Início / Arquivos de tag: (página 3)

Arquivos de tag:

Polícia apreende coletes à prova de balas em Peruíbe, no litoral de SP

Coletes estavam em sacolas abandonadas por dois homens. Suspeitos fugiram para matagal e até o momento não foram capturados.
Polícia Militar apreende três coletes à prova de balas em Peruíbe, SP (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Polícia Militar apreende três coletes à prova de balas em Peruíbe, SP

Do G1 Santos e Região

Três coletes à prova de balas foram apreendidos pela Polícia Militar em Peruíbe, no litoral de São Paulo, na tarde desta segunda-feira (1°). Os coletes estavam em sacolas que foram abandonadas por dois homens que fugiram para um matagal quando avistaram a polícia.

Segundo policiais da Força Tática, a equipe fazia patrulhamento de rotina no bairro Recreio Santista quando notou dois homens em atitude suspeita. Assim que os policiais se aproximaram eles correram, houve perseguição, mas os suspeitos entraram em um matagal e fugiram. Antes, abandonaram duas sacolas, dentro a equipe encontrou três coletes à prova de balas.

Dois coletes, de cor azul, tinham a identificação da Guarda Municipal de Bertioga, também no litoral paulista. Um terceiro, preto, não tinha nenhuma inscrição. A ocorrência foi registrada na Delegacia Sede de Peruíbe, até o momento os dois suspeitos não foram encontrados.

Polícia procura terceiro suspeito de estuprar turista em van no Rio

Wallace Souza Silva e Jonathan Foudakis de Souza foram presos. Polícia divulgou imagens dos suspeitos abastecendo van em São Gonçalo.
Foto: Lívia Torres/G1
Wallace, à esquerda, e Jonathan foram presos na noite deste sábado

Do G1 Rio de Janeiro

A polícia procura pelo terceiro suspeito de estuprar uma turista dentro de uma van em movimento, no Rio e na Região Metropolitana do Rio. O caso aconteceu no sábado (30). Wallace Aparecido Souza Silva, de 22 anos, e Jonathan Foudakis de Souza, de 20, foram presos.

Foram divulgadas imagens dos suspeitos abastecendo o veículo em um posto de gasolina de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, na madrugada de sábado (30). De acordo com policiais, a turista e o namorado estavam sob poder dos criminosos no momento que as imagens foram gravadas, como mostrou o Fantástico deste domingo.

O namorado da vítima, também estrangeiro, estava no veículo, foi algemado, espancado com uma barra de ferro e roubado, assim como a mulher. Os dois foram liberados pelos criminosos em Itaboraí, na Região Metropolitana, após passarem cerca de seis horas em poder dos bandidos, da 0h às 6h. A identidade das vítimas não foi divulgada pela polícia.

“Eles se revezavam no motorista, na condução do veículo enquanto os outros dois atrás praticavam o crime de estupro e a violência contra o namorado da vítima com o veículo em movimento”, conta o delegado assistente da Delegacia Especial de Apoio ao Turista (Deat), Rodrigo Brant.

Outra vítima

Segundo o delegado Alexandre Braga,  titular da Deat, uma outra jovem reconheceu os suspeitos ao ver a reportagem no G1 publicada na noite de sábado. Segundo a mulher, que é brasileira, a mesma situação aconteceu com ela uma semana antes, no sábado (23). Os policiais a pegaram em casa e ela fez o reconhecimento oficial dos dois na delegacia.

“Ela deu detalhes muito precisos do físico dos dois, como tatuagens, corte de cabelo, cor e altura. Eles também passaram basicamente pelos mesmos lugares. Ela também pegou a van em Copacabana, ia para o Centro do Rio, quando os suspeitos anunciaram um assalto, mandaram todos os passageiros descer e roubaram e estupraram a vítima, que foi abandonada em Niterói.  Um dos suspeitos confessou os crimes e falou da participação dos outros dois suspeitos. O outro preso negou a violência sexual. Estamos obtendo informações para tentar identificar o terceiro suspeito do caso, que está foragido”, contou o delegado.

O delegado disse não ter dúvidas quanto a participação dos três suspeitos nos casos de violência sexual contra a brasileira e os estrangeiros. Segundo Braga, eles vão responder pelos crimes de estupro, roubo com três causas de aumento de pena — utilização de arma (eles usaram uma barra de ferro para espancar o rapaz), concurso de pessoas (quando há mais de uma pessoa praticando um crime) e privação de liberdade das vítimas por período relevante de tempo — e corrupção de menores. Segundo as vítimas, um menor de idade, que desceu no meio do caminho, trabalhava como cobrador da van. As penas somadas podem chegar a 29 anos de prisão.

O caso da brasileira foi registrado na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói, na Região Metropolitana, onde a vítima foi abandonada pelos suspeitos. Agora, os dois casos serão investigados pela Deat.

Os dois suspeitos são moradores de São Gonçalo e foram presos por policiais da Deat. Um terceiro suspeito, cuja identidade não foi revelada, está foragido. Nenhum dos três tinha antecedentes criminais, segundo a Polícia Civil. À polícia, Jonathan disse que o terceiro suspeito, que está foragido, cometeu o crime contra a estrangeira. Ainda não foi divulgado se eles já têm advogado para representá-los.

Embarque em Copacabana

Foto: Lívia Torres/G1
Van utilizada pelos suspeitos de estuprar turista

O delegado Alexandre Braga, da Deat, contou no sábado (30) que o casal embarcou na Avenida Nossa Senhora de Copacanana, na Zona Sul, em direção à Lapa, no Centro. Na van estavam apenas Jonathan, que seria o motorista, e o cobrador, um menor, que desceu durante o percurso. Wallace embarcou na altura da Rua Duviver, ainda Copacabana.

Outros passageiros entraram em seguida, mas, em Botafogo, foram obrigados a saltar, quando os suspeitos anunciaram um assalto. O namorado da turista foi preso com algemas e começaram os abusos. A única arma usada foi uma barra de ferro, segundo Braga.

Durante as seis horas em que permaneceram com o casal, os suspeitos pararam em Niterói, usaram o cartão da mulher para comprar bebidas em um posto e sacar dinheiro em um Banco do Brasil. Em São Gonçalo subiu o terceiro suspeito, que também estuprou a vítima.

Como o cartão da estrangeira estourou o limite, eles voltaram a Copacabana, ao prédio onde o casal mora, fizeram a mulher subir no quarto e pegar mais cartões, voltaram a São Gonçalo e realizaram novos saques. Em um posto de gasolina, compraram mais bebidas e, em outro, abasteceram o veículo.

Os estrangeiros foram liberados na BR-101, em Itaboraí, na Região Metropolitana, e procuraram a polícia. Os policiais iniciaram as investigações e conseguiram prender os suspeitos em casa, em São Gonçalo. Segundo a polícia, o proprietário do veículo não teria ligação com o crime, pois não estava presente e apenas o alugava para o motorista. A van fazia o percurso Niterói-São Gonçalo e a polícia trabalha com a hipótese de eles terem ido a Copacabana para cometer crimes.

Polícia encontra corpos às margens de rodovia em Itanhaém

Eduardo Velozo Fuccia, no A Tribuna

Os corpos de dois homens foram encontrados na madrugada desta sexta-feira, em Itanhaém, às margens de uma rodovia, enrolados em cobertores. As vítimas tinham fitas plásticas pretas amarradas ao pescoço e permanecem sem identificação.

Exame necroscópico realizado no Instituto Médico-Legal (IML) de Praia Grande revelou que os desconhecidos morreram de asfixia mecânica mediante estrangulamento.

Os corpos foram encontrados por uma equipe da Força Tática do 29º BPM/I, por volta das 3 horas, em uma matagal à beira da Estrada Coronel Joaquim Branco, no Bairro Savoy II. As vítimas já apresentavam rigidez cadavérica, sinal de que foram assassinadas havia pelos menos duas horas.

A polícia ainda não tem pistas dos autores do crime. Mas já há indícios de que foi praticado em outro local. Isso em função da forma como foi cometido, o local pouco movimentado onde os corpos foram achados e o fato de estarem enrolados em cobertores.

As vítimas tinham várias tatuagens, o que pode ajudar no processo de identificação. Um dos homens é pardo, magro, baixo, aparenta 25 anos e tem as inscrições Adrieli e Mãe eu te amo tatuadas no braço esquerdo. Ele ainda possui uma tatuagem de dragão na perna direita.

O outro desconhecido tem 30 anos presumíveis, possui cerca de 1,75 metro de altura, é magro e também pardo. No braço direito está tatuada a frase Deus é fiel e na perna esquerda possui a tatuagem de um palhaço.

Jovem usava casa dos avós como ponto de venda de drogas, diz polícia

Polícia chegou até o rapaz de 20 anos por meio de uma denúncia anônima. Foram apreendidos ecstasy, pontos de LSD, dinheiro, armas e munição

Do G1 Paraná

Um jovem de 20 anos foi preso em flagrante nesta segunda-feira (25) pela Polícia Militar e pela Polícia Federal, no Bairro Alto, em Curitiba, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas. De acordo com a polícia, o rapaz que morava com os avós utilizava a residência como ponto de venda.

Na casa a polícia encontrou dois mil comprimidos de ecstasy, nove mil pontos de LSD, R$ 5 mil em dinheiro, armas e munição. Além do rapaz, a polícia prendeu outro jovem que comprava drogas no local.

O ponto foi descoberto após uma denúncia anônima.

Polícia Civil de Registro prende traficantes com quase mil porções de cocaína

Da Comunicação da Polícia Civil de Registro, no Diário de Iguape

A Polícia Civil de Registro através da DISE – Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes – prendeu em flagrante delito os indiciados D.A.P., vulgo “DÊ”, com 22 anos de idade, sua companheira M.M.O. com 20 anos e a jovem C.M.S. com 19 anos, todos pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas.

Os Policiais Civis estavam investigando o tráfico de drogas na Vila São Francisco, na cidade de Registro/SP, sendo que na manhã de 22.03.2013 conseguiram identificar a residência situada na Rua Jerônimo Monteiro Lopes onde as informações obtidas informavam sobre uma grande quantidade de cocaína que estaria guardada.

Foram então até o local onde encontraram 962 (novecentos e sessenta e dois) “eppendorfs” contendo cocaína dentro do quarto existente na casa, bem como material para embalar drogas e uma balança digital. Ainda, dentro do banco da motocicleta do indiciado que estava no quintal da casa, foram encontrados 15 (quinze) “eppendorfs” contendo cocaína, totalizando 977 (novecentos e setenta e sete) “eppendorfs” contendo cocaína, com peso bruto aproximado de 774,18g (setecentos e setenta e quatro gramas e dezoito decigramas) de cocaína apreendida.

Após a prisão o indiciado foi encaminhado para a Cadeia Pública de Registro/SP e as indiciadas para a Cadeia Pública Feminina de Sete Barras/SP, onde permanecerão à disposição da Justiça Pública.

A DISE da Polícia Civil de Registro solicita aos moradores de Iguape, Ilha Comprida, Juquiá, Miracatu, Sete Barras e Registro que entrem em contato e denunciem de forma anônima a prática do tráfico de drogas e outros crimes dispostos na Lei de Drogas através dos telefones 3821 6555 e 197 (este somente para a cidade de Registro).

Próteses mamárias: Cirurgia estética se torna caso de polícia em Itanhaém

Créditos: Davi Ribeiro
Patrícia e Maria Cecília submeteram-se a operações no ano passado. Desde então, paliativos e muita dor

Victor Miranda, em A Tribuna

Alegria e tristeza. Beleza e feiura. Sonho e pesadelo. Três casos de situações opostas, separadas por uma linha tênue. Ao procurar a Clínica Naturebelle, em meados do ano passado, para se submeter a uma cirurgia estética, tudo o que as professoras Maria Cecília Menezes e Patrícia Rafael Silva menos esperavam era vivenciar tais extremos.

As duas procuraram a clínica, em Itanhaém, para pôr próteses mamárias de silicone. Esperavam mais harmonia com o espelho e bem-estar com o corpo. As cirurgias ocorreram na mesma semana, no fim de outubro. No início, surgiu o orgulho por um corpo mais bem delineado. Mas, após cinco meses, olhar para os próprios seios ainda representa um desafio.

“Dá vontade de chorar. Se, antes, eu já não gostava de me olhar no espelho, hoje a imagem dói muito mais, porque tem o desgaste psicológico”, define Patrícia. Maria Cecília chega a dizer que tem vergonha não só dela mesma, mas também do marido. E a frustração começa a dar lugar à revolta. Elas se sentem enganadas pelo médico Renato Roland de Freitas Arcos, responsável pela clínica de estética.

Maria Cecília e Patrícia afirmam que o profissional não é especializado em cirurgias plástica e estética. Ou seja, não poderia responder como médico responsável da Naturebelle. Um mês após a intervenção, as duas começaram a ter problemas com as próteses. Depois de um início de pós-operatório tranquilo, os pontos das cirurgias se abriram. Elas recorreram à clínica. “Cada vez que a gente procurava ajuda, ele suturava  quanto mais ele suturava, ais abria a cirurgia”, conta Patrícia.

No caso de Maria Cecília, a prótese ficou exposta, em uma abertura de cerca de quatro dedos. “Um dia, depois de tentar várias coisas, ele nos disse que pesquisou na internet e descobriu que não poderia ter suturado tanto. E disse que a nossa pele estava fraca”. A informação é confirmada por Patrícia, ao explicar que, após a conversa, a dupla passou a desconfiar da ação do médico.

Elas alegam ter procurado Renato Arcos para afirmar que não havia mais condição de manter as próteses. “Ele abriu mais nossa incisão, retirou a prótese, lavou e colocou de volta. É caso de infeccionar ou não é?”, indaga Maria Cecília, que acrescenta. “Ele olhou para mim e disse: ‘Agora, vamos ao toque final’. Ele estava com (cola) Super Bonder na mão. E disse que aquilo era comum em cirurgias desse tipo”.

Não desconfiaram ?

A justificativa para não ter questionado os procedimentos antes é justificada por Patrícia. “Eu nunca tinha acompanhado uma incisão dessas. Era cliente da clínica desde 2006. Ela já havia me atendido como endocrinologista. Acreditei que estava nas mãos certas”. As duas fizeram boletins de ocorrência contra Arcos e a clínica.

Hoje, a polícia vai ouvir os depoimentos das duas. Atualmente, as professoras fazem tratamento com especialistas diferentes em Santos. Estão se preparando para a reconstrução das mamas – a pele necrosou. Depois, virá a fase de minimizar os efeitos das cicatrizes: o corte de Maria Cecília, por exemplo, tem 12 centímetros. Só após essas etapas é que poderão colocar uma nova prótese.

O custo das cirurgias foi de R$ 7,5 mil para cada uma. Mas alegam que o principal interesse não é a devolução do dinheiro. Em princípio, querem que o registro de Renato no Conselho de Medicina seja cassado e a clínica, interditada. “Fomos procurar beleza e saímos de lá mutiladas”, lamenta Patrícia.

Créditos: Davi Ribeiro
o médico Renato Arcos afirma que as duas pacientes não cumpriram o pós-operatório

Médico: clientes se descuidaram

A Tribuna esteve na clínica Naturebelle na terça-feira e conversou com o médico Renato Arcos e a enfermeira Alessandra Arcos – sua esposa. Eles afirmam estar tranquilos quanto às denúncias, que consideram “absurdas”, “infundadas” e de “caráter pessoal”. A principal defesa apresentada por Renato Arcos é que nenhuma das duas ex-clientes cumpriu o pós-operatório indicado.

“No feriado de 15 de novembro, elas viajaram para o Rio de Janeiro. Elas não tinham nem um mês completo de cirurgia. Jamais poderiam fazer isso”. Segundo ele, a exposição ao sol gera uma dilatação natural das próteses e prejudica a cicatrização. “Quando elas nos procuraram, fizemos o atendimento. Eu alertei que iria tentar e, se fosse o caso, teria que retirar as próteses. A área foi lavada, fez-se um novo fechamento, mas a paciente estava ciente de que, se abrisse de novo, teria complicações. Acho que elas não aceitaram”, comenta.

Segundo ele, Maria Cecília chegou a assinar um documento afirmando estar ciente dessa situação.

Polícia prende 5 suspeitos de tráfico de drogas em Cachoeiro, ES

Entre os detidos está uma menor de 14 anos, levada para unidade do Iases. Na casa onde foram localizados, polícia encontrou drogas e armas.

Tarcísio Oliveira, do G1 Espírito Santo

Uma operação da Polícia Militar prendeu cinco pessoas no bairro Monte Belo, em Cachoeiro  de Itapemirim, região Sul do Espírito Santo, na tarde deste domingo (17). Entre o s detidos, que são suspeitos de tráfico de drogas, está uma adolescente de 14 anos. Segundo os militares, armas e drogas foram encontradas na casa em que os presos estavam. A menor foi encaminhada para uma unidade do Instituto de Atendimento Sócio-Educativo do Espírito Santo (Iases) e outros três homens foram para o Centro de Detenção provisória do município.

Policiais chegaram ao local por meio de denúncia feita ao Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes). Segundo a informação, o grupo estava ameaçando moradores do bairro Monte Belo. Rádios comunicadores, dinheiro e celulares também foram encontrados na casa.

Os três homens detidos foram autuados por associação para o tráfico, tráfico de drogas, corrupção de menores e porte ilegal de armas. A dona da residência também foi detida e encaminhada para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Cachoeiro.

Polícia Civil de São Manuel prende jovem por tráfico

Do Portal JCNET

Nesta segunda-feira (18), policiais civis de São Manuel, durante a operação Quaresma, prenderam em flagrante Adriano Ferreira da Costa, de 20 anos, por tráfico de drogas, no Jardim Santa Mônica, em São Manuel (69 quilômetros de Bauru).

Adriano já era investigado pelos policiais há 20 dias e, nesta manhã, foi preso enquanto vendia crack em sua residência. No interior da casa, foram apreendidas 15 pedras de crack embaladas individualmente e pronta para a comercialização, além de embalagens plásticas para embalar o produto.

Adriano foi preso em flagrante delito e encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Grupo explode três caixas eletrônicos e troca tiros com a polícia em Peruíbe

Segundo a polícia, cerca de 15 criminosos participaram da ação. Suspeitos com fuzis, metralhadoras e espingardas conseguiram fugir.
Foto: Arquivo Pessoal
Três caixas eletrônicos foram explodidos na rodoviária de Peruíbe

Do G1 Santos e Região

Uma quadrilha formada por cerca de 15 criminosos armados explodiu três caixas eletrônicos na rodoviária de Peruíbe, no litoral de São Paulo, por volta das 4h desta sexta-feira (8). Os policiais que foram ao local acabaram sendo recebidos a tiros pelos criminosos. Ninguém se feriu.

De acordo com informações da Polícia Militar, uma denúncia anônima foi feita alegando que um grupo estava pronto para praticar o roubo. Uma viatura foi direcionada ao local para verificar o ato e foi recebida com tiros.

Os indivíduos conseguiram explodir três caixas eletrônicos e fugir. Ainda não há informações sobre a quantidade de dinheiro levado pelos suspeitos. Ainda segundo os policiais, os criminosos portavam fuzis, metralhadoras, espingardas calibre 12 e pistolas. Ninguém ficou ferido na troca de tiros.

Grupo explode três caixas eletrônicos e troca tiros com a polícia em Peruíbe

Segundo a polícia, cerca de 15 criminosos participaram da ação. Suspeitos com fuzis, metralhadoras e espingardas conseguiram fugir.
Foto: Reprodução / Mallu Martins
Quadrilha explode três caixas eletrônicos em Peruíbe

Do G1 Santos e Região

Uma quadrilha formada por cerca de 15 criminosos armados explodiu três caixas eletrônicos na rodoviária de Peruíbe, no litoral de São Paulo, por volta das 4h desta sexta-feira (8). Os policiais que foram ao local acabaram sendo recebidos a tiros pelos criminosos. Ninguém se feriu.

De acordo com informações da Polícia Militar, uma denúncia anônima foi feita alegando que um grupo estava pronto para praticar o roubo. Uma viatura foi direcionada ao local para verificar o ato e foi recebida com tiros.

Os indivíduos conseguiram explodir três caixas eletrônicos e fugir. Ainda não há informações sobre a quantidade de dinheiro levado pelos suspeitos. Ainda segundo os policiais, os criminosos portavam fuzis, metralhadoras, espingardas calibre 12 e pistolas. Ninguém ficou ferido na troca de tiros.

Polícia Militar de Peruíbe, SP, prende suspeito por tráfico de drogas

Rapaz foi encontrado no bairro Caraminguava. Homem confessou que armazenava drogas dentro de um imóvel.

Do G1 Santos e Região

A Polícia Militar de Peruíbe, no litoral de São Paulo, prendeu na tarde desta terça-feira (19) um homem suspeito de tráfico de drogas. De acordo com a polícia, a equipe foi informada sobre um possível ponto de tráfico na rua Pasqual D’amore, na Viela 4, no bairro Caraminguava. Ao chegarem no local, abordaram um indivíduo que portava porções de drogas.

Ainda segundo informações dos policiais, o suspeito confessou que armazenava os entorpecentes dentro de um imóvel. A equipe se dirigiu ao local e, após fazer uma vistoria, encontrou 22 tijolos de maconha, 82 pinos de cocaína e 330 pedras de crack. O indivíduo foi levado ao Distrito Policial da cidade e autuado em flagrante.

Polícia procura chefes do tráfico que escaparam de Bangu (veja as fotos)

Grupo de 31 detentos escapou pela tubulação de esgoto no domingo. Entre os foragidos está o criminoso que foi gerente do tráfico de drogas no Complexo do Alemão
Divulgação/Secretaria Estadual de Administração Penitenciária
Detentos foragidos: grupo escapou do Complexo de Bangu, no Rio de Janeiro

Da Veja

A Polícia Civil do Rio procura, desde domingo, 31 detentos que fugiram do Instituto Penal Vicente Piragibe, que integra o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. A fuga, através de um túnel ligado à tubulação de esgoto do presídio, não é um delito qualquer: a lista de foragidos, publicada esta manhã pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), tem alguns bandidos que comandavam favelas estratégicas para o tráfico de drogas, entre eles alguns do Complexo do Alemão, atualmente ocupado por uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Quatro detentos foram recapturados no domingo. A Corregedoria da Seap abriu sindicância para investigar como ocorreu a fuga. Agentes que estavam de plantão na unidade prisional começaram a ser ouvidos. Ainda não se sabe se houve participação de funcionários ou facilitação da fuga. Segundo a Seap, o presídio não registrava uma fuga desde 2002.

Os quatro recapturados foram transferidos para a Penitenciária Laércio da Costa Pelegrino, conhecida como Bangu 1, também localizada dentro do Complexo de Gericinó – uma unidade de segurança máxima.

Um dos criminosos considerados mais perigosos é Luiz Claudio Machado, conhecido como Marreta. Ele era gerente geral do Complexo do Alemão. Um dos destinos prováveis dos foragidos é o conjunto de favelas do Lins de Vasconcelos, bairro da zona norte do Rio. Reportagem de VEJA mostrou que, apesar do avanço das UPPs em várias áreas da cidade, essa região vem servindo de abrigo para fugitivos do Complexo do Alemão. Um vídeo feito pela Polícia Civil mostra traficantes armados desfilando com fuzis pelas vielas das favelas do bairro.

A lista de fugitivos:

Luiz Claudio Machado, o Marreta, ex-gerente geral do Complexo do Alemão
Marcelo de Castro Moreira, o Tchetchelo
Jorge Pereira – o Jorjão
Josinaldo Rodrigues de Araújo – Naldo ou Rodrigão
Robson Aguiar de Oliveira – Kinho ou Binho
Alessandro Miranda Gonçalves
Jeferson Gomes da Silva
Clauvino da Silva, o Baixinho
Josinaldo Rodrigues de Araújo, o Peixe
Marco Ferreira de Resende, o Binha
Alcides Francisco da Silva, o Careca
João Paulo Firmiano Mendes da Silva, o Russão
Danilo Oliveira de Almeida
Jairo de Aguiar
Vagner Ammenara Batista
Rodrigo Wallace Blauth, o Blauth
Claudino dos Santos Coelho, o Russão
Dario Nascimento de Freitas
Edson Batista da Nobrega, o Pará
Anderson Ferreira de Oliveira
Bruno Dicarlantonio Martins, o Bruninho BR
Roberto Ferreira Vieira, o Robertinho do Jacaré
Rafael Rodrigues Anacleto
Leonardo Luiz Batista, o Aranha
Wallan Jefferson Martins de Oliveira, o Jefinho
Claudio da Silva Pereira, o Nem
Alberto Pietro da Silva Baunilha

Foram recapturados: 

Reginaldo Fernandes da Silva, o Naldo
Rafael Silva Souza, o Fael
Antonio Luiz de França, o Pará
Rogério Fernando Cunha de Abreu, o Rogerinho

Suspeito usou cão de vítima para facilitar morte de família, diz polícia

Suspeito de mandar matar pai, tia e prima foi preso com dois comparsas. Ele saiu para passear com cachorro e entregou chave de casa a namorado.
Foto: Mônica Dias/G1 AM
Jimmy (esq.), Rodrigo (centro) e Ruan Pablo (dir.) são suspeitos de assassinar família em Manaus
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Gabriela com o cachorro Rick; animal também foi morto na casa

Marina Souza e Mônica Dias, do G1 Amazonas

O suspeito de mandar matar o pai, a tia e a prima em Manaus, Jimmy Roberto, de 33 anos, aproveitou para entregar a chave da casa aos assassinos durante um passeio com o cachorro das vítimas, conforme divulgou nesta quarta-feira (23) o delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Divanilson Cavalcanti. A tia e a prima foram mortas na segunda-feira (21) e o pai de Jimmy, na madrugada de terça-feira (22).

Além de Jimmy, foram presos pelos assassinatos o namorado dele,  Rodrigo de Moraes Alves, de 19 anos, e Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães, de 18 anos. Segundo o delegado, Jimmy teria facilitado o acesso às vítimas, fingindo estar fazendo uma visita à família. O homicídio havia sido planejado por três semanas.

Segundo a polícia, o trio preparou um kit para cometer os crimes, contendo um revólver calibre 38, uma faca, um estilete, uma corda e amoníaco. Eles usaram luvas e optaram por não usar a arma de fogo para não fazer barulho. Todas as mortes seguiram as mesmas características.

Passeio com o cão

De acordo com o delegado, por volta de 17h30, Jimmy entrou no condomínio com a desculpa de ir ao apartamento pegar uma agenda. O suspeito foi atendido pela prima, Gabriela Belota, de 26 anos. A estudante recebeu Jimmy e seguiu para o seu quarto. Com a desculpa de que não tinha encontrado a agenda, o suspeito teria falado para Gabriela que iria passear com o cachorro da vítima, chamado Rick.

O suspeito, segundo a polícia, saiu então com o cachorro para caminhar pelo condomínio, e deu a chave do apartamento para os dois comparsas. O namorado de Jimmy, Rodrigo de Moraes Alves, é apontado como o responsável pela morte de Gabriela. A jovem teria sido atacada e asfixiada com um pedaço de película que escurece vidro de carro. A universitária tentou se defender, arranhando o pescoço de Rodrigo, mas morreu sufocada. Como a jovem demorou a desmaiar, os suspeitos desferiram ainda um corte no pescoço da vítima.

Segundo a polícia, Jimmy voltou então para o apartamento com o cachorro para aguardar a tia, Maria Gracilene Belota. Como o animal estava latindo, ele teria pedido aos suspeitos que matassem o animal. Ele foi degolado. A informação divulgada inicialmente de que o animal havia sido encontrado debaixo da cama de Gabriela foi alterada pela perícia: o laudo aponta que ele tenha sido pendurado na sala, em um armador de rede.

Por volta das 20h30, imagens das câmeras de segurança mostram a mãe de Gabriela chegando ao local. Ela foi surpreendida pelos três e morta na sala da casa. Segundo a polícia, eles espancaram a vítima e cortaram seu pescoço com um estilete.

Depois de matar a tia, a prima e o cachorro, o trio saiu no carro em que chegaram, um Gol de cor prata, e levaram também o veículo de Gabriela, um Fiesta vermelho. Eles seguiram para um motel localizado próximo à Ponte Rio Negro, onde tomaram banho para tirar as marcas de sangue dos homicídios. Após se limparem, os suspeitos foram para a casa do pai de Jimmy, Roberval Roberto de Brito, no bairro São Raimundo, Zona Oeste de Manaus, onde o mataram na madrugada de terça-feira (22).

Ainda segundo o delegado, o crime foi cometido por uma herança de R$ 200 mil que seria deixada pelo pai de Jimmy, Roberval. Gabriela e Maria Gracilene teriam sido mortas porque, segundo a polícia, elas eram beneficiadas por um inventário. O delegado relatou ainda que Jimmy tinha raiva do pai porque Roberval recebia uma pensão de R$ 3 mil e só repassava R$ 500 para o filho, entre outros conflitos familiares.

Os três suspeitos foram encaminhados à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus. Eles foram indiciados por triplo homicídio qualificado, formação de quadrilha e maus-tratos de animal. Além disso, Rodrigo deverá responder por porte ilegal de arma.

Filho de vítima acompanhou investigações

Suspeito de ser o mandante dos assassinatos do próprio pai, da tia e da prima, Jimmy esteve presente durante as investigações da polícia no Condomínio Parque Solimões, Zona Sul de Manaus. A informação foi confirmada pelo diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, Emerson Negreiros. “O Jimmy chegou a passar mal no condomínio onde a tia e a prima moravam, chegando a ser medicado por uma vizinha. O Rodrigo, namorado dele, foi o próximo a aparecer. Naquele momento, a Polícia já levou os dois para prestar o depoimento, que foi quando houve a confissão do Rodrigo”, relatou Negreiros.

O delegado destacou ainda que, no condomínio, as marcas no pescoço e nos braços de Rodrigo, que, supostamente, seriam das unhas de uma das vítimas, chamou a atenção dos policiais. “Além disso, a cena do crime, sem nenhum tipo de arrombamento, também levantou dúvidas. A casa estava pouco revirada para uma situação como essa. O Jimmy não só morou no apartamento como possuía a chave de lá.  Ele entrou no condomínio junto com o Rodrigo e o Bruno (outro participante do crime) em um carro modelo Gol, sem maiores dificuldades, porque já era conhecido no local”, acrescentou.

No momento em que foram detidos, na terça-feira, a polícia encontrou revólver calibre 38. Entre os materiais apreendidos com os suspeitos estavam peças de roupa ensanguentadas de Rodrigo. No entanto, Negreiros afirmou que a arma dos crimes, um estilete, ainda não foi localizada.

Foto: Reprodução/TV Amazonas
Mãe e filha foram mortas em apartamento

Maria Gracilene e a filha Gabriela Belota foram encontradas mortas pela empregada doméstica por volta das 8h, na manhã de terça (22). Segundo a polícia, ambas apresentavam sinais de estrangulamento, no apartamento da família, localizado no Condomínio Parque Solimões, Zona Sul de Manaus.

O corpo da filha, que era estudante do curso de Odontologia, da Universidade do estado do Amazonas (UEA), estava em cima de uma cama, enrolado em um lençol e o da mãe, que era coordenadora-geral de Comércio Exterior da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), no corredor da residência. O cachorro da família também foi encontrado morto.

O pai de Jimmy, Roberval Roberto de Brito, de 63 anos, foi encontrado morto também na terça-feira, na casa em que vivia. Conforme a Polícia Militar, ele foi encontrado jogado em cima da cama com as mãos amarradas, também com sinais de estrangulamento

Polícia Militar de Jundiaí, SP, prende homem por tráfico de drogas

Criminoso tentou fugir, mas foi preso em flagrante. PM apreendeu com ele pedras de crack, maconha e cocaína

Do G1 Sorocaba e Jundiaí

Um rapaz de 27 anos foi preso em flagrante na tarde deste sábado (19) por tráfico de drogas no Jardim Alegria, em Itupeva (SP). Uma equipe da Polícia Militar fazia ronda pelo bairro quando encontrou o homem em atitude suspeita. Ele tentou fugir, mas foi detido.

Com ele foram encontrados 26 papelotes de maconha, 260 tubetes com cocaína, 130 pedras de crack e R$ 17. O rapaz foi encaminhado ao centro de triagem de Jundiaí (SP).

Itariri: Pai estupra e engravida a própria filha de 14 anos, diz polícia

Crime aconteceu em Itariri, no interior de São Paulo. Garota também foi estuprada várias vezes pelo padrasto.

Anna Gabriela Ribeirodo G1 Santos e Região

A polícia de Itariri, no interior de São Paulo, prendeu nesta sexta-feira (18) dois homens suspeitos de estuprarem uma adolescente de 14 anos. Um é o pai e o outro é padrasto da garota, que está grávida de quatro meses do próprio pai.

Segundo a polícia, a mãe da adolescente desconfiou da gravidez porque a menina vomitava constantemente na escola. Por isso, a garota foi levada até uma agente de saúde. Após exames, foi constatado que a menor estava grávida de quatro meses. A garota conversou com uma assistente social e revelou que foi estuprada pelo pai, que tem 60 anos.

O caso foi levado à polícia e, em depoimento, a jovem afirmou que também era estuprada pelo padrasto desde os 11 anos de idade. Segundo o delegado Fernando Biazuss Rodrigues, a menina cresceu com o padrasto e a mãe. Ao descobrir que a filha era molestada pelo padrasto, o pai da menina resolveu levá-la para morar com ele e começou a abusar dela também.

Ainda de acordo com o delegado Fernando Biazzus Rodrigues, o pai costumava dar remédios abortivos para a garota. “Os acusados não assumem completamente o crime. O padrasto, por exemplo, alega que fica bêbado e não consegue lembrar o que faz”, diz Rodrigues.

O delegado afirma que a princípio a garota irá morar com a mãe. Porém, a assistência social deve acompanhar o caso, já que a mãe é solteira e tem oito filhos. A Justiça já decretou a prisão temporária do pai e do padrasto.

Polícia Civil desarticula tráfico de drogas em Confresa e prende 4

Do Cenário MT

Quatro pessoas foram presas em um ponto de venda de drogas, desativado durante operação da Polícia Judiciária Civil, realizada em Confresa (1.160 km a Nordeste), no final de semana. Os acusados José Nilson da Silva Lopes, 32, Andressa Lira Silva, 22, Marcelo Tavares de Lira, 27 e Fábio da Silva Costa, 18, foram presos em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

O acusado José Nilson era investigado pela Polícia Civil como suspeito de comandar a “boca de fumo”, que funcionava no bairro Morada Nossa, na cidade de Confresa. Com o mandado de busca e apreensão expedido pela comarca de Porto Alegre de Norte (1.125 km a Nordeste), policiais civis realizaram diligências no suposto comércio de drogas.
Os acusados foram surpreendidos em posse de 108 gramas de crack. Segundo o delegado da Delegacia de Confresa e coordenador da operação, Michael Mendes Paes, uma parte da droga foi encontrada enterrada no quintal da casa e outra escondida nas partes íntimas da acusada Andressa “A droga foi encontrada após uma revista feita por uma policial da nossa equipe”, declarou Paes.

Durante buscas na residência, os investigadores apreenderam vários outros objetos como um computador, um notebook, aparelhos celulares, autofalante, amplificador, caixa de som, uma maquita, capacetes, correntes, relógios e R$ 3 mil em dinheiro.

Segundo as investigações, parte dos produtos foram trocados por drogas. Um veículo e uma motocicleta que estavam na casa, provavelmente utilizados para a prática do tráfico, também foram apreendidos.

Vigilantes encontram carro em chamas e polícia busca pistas do dono

Juliano Cunha
Até o momento não há informações sobre o dono do carro e o motivo do incêndio

Elizangela Jubanski e Juliano Cunha, no Paraná Online

Um carro em chamas foi encontrado abandonado na noite desta quinta-feira (6) às margens da Rodovia BR-116, no Contorno Leste em Curitiba, quase divisa com São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Vigilantes acionaram a polícia. Até o momento não há informações sobre o dono do carro e o motivo do incêndio.

Alguns vigilantes que trabalham nas obras da rodovia enxergaram as chamas e se aproximaram. De perto identificaram que as chamas vinham de uma caminhonete Montana, placas HHP-8781, de Curitiba ainda pegando fogo. Não havia sinais de um possível acidente ou até mesmo de vítimas no carro. A Polícia Rodoviária Federal foi avisada e até aquele momento não havia queixa de furto ou roubo do carro.

O vigilante Edevaldo Lima disse que quando chegou ao local dois homens estavam ao lado do carro. “Eles estavam filmando no celular e disseram, mas saíram assim que a gente chegou. Eles estavam em um Corsa”, disse.

O carro foi encaminhado ao posto da PRF e a polícia busca o proprietário para descobrir o que pode ter acontecido com o veículo.

Polícia identifica dupla que matou empresário

O menor, suspeito do crime, foi apreendido no Álvaro Weyne. Seu comparsa, de 20 anos, está sendo procurado
FOTO: REPRODUÇÃO
Jailson Ramos, o ´Dark´, é suspeito de ter atirado no empresário. A Polícia está à procura dele

Márcia Feitosa, no Diário do Nordeste

A Polícia identificou a dupla acusada do latrocínio (roubo seguido de morte) que vitimou o empresário João Carlos Clemente Soares, 66. Um adolescente de 16 anos, suspeito do crime, foi apreendido, ontem. Seu comparsa seria Jailson de Sousa Ramos, o ´Dark´, 20, que ainda não foi encontrado. O adolescente, foi apreendido em sua residência, no bairro Álvaro Weyne, pela equipe do 7ºDP (Pirambu).

Segundo informações do delegado titular daquela unidade, José Jesuíta Barbosa Filho, durante o dia de ontem, quatro testemunhas estiveram na delegacia fazendo o reconhecimento formal do garoto apreendido. Todas confirmaram que ele seria a pessoa que desceu da moto e travou uma luta corporal com o empresário, instantes antes deste ser baleado pelo outro ocupante do veículo.

O rosto

Uma das funcionárias disse que o garoto estava sem capacete e que seu rosto era bastante visível. Após os procedimentos realizados no 7ºDP, as testemunhas e familiares que presenciaram o latrocínio se dirigiram até a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde foram novamente ouvidos.

De acordo com o delegado Barbosa Filho, na tarde de ontem, a prisão preventiva de Jailson Ramos foi pedida. Ele disse, ainda, que uma motocicleta, de cor vinho, que foi citada por várias testemunhas como sendo o veículo em que a dupla de assaltantes estava, foi encontrada na casa do pai de Ramos. A motocicleta já está apreendida e ficará à disposição da Polícia, enquanto durar as investigações.

O delegado contou também que uma outra pessoa, que não teve a identidade revelada, foi até o 7ºDP denunciar que tinha sido vítima de ´Dark´ em uma ´saidinha´ bancária. Segundo o homem, que reconheceu o suposto assaltante em uma fotografia, neste assalto, o suspeito teria roubado R$ 11 mil.

Ramos já respondeu por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. “Estamos apurando cada caso. Sabemos que ele é envolvido em diversos crimes, mas precisamos confirmar tudo. No caso do latrocínio do empresário, este está confirmado, foi realmente ele”, disse o delegado. As investigações mostram que ´Dark´ seria, inclusive, o atirador. “Já constatamos isto. Foi ele quem disparou”, concluiu Barbosa. O suspeito mora no Grande Pirambu e a equipe do 7ºDP está diligenciando constantemente a sua procura. Conforme Souto, o adolescente apreendido nega que tenha participação no crime, mas as provas são contundentes contra ele.

Buscas

O comandante do 5º BPM, tenente-coronel PM Francisco Souto, informou que uma denúncia anônima possibilitou identificar o local onde os acusados estavam escondidos. A partir de então, um cerco foi comandado por ele juntamente com o major Marden Oliveira, comandante da 5ª Cia/5ºBPM (Pirambu). Policiais da Força Tática de Apoio (FTA) e do Serviço Reservado estão empenhados nas diligências ao atirador.

FOTO: EWERTON LEMOS
João Carlos Clemente Soares teria regido à tentativa de assalto e acabou morto. Os latrocidas fugiram sem levar nada do dono da Ironte

O crime

O empresário, João Carlos Clemente Soares, foi assassinado em sua fábrica, situada na Avenida Francisco Sá, no bairro Monte Castelo, por volta do meio-dia da última segunda-feira (3). Ele foi seguido por uma dupla de assaltantes, que trafegava em uma motocicleta, após sair de uma agência bancária. A abordagem à vítima aconteceu já dentro da fábrica de panelas de alumínio Ironte.

Houve luta corporal, quando um dos acusados anunciou o assalto. Os latrocidas fugiram sem levar nada da vítima. Baleado, o empresário morreu, logo depois, no hospital.

Polícia prende líder do tráfico de drogas em bairro da região noroeste de BH

Outro suspeito também foi detido e armas e drogas foram apreendidas

Márcia Costanti, do R7 Noticias Minas Gerais

Militares do 5º Batalhão de Polícia Militar de Belo Horizonte conseguiram prender Cláudio Ramos da Silva, de 36 anos, na manhã desta sexta-feira (7), no bairro Santa Maria, região noroeste da capital. Ele é considerado o líder do tráfico de drogas da região e foi preso por porte ilegal de armas, com um revólver calibre 38 e 21 cartuchos de munição.

A polícia montou operação no local e checou diversos endereços onde o suspeito poderia estar escondido. Além dele, outro homem, identificado como Paulo Henrique Raimundo da Silva, foi flagrado com drogas e acabou sendo detido. Já havia denúncias anônimas de que ele possuía entorpecentes.

A dupla já é conhecida do meio policial. Eles serão encaminhados para a primeira delegacia de polícia do Barreiro.

Polícia desarticula quadrilha suspeita de assaltar bancos no Grande Recife

Oitenta policiais participam da Operação Retorno na manhã desta sexta (7). Procurados também são suspeitos de assaltar carros-forte e comerciantes.

Do G1 Pernambuco

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta sexta-feira (07), a Operação Retorno para prender suspeitos de cometer assaltos a bancos, carros-forte e estabelecimentos comerciais no Recife  e na Região Metropolitana.

Ao todo, a Secretaria de Defesa Social (SDS) está cumprindo 6 mandados de prisão preventiva e outros 6 de busca e apreensão domiciliar, todos expedidos pelas 9ª e 10ª Varas Criminais da capital. Oitenta policiais civis participam da operação. A estratégia operacional se concentra no Grande Recife.

A Operacão Retorno é coordenada pela Diretoria de Polícia Especializada da Polícia Civil. Os suspeitos detidos serão levados para o Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), no bairro de Afogados, Zona Oeste do Recife.

Polícia prende três suspeitos de assassinatos em Paraty, RJ

Ação conjunta do MP, 33º BPM e 163ª DP ocorreu na última segunda (3). Outras cinco pessoas já haviam sido presas em novembro.

Do G1 Rio de Janeiro

Três suspeitos de cometerem assassinatos foram presos em Paraty, na Costa Verde fluminense, durante uma operação conjunta do 33º BPM (Angra dos Reis), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e do setor de homicídios da 167ª DP (Paraty), na última segunda-feira (3).

Essa é a segunda parte da ação, que começou no fim de novembro. Ao todo, oito mandados de prisão foram cumpridos, sendo que outros quatro menores foram apreendidos. Nesta segunda, foram presos Edem de Oliveira Corrêa Júnior, Luiz Augusto Rosario Fernando e Alexandre Castilho dos Santos. Segundo a polícia, o grupo é suspeito de cometer homicídios dolosos (quando há intenção).

Segundo a assessoria de imprensa do Ministério Público, ainda há cinco mandados pendentes, contra Alex Conceição de Paula, Antonio Marcos de Souza, Maicon Araujo Nascimento, Luiz Carlos da Silva e um menor infrator.

Os presos e apreendidos fariam parte de duas quadrilhas de traficantes de drogas que atuam em favelas de Paraty, como na Ilha das Cobras e na Mangueira, e teriam cometido homicídios em uma luta para conquistarem a venda de entorpecentes nessas regiões.

Polícia apreende 8 kg de maconha escondidos em matagal, no ES

Polícia recebeu uma denúncia anônima sobre localização da droga. Responsáveis pelos entorpecentes não foram encontrados.
Foto: Reprodução/TV Gazeta
8 kg de drogas estavam dentro de uma bolsa, enterrada em um matagal na Serra

Do G1 Espírito Santo

Uma denúncia anônima levou policiais a encontrarem uma bolsa enterrada com 8 kg de maconha em um matagal no bairro Novo Horizonte, na Serra, Grande Vitória, na noite desta quinta-feira (6). Os responsáveis pelo material apreendido não foram localizados pela polícia.

De acordo com a polícia, um grupo de traficantes comercializava a droga antes das equipes de patrulhamento chegarem. “As equipes estavam patrulhando o bairro Novo Horizonte, quando recebemos a denúncia de que traficantes estavam na rua Pássaro Preto fazendo a comercialização dessa droga. Foi quando as equipes foram ao local e o grupo foi embora ao ver a aproximação da polícia. Essa região é marcada pelo tráfico”, disse o soldado William, da Polícia Militar.

Investigador da Polícia Civil morre em acidente, no ES

Segundo a polícia, investigador seguia de moto e foi atingido por um táxi. Acidente aconteceu na Rodovia Norte-Sul.

Daniela Carla, do G1 Espírito Santo

Um investigador da Polícia Civil, de 52 anos, morreu ao ser atropelado por um táxi, na noite desta quinta-feira (6), na Rodovia Norte-Sul, no bairro Carapina, naSerra, Grande Vitória. Ele estava em uma moto emprestada, e, segundo a polícia, perdeu controle do veículo e acabou sendo atropelado. O policial chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (Upa) do município, mas não resistiu aos ferimentos. O taxista saiu do local do acidente e não foi localizado pela polícia. O caso será encaminhado para a Delegacia de Delitos de Trânsito para ser investigado.

O investigador trabalhava há menos de um ano na Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) da Serra. Colegas de trabalho da vítima estiveram no local do acidente e ficaram abalados com a morte do amigo. Eles contaram que o investigador estava no meio de uma partida de futebol quando pediu a moto emprestada a um colega.

O trânsito no momento do acidente era intenso. Policiais do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar estiveram no local.

Foto: Reprodução/TV Gazeta
Motocicleta em que rapaz ficou ferido

Um outro motociclista, de 26 anos, também perdeu o controle do veículo e bateu em um poste, na noite desta quinta-feira (6), na Rodovia ES 010, em Nova Almeida, na Serra. O jovem teve ferimentos no rosto e foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel Urgente (Samu) para o Hospital Dório Silva, em Laranjeiras, no mesmo município.

Professor é encontrado morto e com marcas de tortura, diz polícia do CE

Vítima apresentava queimaduras pelo corpo e marcas de dois tiros. Família informou que o educador estava desaparecido há mais de 24 horas.

Do G1 Ceará

O professor e diretor de escola José Raimundo Gustavo Braga Filho, de 51 anos, foi encontrado morto na tarde de quinta-feira (6), em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. Segundo informações da Polícia Militar, o corpo tinha mãos e pés atados, o professor estava amordaçado, com queimaduras espalhadas pelo corpo e marcas de dois tiros na cabeça.

De acordo com a polícia, a família informou que o educador estava desaparecido há mais de 24 horas. O corpo foi encontrado por um agricultor que capinava nas proximidades da BR-222. O professor era dono do tradicional Colégio Gustavo Braga, localizado na Avenida João Pessoa, 4680, no Bairro Damas.

O velório de Braga Filho está marcado para a manhã desta sexta-feira (7). O enterro ocorrerá no cemitério São João Batista. A polícia trabalha com a hipótese de tortura e execução. O crime está sendo investigado.

Polícia apreende R$ 150 mil com dois homens no saguão do Galeão, no Rio

Os dois serão indiciados por crime contra o sistema financeiro nacional. Como não foram pegos em flagrante, os suspeitos não foram presos.

Do G1 Rio de Janeiro

A delegacia do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, no subúrbio do Rio, apreendeu nesta quinta-feira (6) cerca de R$ 150 mil (US$ 70 mil e R$ 10 mil) com dois homens, que trabalhavam como maleiros. A suspeita é de que eles faziam câmbio ilegal nos saguões.

Como os homens não foram pegos em flagrante negociando o dinheiro, eles não foram presos, mas, segundo a polícia, serão indiciados por crime contra o sistema financeiro nacional.

Polícia prende suspeitos e encontra táxi usado por traficantes no RS

Operação contra o tráfico de drogas deteve seis pessoas em Glorinha. Segundo a polícia, grupo usava táxi para fazer entregas.

Do G1 Rio Grande do Sul

A Operação Glória, da Polícia Civil, prendeu na manhã desta sexta-feira (7) seis pessoas em Glorinha e Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Segundo a delegada Adriana Regina da Costa, os detidos são suspeitos de tráfico de drogas na região. O objetivo dos agentes era cumprir sete mandados de prisão.

Também foi apreendido um táxi. De acordo com a polícia, um dos homens era taxista e utilizava o automóvel para entrega de drogas. Durante as buscas também foram apreendidos celulares.

Os presos foram levados para a DPPA de Gravataí. Os seis detidos serão encaminhados ao Presídio Central de Porto Alegre. Uma mulher, menor de idade, foi apreendida. Drogas não foram encontradas.

Polícia Federal apreende cerca de R$ 150 mil no aeroporto do Galeão

Dinheiro estava com dois carregadores de mala suspeitos de câmbio ilegal

Do Portal R7 Notícias

A Polícia Federal apreendeu US$ 67.318 (o equivalente a quase R$ 140 mil) e R$ 10.622 com dois maleiros que trabalhavam no aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio de Janeiro, na tarde desta quinta-feira (6).

A suspeita é de que os dois homens trabalhavam fazendo câmbio ilegal de moeda estrangeira. De acordo com a polícia, eles foram flagrados pelo sistema de monitoramento interno por câmeras, da Infraero, em frente ao desembarque internacional do terminal 1.

O dinheiro estava espalhado em vários bolso na roupa dos suspeitos.

Os dois foram indiciados pelo crime contra o sistema financeiro nacional e crime contra a economia popular. O dinheiro apreendido e o inquérito policial ficaram a cargo da Polícia Federal.

Vítima de tentativa de assalto leva ladrão a delegacia, diz polícia

Ele foi obrigado pelo criminoso a dirigir e seguiu para o 12º DP. Suspeito foi preso na região central de SP, na quinta-feira (6).

Do G1 São Paulo

Um homem foi preso, na quinta-feira (6), na região central de São Paulo, depois de uma tentativa de assalto. O suspeito foi levado à delegacia por uma das vítimas, que havia sido obrigada pelo criminoso a dirigir o veículo em que estava durante o roubo.

As vítimas, um homem e uma mulher, contaram que estavam transportando tecidos em um carro quando foram abordados pelo ladrão no Parque Novo Mundo, Zona Norte da capital. Depois do anúncio do assalto, a vítima foi obrigada pelo assaltante a dirigir. O motorista, no entanto, seguiu em direção a uma delegacia no Centro.

“Ele veio aqui para a região e quando chegou na esquina da delegacia, abriu o carro e saiu gritando ‘socorro’ e que se tratava de um roubo. Policiais que estavam em frente ao 12º DP saíram correndo atrás do indivíduo e ele foi preso a algumas quadras da delegacia”, diz o delegado Éder Pereira e Silva.

A vítima, que ainda está abalada, conta que teve medo de morrer. “Tive muito medo porque a minha vida só existe uma.” O suspeito preso, segundo a polícia, tinha saído da cadeia em agosto, onde cumpriu pena por roubo.

Polícia não rastreia balas de execuções, diz fabricante. Policiais são suspeitos

CBC não consegue decifrar quem são os autores das mais de 400 mortes na recente onda de violência

Thaís Nunes, no Rede Bom DIA

Os estojos recolhidos em locais de crime na série de assassinatos registrada em São Paulo nos últimos três meses não foram rastreados pela Polícia Civil, revela a CBC, única fabricante de munições do país. Até ontem, a empresa diz não ter sido notificada pela polícia para ajudar a decifrar quem são os autores das mais de 400 mortes registradas na região metropolitana do Estado.

Cada munição fabricada pela CBC possui uma marcação exclusiva. Por meio desse registro, a empresa controla quando e para quem as balas foram vendidas. A indústria fornece para as polícias Civil e Militar de São Paulo e para as demais forças de segurança do país.

O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) afirmou, através da assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública, “que vários ofícios foram remetidos à empresa”. Informou também que as solicitações não foram respondidas, “mas estão dentro do prazo”. O departamento não esclareceu, entretanto, em quantos casos a CBC foi notificada e em quantos dias a empresa deve responder a polícia.

Salésio Nuhs, diretor comercial de relações institucionais da CBC, garantiu não ter conhecimento de nenhum ofício da Secretaria de Segurança de São Paulo que não tenha sido respondido . A empresa, explica Nuhs, tem prazo máximo de 24 horas para prestar esclarecimentos à polícia.

A execução da juíza Patrícia Acioli no Rio de Janeiro foi esclarecida graças ao rastreamento dos estojos deixados no local do crime. A CBC informou à investigação que a munição usada para matá-la havia sido comprada pelo batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, onde o réu confesso, Sérgio Costa Júnior, trabalhava. A pesquisa de origem do projétil nesse caso foi feita em 15 minutos.

Em maio, três policiais militares de Santos também foram presos assim. A Corregedoria da PM rastreou um estojo de munição .40, a mesma usada pela PM, de um lote destinado a 70 unidades da corporação.A participação de policiais é investigada  na recente onda de violência. O governo não informou quantos autores de assassinato foram presos ou identificados.

Assassinos recolhem cápsulas porque sabem da identificação

É quase um procedimento padrão: motoqueiros mascarados passam, atiraram em um grupo de pessoas e logo depois um carro passa e recolhe as cápsulas. Essa cena tem se repetido com frequência nos últimos meses, quando São Paulo passou a ser palco de uma guerra entre o crime organizado e a polícia.

Para um delegado da Polícia Civil, especialista na investigação de homicídios, a preocupação em recolher as cápsulas e adulterar a cena do crime é um indicativo de que os executores sabem que podem ser rastreados. “A  munição contrabandeada também pode ser rastreada, mas você descobre que foi vendida para uma loja no Paraguai, por exemplo, e fica por isso mesmo”, afirma.

O delegado explica ainda que oficiar o fabricante de armas é o bê-á-bá da investigação de homicídios e o próprio DHPP consegue identificar a numeração das armas usando lupas. A técnica é usada desde 2006 e ajudou a desvendar grupos de extermínio como os Matadores do 18, com atuação na Zona Norte.

Ontem, a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Cãmara dos Deputados esteve a empresa de armas CBC para realizar uma visita técnica. Na avalição do grupo, a crise na segurança pública de São Paulo tende a se agravar.

ADULTERAÇÃO DE LOCAL DO CRIME

São Luiz 4/12
Dois jovens foram mortos e PMs recolheram as balas, disseram as testemunhas

Osasco 24/11
Quatro mortos (uma criança de 5 anos). Testemunhas viram a PM recolher as balas

Taboão 18/11
Testemunhas viram homens, em um carro,  conversarem com  PMs e recolherem balas

Polícia confirma assassinato em fazenda e prende suspeito em Juina

Marcos Di Perez | TV Record de Juina, no 24 Horas News

Mais um crime contra a vida foi registrado em uma fazenda a 18 km do município de Juína na tarde desta segunda-feira, 3. Alvarino Augusto Lopes de 52 anos, vulgo “Baco Baco” matou seu colega de trabalho Sebastião Hilário da Cruz de 58 anos, a golpes de facão.

Segundo Alvarino, os dois estavam bebendo ‘pinga’ e acabaram discutindo, depois de ser agredido ele pegou um facão e desferiu golpes na cabeça da vitima que não resistiu os ferimentos e morreu sentado encostado na parede da casa.

Há informações que a vitima caso fosse socorrida poderia sobreviver aos golpes e a hemorragia pode ter sido a causa morte.

O crime foi descoberto no dia seguinte por outros funcionários que comunicaram a Polícia Civil, o suspeito foi preso quando arrumava a sua bolsa para fugir. A arma do crime foi apreendida e Alvarino foi autuado em flagrante delito pelo crime de homicídio.

Polícia Federal descobre segunda quadrilha de roubo de dados

Da Agência Globo, no Yahoo Notícias

Ao investigar por compra de dados sigilosos, a Polícia Federal chegou a uma advogada conhecida como “rainha do divórcio” e a uma segunda quadrilha, e descobriu um grupo especializado em envio ilegal de dinheiro para o exterior, do qual faziam parte agentes policiais.

Para a polícia, desde 2007, funcionários do escritório de Priscila Corrêa da Fonseca, conhecida advogada no ramo de família, compraram informações sigilosas. Professora da Faculdade de Direito da USP, ela ganhou dos alunos o apelido de “Priscila, rainha do divórcio”.

A advogada está entre os 57 indiciados pela Polícia Federal na Operação Durkheim. Segundo a Polícia Federal, era a secretária de Priscila, Miriam Machado do Carmo, a responsável pela compra dos dados, entre eles declarações de Imposto de Renda, que seriam usados em processos, como os de divórcio.

É a pedido do escritório de Priscila, segundo a polícia, que Eliane Francisca Pereira, uma das detetives presas na operação, levanta dados de Imposto de Renda de uma mulher que estava se divorciando. Em um e-mail, Eliane pede a um intermediário: “Capricha aí. esse serviço é conjugal, o objetivo é provar que ela tem como se sustentar financeiramente”.

Em outra mensagem, uma detetive combina com um servidor o envio de dois documentos sigilosos: “Quanto você vai me fazer os dois?”. O servidor responde: “2 mil com informações, detalhadamente e tudo o mais… tá bom?”.

Os valores cobrados pelos criminosos para vender informações sigilosas variavam de R$ 30 por um extrato bancário, por exemplo, até R$ 7 mil por uma escuta telefônica. A investigação mostrou que 10 mil pessoas podem ter sido vítimas da quadrilha, incluindo o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que teve seu sigilo telefônico quebrado.

Além de Kassab, foram espionados o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), líder do governo no Senado, o ex-ministro da previdência Carlos Eduardo Gabas, os desembargadores Luis Fernando Salles Rossi, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, e Julio Roberto Siqueira Cardoso, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Durante as investigações, a PF descobriu uma segunda quadrilha que praticava crimes financeiros. Itamar Ferreira Damião e José Carlos Ayres, para a polícia, agiam como intermediadores de sete grupos de doleiros. Um agente da policia federal é acusado de participar do esquema.

Segundo a polícia, eles enviavam recursos de clientes para o exterior e também parte do dinheiro arrecadado com a venda de informações sigilosas. O dinheiro ia principalmente para 20 contas em Hong Kong, na China, e, de lá, para diversos países. Com a quadrilha, a polícia aprendeu 29 carros e o equivalente a mais R$ 350 mil em diversas moedas.

O advogado de Itamar Ferreira Damião disse que o cliente dele não é chefe de nenhuma organização criminosa. Já o advogado de José Carlos Ayres não foi encontrado.

O escritório de Priscila Corrêa da Fonseca disse ter sido citado pela Polícia Federal porque duas profissionais autônomas que prestaram serviços no passado são investigadas, e que as atividades do escritório de advocacia não estão sendo investigadas na operação.

Polícia fecha barraco que produzia palmito irregular em Juquiá, SP

Quase mil quilos de palmitos foram encontrados prontos para venda. Produto era preparado sem condições adequadas de higiene.

Do G1 Santos e Região

A Polícia da cidade de Juquiá, no Vale do Ribeira, encontrou nesta segunda-feira (26) uma casa onde eram preparados palmitos Jussara em conserva. Segundo os policiais, a produção era feita em um barraco próximo ao centro de Juquiá, sem as condições adequadas de higiene. Uma pessoa foi presa.

A casa chamou a atenção dos policiais que passavam pelo local e avistaram potes de vidros de conservas vazios. Foram apreendidos 441 vidros de 1,8kg e 47 vidros com 300 gramas, prontos para serem vendidos, além de botijão de gás, potes de vidros vazios e outros produtos para a produção do palmito.

Os produtos apreendidos deverão ser descartados, já que não foram manipulados adequadamente. Segundo um dos policiais que fez a abordagem, a má procedência do produto é visível pela opacidade da água em que está armazenada, com pontos de ferrugens nas tampas, entre outros detalhes que podem ser percebidos ao olhar a embalagem.

Na abordagem, uma mulher foi encontrada no local e será indiciada por crime ambiental. A pena para esse tipo de crime é de seis meses a um ano de prisão e multa.