesar do avanço das UPPs em várias áreas da cidade, essa região vem servindo de abrigo para fugitivos do Complexo do Alemão. Um vídeo feito pela Polícia Civil mostra traficantes armados desfilando com fuzis pelas vielas das favelas do bairro.

A lista de fugitivos:

Luiz Claudio Machado, o Marreta, ex-gerente geral do Complexo do Alemão
Marcelo de Castro Moreira, o Tchetchelo
Jorge Pereira – o Jorjão
Josinaldo Rodrigues de Araújo – Naldo ou Rodrigão
Robson Aguiar de Oliveira – Kinho ou Binho
Alessandro Miranda Gonçalves
Jeferson Gomes da Silva
Clauvino da Silva, o Baixinho
Josinaldo Rodrigues de Araújo, o Peixe
Marco Ferreira de Resende, o Binha
Alcides Francisco da Silva, o Careca
João Paulo Firmiano Mendes da Silva, o Russão
Danilo Oliveira de Almeida
Jairo de Aguiar
Vagner Ammenara Batista
Rodrigo Wallace Blauth, o Blauth
Claudino dos Santos Coelho, o Russão
Dario Nascimento de Freitas
Edson Batista da Nobrega, o Pará
Anderson Ferreira de Oliveira
Bruno Dicarlantonio Martins, o Bruninho BR
Roberto Ferreira Vieira, o Robertinho do Jacaré
Rafael Rodrigues Anacleto
Leonardo Luiz Batista, o Aranha
Wallan Jefferson Martins de Oliveira, o Jefinho
Claudio da Silva Pereira, o Nem
Alberto Pietro da Silva Baunilha

Foram recapturados: 

Reginaldo Fernandes da Silva, o Naldo
Rafael Silva Souza, o Fael
Antonio Luiz de França, o Pará
Rogério Fernando Cunha de Abreu, o Rogerinho

Fim do mundo provoca alta na procura por terreno no céu e Igrejas aumentam o preço

Por causa do fim do mundo, terrenos no céu estão sendo vendidos por no mínimo 5 mil reais
Por causa do fim do mundo, terrenos no céu estão sendo vendidos por no mínimo 5 mil reais

Do Portal G17

O comércio está bastante agitado com a aproximação do fim do mundo. Quem busca por salvação está tendo que enfrentar filas em algumas igrejas para comprar um espaço no céu.

Algumas igrejas estão vendendo salvação por até 5 mil reais a vista. “Não dá para vender parcelado nem fiado porque o mundo acaba sexta-feira”, disse o pastor Erenildo Elvis, que abriu recentemente uma igreja para arrecadar com o fim do mundo.

O pastor garante que o kit salvação é confiável. “Com a tecnologia de hoje, assim que o fiel paga os 5 mil pela salvação, imediatamente envio o nome dela por e-mail lá para o céu e pronto”, disse.

Na manhã desta terça-feira, cerca de 241 mil pessoas compraram o Kit Salvação e estão mais aliviadas com o fim do mundo. “Vendi moto, computador velho e até o colchão pra comprar a salvação”, disse o dono de casa Sebastião Silva.

Polícia procura autores de assalto a uma loja do Flamengo, em Manaus

A polícia ainda não concluiu o levantamento de informações sobre o ocorrido e segue as buscas durante esta noite

Thiago Gonçalves, no A Crítica

Policiais Militares estão a procura dos possíveis assaltantes que entraram em uma loja de produtos do Flamengo, na tarde desta sexta-feira (03), localizada na avenida Djalma Batista, bairro Chapada, Zona Centro-Sul.

Segundo o soldado PM Adonai, uma equipe de policiais sobrevoou a área próxima ao local do assalto em um helicóptero durante a tarde. A operação foi interrompida ao anoitecer, sem êxito.

Ainda de acordo com Adonai, equipes da Polícia Civil, em viaturas, farão os trabalhos de busca aos possíveis autores do crime durante esta noite.

O proprietário da loja, não identificado, informou ao tenente PM Henrique, que dois homens chegaram a pé, e armados anunciaram o assalto. O proprietário do estabelecimento contou também que os suspeitos levaram vários produtos do local e a renda do caixa não calculada.

A polícia já ouviu testemunhas, que disseram que os suspeitos fugiram nas proximidades do conjunto Eldorado, bairro Parque 10, Zona Centro-Sul, após o assalto.

O caso foi registrado no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), localizado no bairro Flores, também na região Centro-Sul de Manaus.

Mesmo com procura menor, aluguel e preço de imóveis ficam mais caros em SP

Diego Lazzaris Borges, do InfoMoney

Apesar da queda na procura por imóveis nos últimos meses, o preço dos aluguéis e dos imóveis usados aumentou no primeiro semestre deste ano, no Estado de São Paulo.

De acordo com dados do Creci -SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo), o aluguel médio geral de casas e apartamentos subiu 19,45% no semestre, ante o mesmo período do ano passado, de R$ 969 para R$ 1.157,46. Enquanto o aluguel médio geral de casas registrou 15,2% de aumento, o de apartamentos aumentou 23,29% no período.

Já o preço médio geral das casas e apartamentos usados avançou 20,7% entre janeiro e junho deste ano, na comparação com os primeiros seis meses de 2010. Segundo o Creci-SP, o valor do metro quadrado passou de R$ 2.351,65 para R$ 2.838,35 no período. Na comparação com o primeiro semestre de 2009, o aumento foi ainda mais expressivo: 78,8%.

Segundo o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, o aumento do preço dos imóveis, mesmo com a diminuição da demanda, reflete o problema estrutural da habitação no País, que possui um defict de mais de 54 milhões de moradias. “Enquanto houver esta carência e uma demanda sempre maior do que a oferta, especialmente de imóveis de padrão popular, os preços continuarão subindo”, disse.

Cidades

De acordo com o levantamento, os preços dos imóveis usados aumentaram em 35 das 36 cidades pesquisadas. Apenas em Bauru, o preço dos imóveis caiu na comparação entre 2011 e 2010. Lá, o metro quadrado ficou 0,66% mais barato, de R$ 1.612,52 para R$ 1.601,95.

Na outra ponta, a cidade de São Sebastião registrou aumento de 113,14% no preço dos imóveis usados no primeiro semestre de 2011. O preço do metro quadrado saltou de R$ 1.243,26 para R$ 2.649,95.

Na mesma linha, a cidade de Peruíbe registrou aumento de 69,3%, enquanto em Itu os preços ficaram 53,31% mais caros.