Início / Arquivos de tag: (página 2)

Arquivos de tag:

Polícia Civil estoura central de distribuição de drogas do PCC, em Peruíbe

Divulgação
As drogas seriam distribuídas em diversos pontos da Cidade

Eduardo Velozo Fuccia, em A Tribuna

Uma central de distribuição de drogas do Primeiro Comando da Capital (PCC), responsável pelo abastecimento de diversos pontos de tráfico de Peruíbe e Itanhaém, foi descoberta pela Polícia Civil com a prisão em flagrante de Anderson Clayton Nardini, de 30 anos.

Com prisão preventiva decretada em processo de roubo a uma agência da Caixa Econômica Federal, em São José dos Campos, e acumulando ainda antecedentes por tráfico e porte ilegal de arma, Anderson era o responsável pela central e levava uma vida acima de qualquer suspeita em Peruíbe.

“Com nome falso, ele abriu conta bancária e uma microempresa de prestação de serviços de limpeza. Aparentemente, levava uma vida pacata, simples e idônea, mas era importante peça do PCC em Peruíbe”, detalha o delegado titular do município, Francisco Wenceslau.

A coexistência dessas personalidades confundiu até mesmo os policiais, que só descobriram a verdadeira identidade de Anderson após prendê-lo em flagrante na última quinta-feira. O marginal se passava por um homem, cujos documentos foram perdidos.

Porém, embora ainda não tivesse apurado o real nome do acusado, o chefe dos investigadores, Luiz Roberto Monteiro da Fonseca, reuniu várias informações sobre ele nos últimos 15 dias. As principais davam conta sobre o endereço do averiguado e do local por ele usado para guardar drogas, situado na Rua 3, na Vila Erminda.

Com a informação de que na central de distribuição teria chegado considerável quantidade de drogas, a equipe do delegado Wenceslau e do investigador Monteiro para lá se dirigiu. Anderson tentou fugir, mas foi impedido e preso.

Sob uma cama foi achada uma mochila. Dentro dela havia 1.976 cápsulas de cocaína, um saco contendo 1,1 quilo de cocaína a granel, balança de precisão, revólver calibre 38 com a numeração raspada, touca ninja e anotações sobre pontos de abastecimento de entorpecentes.

“Esse tipo local usado para o preparo, o depósito e a distribuição de drogas é denominado pela facção criminosa de barraco-bomba. As investigações prosseguem para identificar, a partir de Anderson, outros envolvidos com a quadrilha”, declara o delegado.

A investigadora Ivana Caroline Rocha também participa das investigações. Ela realiza levantamento de homicídios ocorridos em Peruíbe ainda sem autoria esclarecida e com indícios de ligação com o narcotráfico, porque existem denúncias de que Anderson também era incumbido pelo PCC de eliminar desafetos da facção.

Polícia reforça segurança no litoral com Operação Verão

Ação começa na próxima quinta-feira, 26, e vai até 2 de fevereiro. Mais de 3 mil policiais civis e militares vão reforçar o policiamento nos 15 municípios litorâneos de São Paulo

O secretário-adjunto da Segurança Pública, Antonio Carlos Da Ponte, lança neste sábado (21), no Comando de Policiamento do Interior – 6, em Santos, a Operação Verão 2013/2014. Para aumentar a segurança nas férias de verão, as cidades do litoral de São Paulo ganharão reforço de 3.242 policiais civis e militares a partir da próxima quinta-feira (26), que vai até 2 de fevereiro.

Além de garantir a segurança de moradores e turistas que visitam a região, a ação prevê reforço policial nos terminais de passageiros e demais locais onde a circulação de pessoas aumenta durante o período.

Polícia Militar

Serão 2.292 policiais militares enviados às 15 cidades do litoral norte e sul: Caraguatatuba, Ubatuba, São Sebastião, Ilhabela, Iguape, Ilha Comprida, Cananéia, Santos, Guarujá, Bertioga, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe, São Vicente, Praia Grande.

O policiamento ainda vai ser reforçado por 534 PMs de unidades especializadas – Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), Comando de Operações Especiais (COE), Polícia Rodoviária e Grupamento de Radiopatrulha Aérea (GRPAe).

A proteção de banhistas também está incluída na Operação Verão. Para prevenir acidentes nas praias e evitar afogamentos, o Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar) vai contar com reforço de 91 bombeiros e 780 guarda-vidas temporários.

A região também contará com o apoio de 165 viaturas a mais e 3 helicópteros para salvamento e resgate, que serão enviados à região no período.

Polícia Civil e Científica

A Polícia Civil vai reforçar o trabalho nas delegacias com o envio de 325 policiais à região.

Além do reforço e remanejamento, a Polícia Civil vai suspender férias e licenças-prêmio e destinar viaturas de unidades especializadas à região, como do Grupo de Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) e das delegacias de Investigações Gerais (DIG) e sobre Entorpecentes (Dise).

As unidades da Polícia Técnico-Científica – Instituto de Criminalística (IC) e Instituto Médico Legal (IML) – também preveem intensificar o quadro de funcionários conforme necessidade.

Investimento

Além do reforço no efetivo, serão entregues 201 novas viaturas – entre motocicletas, quadriciclos e carros – para a região. São 104 para o Vale do Paraíba e Litoral Norte e 97 para a Baixada Santista e Vale do Ribeira. O investimento total foi de R$ 648.400.

Elas serão usadas em programas de policiamento da PM, como Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam), Ronda Escolar, Força Tática e Radiopatrulha. Parte das viaturas já está em uso.

Unidades do Corpo de Bombeiros das cidades receberão, ainda, 40 botes infláveis, 41 carretas rodoviárias, 43 motores de popa, 15 unidades de resgate e salvamento aquático, 45 motos aquáticas e 20 quadriciclos, a um custo de quase R$ 5 milhões.

Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo 

Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública
Rua Líbero Badaró nº 39 – Centro / Telefone: (0xx11) 3291-6685
Portal: www.ssp.sp.gov.br

Polícia de Peruíbe já tem suspeitos por morte de microempresária

Ruth Rodrigues, de 54 anos, foi encontrada morta em Peruíbe. Vítima teve ferimentos na cabeça
Foto: Divulgação
Veículo da microempresária foi encontrado 30 minutos antes do corpo

Por Gilmar Alves Jr., do Diário do Litoral

A Polícia Civil informou hoje (16) que já identificou os suspeitos pelo assassinato da microempresária Ruth Rodrigues, de 54 anos, cujo corpo foi encontrado na manhã de terça-feira (15), no bairro Una, em Peruíbe. Cerca de 30 minutos antes do encontro do corpo, o veículo da vítima, um Fiat Doblò verde, de placas EGA-7358, foi localizado pela Polícia Militar ainda em chamas no bairro Santa Cruz.

Detalhes sobre as apurações de autoria do crime ainda não foram divulgados pela Delegacia Sede de Peruíbe para não prejudicar o andamento dos trabalhos. Nas primeiras buscas próximo ao local onde o carro foi encontrado, uma equipe do Instituto de Criminalística (IC) encontrou um cobertor com várias manchas de sangue.

O desaparecimento de Ruth ocorreu na véspera. Ela saiu de casa, na Zona Leste de São Paulo, por volta de 6h30, com destino à casa de veraneio em Peruíbe, situada no Costão. O caseiro da residência disse para a polícia que a empresária esteve por cerca de uma hora na casa, entre 11h30 e 12h30, e não retornou mais.

O marido da vítima, um comerciante de 76 anos, registrou o desaparecimento na Delegacia de Peruíbe na noite de segunda-feira, logo após chegar ao município. Ele informou que os dois telefones celulares de Ruth estavam inoperantes, com chamadas indo para caixa-postal.

Corpo

De acordo com a polícia, o corpo da microempresária apresentava ferimentos na cabeça. O cadáver foi encontrado pouco antes das 12 horas de terça-feira por homens que cortavam palmitos perto da Estrada do Una. Policiais acionaram o marido de Ruth, que reconheceu a vítima no local.

O corpo foi encaminhado para o posto do Instituto Médico-Legal (IML) de Praia Grande, onde foi submetido a exame necroscópico. Após a liberação, foi levado para sepultamento na capital.

Polícia já tem suspeitos do assassinato de empresária

De A Tribuna On-line (Com informações de Bruno Lima)

A Polícia Civil já tem suspeitos para a autoria do crime contra a microempresária Ruth Rodrigues, de 56 anos, que teve o corpo encontrado em um terreno de Peruíbe, na manhã de terça-feira. Porém, com o intuito de não criar mais dificuldades nas diligências, optou por não divulgar detalhes das investigações.

A vítima foi localizada na estrada do Barra do Una, em Peruíbe, com ferimentos na região da cabeça. Ela morava em São Paulo, mas a família dela tinha uma casa de veraneio no Jardim Guarau.

De acordo com o marido de Ruth, um comerciante de 76 anos, na manhã da última segunda-feira ele saiu de sua casa, situada na Vila Matilde, São Paulo, para trabalhar, depois de combinar com a mulher que, após o expediente, a encontraria na residência de Peruíbe.

Ruth veio para o litoral sozinha, quando fez o último contato pelo telefone com o marido. Depois, segundo a polícia, ele não conseguiu mais contato com a esposa.

Conforme a versão do comerciante, enquanto ele trabalhava, a microempresária veio da capital a bordo do Fiat Doblô. Por volta das 11h30, segundo o caseiro da residência de veraneio, Ruth chegou ao local desejado, mas uma hora depois resolveu sair sem revelar o destino.

Conforme o que havia sido combinado anteriormente, o comerciante se dirigiu à casa no Jardim Guarau, mas, constatou que a microempresária não estava. Passou a dar telefonemas para os dois aparelhos celulares de Ruth, mas ambos mandaram as ligações para a caixa-postal.

Preocupado, ele compareceu à Delegacia Sede da Cidade e registrou boletim de ocorrência pelo desaparecimento da mulher.

Nesta terça-feira, o carro onde a mulher estava foi encontrado no bairro Santa Cruz, no limite com Itanhaém, totalmente queimado. A identificação do carro só pôde ser feita devido à localização de uma placa deixada a poucos metros do automóvel.

A Polícia Militar foi acionada para verificar uma ocorrência de veículo abandonado e em chamas. Ao chegarem ao local, os PMs viram uma equipe do Corpo de Bombeiros controlando as chamas. Durante as buscas feitas nas proximidades, foi localizado um cobertor com várias manchas de sangue.

Passados cerca de 30 minutos, homens que trabalham cortando palmitos na região da estrada do Barra do Una encontraram o corpo de Ruth já sem vida e acionaram a polícia. O comerciante foi conduzido ao local e fez o reconhecimento do corpo como sendo o da microempresária.

Após ser levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Praia Grande, o cadáver foi encaminhado à Capital.

Sai o edital da Polícia Militar de São Paulo com duas mil vagas para soldado

De A Tribuna On-line

Saiu, no Diário Oficial do Estado de São Paulo, o edital do próximo concurso que será realizado pela Polícia Militar (SP). O objetivo da corporação, desta vez, é o preenchimento de 2.000 vagas de soldado de 2ª classe.

O cargo exige nível médio completo, idade entre 18 e 30 anos, carteira de habilitação (categorias B, C, D ou E) e altura mínima de 1,60m para mulheres e 1,65m para homens. A remuneração é de R$ 2.563,28.

As inscrições começam às 10h de 21 de outubro e seguem abertas até as 16h de 22 de novembro. A Fundação Vunesp, empresa contratada para organizar e promover a seleção, inscreverá interessados por meio de sua página na internet (www.vunesp.com.br), cobrando taxa de R$ 50.

A prova objetiva será aplicada nas cidades de Araçatuba, Bauru, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba. Ela está prevista para 12 de janeiro de 2014, às 14h.

Polícia faz operação “Brinquedo Legal” e detém 10 comerciantes

Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo 

A Polícia Civil desencadeou na manhã desta quarta-feira (9) a operação “Brinquedo Legal”, na região central da Capital, com o objetivo de apreender brinquedos irregulares. Até o momento, 10 comerciantes foram detidos por venderem produtos em desacordo com as normas.

A ação começou às 9 horas e foi organizada por 21 policiais das delegacias da Divisão de Infrações Contra o Consumidor, do Departamento de Polícia e de Proteção à Cidadania (DPPC). As equipes apreenderam centenas de brinquedos irregulares nas lojas.

Imprensa

Os delegados da Divisão de Infrações Contra o Consumidor atendem a imprensa até as 17 horas de hoje (9) para falar sobre a operação “Brinquedo Legal”, no DPPC: Avenida São João, 1.247 – Centro.

Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública
Rua Líbero Badaró nº 39 – Centro / Telefone: (0xx11) 3291-6685
Portal: www.ssp.sp.gov.br

Polícia continua em busca de pistas que levem ao paradeiro do fotógrafo Paulo Freitas

N/A
Denúncia de um morador fez a polícia chegar até o automóvel, que estava em Mongaguá.

De A Tribuna On-line

As buscas por informações que aproximem a polícia à resolução do caso do desaparecimento do ex-repórter fotogáfico de A Tribuna e Expresso Popular, Paulo Freitas, continuam nessa quarta-feira. O último avanço das investigações ocorreu na noite desta terça-feira, quando, após denúncia de um morador, foi encontrado o carro de Paulo, um Ford Fiesta preto, de placa FEL 1710, estacionado e trancado no Centro de Mongaguá.

O veículo já foi periciado e guinchado para Itanhaém, onde permanece para mais averiguações da polícia. De acordo com o filho do jornalista, Eduardo Henrique Silva Freitas, o carro estava limpo, trancado e estacionado regularmente na via. Roupas ainda foram encontradas dentro do porta-malas do veículo, que estava sem gasolina e sem o equipamento de som.

Últimos registros

Paulo Freitas chegou em Itanhaém por volta das 11 horas de sábado, dirigindo o carro. Sua primeira parada na cidade foi na chácara que havia vendido há um ano e meio para conversar com o casal comprador.

“Quando ele (Paulo) chegou, eu não estava em casa. Ficamos de acertar os detalhes finais da escritura da chácara naquele dia”, fala Lauro Alves da Rocha, aposentado e comprador do antigo imóvel do jornalista. “Minha esposa permaneceu conversando com ele até o meio-dia, mas, devido a minha demora, disse a ela que iria até o bar, ao lado do campo de futebol, e voltaria no período da tarde para tomarmos um café. Só que ele não voltou. Como não tinha nos dito nada de que dormiria aqui, pensamos que tinha voltado para Santos”, completa Lauro.

N/A
Fotógrafo foi visto pela última vez no sábado, em um bar de Itanhém, com conhecidos.

No início da tarde, Paulo se acomodou no bar ao lado do campo de futebol na entrada da estrada. Segundo informações obtidas no bairro, o jornalista teria desfrutado da companhia de um amigo no estabelecimento até às 21 horas. “Neste horário, o amigo o deixou no bar sozinho e foi para a casa. A partir daí ninguém mais teve notícias dele”, acrescenta o aposentado.

Os investigadores da DIG já interrogaram este homem que permaneceu com Paulo ao longo do sábado. No entanto, foi descartado como suspeito.

Informações

Quem tiver informações que possam auxiliar a resolução do caso, pode entrar em contato pelo 181 (Disque Denúncia), 3228-3988 (5º DP de Santos), 3426-7677 (DIG de Itanhaém) ou 3299-8219 (família de Paulo)

Casal é preso e Polícia esclarece “crime da mala de Bragança”

Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo 

A Polícia Civil esclareceu a morte da adolescente R.S.M., de 15 anos, esquartejada em 14 de maio de 2012, em Bragança Paulista, no interior de São Paulo. Na época, o caso ficou conhecido como “crime da mala”. Uma mulher foi presa no domingo (22), o outro suspeito já havia sido detido na quinta-feira (19).

Agentes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Bragança, que investigavam o caso, foram informados de que policiais federais, no início da tarde de quinta-feira, haviam prendido M.P.W., 33, em Foz de Iguaçu, no Paraná.

Segundo as investigações, M.P.W. matou, esquartejou e colocou o corpo da jovem em uma mala, jogando-a em um lago na cidade onde moravam. Porém, ele teria recebido a ajuda de uma mulher.

Escondida no Paraguai

Com a prisão do rapaz, os policiais descobriram que a suspeita J.T.C.F., 21 anos, estaria escondida em Ciudad Del Este, cidade paraguaia na fronteira do país. Antes da chegada dos investigadores, a mulher escapou.

A equipe passou a vigiar a casa de J.T.C.F. no Paraguai. Sabendo que não teria para onde fugir, ela entrou em contato com a polícia e se entregou, às 9 horas do domingo (22), no lado brasileiro da Ponte da Amizade.

Relembre o caso

No dia 14 de maio do ano passado, R.S.M. saiu de casa com o filho recém-nascido e não retornou. Dias depois, o pai da jovem encontrou o neto no Rio Grande do Norte. O bebê teria sido levado para o norte por um casal amigo da vítima.

Dez dias depois, o corpo da vítima foi encontrado dentro de uma mala jogada no Lago do Orfeu, Jardim Europa, em Bragança Paulista. Investigações da DIG apontaram a dupla como suspeita do crime.

A prisão preventiva dos acusados foi pedida pela Polícia Civil.

Imprensa

O delegado titular da DIG, Sandro Montanari Ramos de Vasconcellos, concederá entrevista coletiva sobre o caso às 16 horas de hoje (23), na sede da delegacia: Avenida Dom Pedro I, nº 2.501, bairro Taboão, em Bragança Paulista.


Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública
Rua Líbero Badaró nº 39 – Centro / Telefone: (0xx11) 3291-6685
Portal: www.ssp.sp.gov.br

Polícia prende homem suspeito de tráfico de drogas em Peruíbe, SP

Ele foi encontrado em casa na noite desta terça-feira (10). Foram apreendidas mil cápsulas de cocaína e pedras da droga.

Do G1 Santos e Região

Um homem suspeito de praticar tráfico de drogas foi preso, na noite desta terça-feira (10), em Peruíbe, no litoral de São Paulo.

Segundo a polícia, o homem foi preso em casa, no bairro Vila Erminda. Ele estava sendo investigado há três meses por tráfico de drogas. Com o suspeito, foram apreendidas mil cápsulas de cocaína e pedras da droga.

Polícia Militar prende dupla suspeita de roubar residência em Jacupiranga

Homens foram encontrados após denúncia anônima. Assaltantes roubaram diversos aparelhos eletrônicos e um carro.
Foto: Divulgação/Polícia Militar de Jacupiranga
Criminosos usaram o carro da família para fugir

Do G1 Santos e Região

A Polícia Militar de Jacupiranga, no Vale do Ribeira, interior de São Paulo, prendeu dois homens suspeitos de roubar uma residência na cidade. Os assaltantes teriam usado uma arma durante o assalto. A dupla foi presa em flagrante e encaminhada à Cadeia Pública da cidade.

Após uma denúncia anônima, os policiais conseguiram encontrar os suspeitos e também os produtos roubados de uma casa no bairro Novo Botujuru. De acordo com as vítimas, os homens invadiram a casa, ameaçaram os moradores e roubaram diversos produtos eletrônicos. Os homens fugiram do local com o carro da família.

A primeira denúncia levou os policiais até o paradeiro do carro roubado, que estava abandonado em uma estrada das redondezas. Os suspeitos foram encontrados logo depois, dentro de um bar. Um jovem de 19 anos, e outro de 22, foram identificados pelas vítimas. Com a dupla a polícia encontrou todos os produtos roubados, além de um simulacro de arma e uma touca ninja.

De acordo com a polícia, um dos jovens preso tinha antecedentes criminais, e era procurado pela justiça. A dupla foi presa em flagrante delito e recolhida à Cadeia Pública de Jacupiranga.

Foto: Divulgação/Polícia Militar de Jacupiranga
Produtos roubados foram recuperados

Pelos céus: Serviço aéreo da Polícia Civil faz 29 anos

As equipes atendem em média 36 ocorrências por mês e contam com quatro helicópteros
Polícia Civil
Em 29 anos, o SAT atendeu mais de 14 mil ocorrências

Da Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública

Criado em 1984, o Serviço Aerotático da Polícia Civil completa nesta quarta-feira (14) 29 anos de existência e já acumula mais de 14 mil horas de voo.

Um dos primeiros pilotos dos helicópteros Pelicano, o delegado divisionário da Divisão de Operações Especiais (DOE) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Roberto Bayerlein, afirma ter satisfação em fazer parte da equipe acostumada a atuar em situações de perigo.

“Fiz do meu trabalho como uma missão a ser cumprida. Criar, crescer e estabilizar o Serviço Aerotático na polícia. A gente sente o prazer de ajudar”, diz Bayerlein, que iniciou a carreira no SAT em 1984, quando o Governo comprou o primeiro helicóptero. Na época, ele era o mais jovem entre os quatro pilotos.

O trabalho da equipe exige inteligência e união diariamente. Além de prestar serviço às unidades policiais, o SAT atua em situações de catástrofes naturais, no reconhecimento de locais de cativeiros ou de plantações ilegais de entorpecentes, locais onde possa ocorrer crime ambiental, auxilia no transporte de órgãos, entre outros.

Em média, as equipes do SAT atendem 36 ocorrências por mês. Até hoje, nos quase 30 anos de existência, foram mais de 14 mil atendimentos.

Segundo levantamento feito pela equipe, a maior parte destes atendimentos envolveram  apoios a viaturas em casos de cercos, buscas ou perseguições, com 7.603 casos.  Em outras 6.022 situações referem-se a ocorrências de roubos.

Houve também 712 casos de escoltas de presos, rebeliões ou fugas; 244 localizações de veículos; 213 resgates médicos ou transportes de órgãos e 202 missões envolvendo casos de sequestros.

Os quatro helicópteros Pelicanos que atualmente compõem o SAT têm capacidade máxima para seis profissionais. Mas, na rotina da equipe atuam apenas quatro – dois pilotos e dois tripulantes – para melhor execução de manobras.

Divisão

Alçado ao nível de Divisão de Operações Especiais (DOE) em maio deste ano, o SAT passou uma reestruturação. O serviço continua vinculado ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

O delegado titular do SAT, Paulo Sergio Pilz e Campos Mello, explica que a mudança permitiu a maior integração do serviço. “O entrosamento entre policiais do Garra [Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos] e do SAT, tanto terrestre como aéreo, ficou mais forte do que antes.”

Requisitos para se tornar um piloto do SAT

Disciplina, tempo e persistência são as palavras chaves para se tornar um tripulante ou piloto do SAT. Os policiais passam por provas rigorosas, que vão dos exames teóricos, práticos, psicológicos aos físicos.

São seis anos no mínimo para conseguir alcançar o posto de piloto ou tripulante operacional. Para estar em ocorrências do dia a dia com o Pelicano são necessárias 100 horas de voo. O tão almejado cargo de comandante de uma aeronave requer no mínimo 500 horas de voo em atendimento.

Com 25 anos de histórias com o Pelicano, o delegado Fábio Coan Sampaio, de 50 anos, conta que o caso mais marcante entre os 30 anos em que está na Polícia Civil foi a missão de auxiliar moradores de Santa Catarina durante as enchentes de 2008.

Por causa das fortes chuvas no mês de novembro, cerca de 60 cidades foram afetadas. Houve deslizamentos de terra e várias cidades ficaram com os acessos por vias terrestres bloqueados.

Convocado para auxiliar nos resgates, o Pelicano chegou a lugares que ninguém podia chegar.

“Em trabalho conjunto com a Polícia Militar, nós fizemos uma operação humanitária, foram centenas de missões em 12 dias. Foi um trabalho que valeu a pena fazer. Nós da equipe do SAT transportamos medicamentos, comidas, removemos pessoas e animais em risco”, relembra Sampaio.

Polícia Militar fecha mais um bingo clandestino em Peruíbe, SP

PM encontrou 24 máquinas caça-níqueis, 13 jogadores e funcionários. Casa onde funcionava o bingo foi alvo de denúncias nesta segunda (12).
Foto: Divulgação/Policia Militar
Máquinas caça níqueis foram apreendidas em Peruíbe

Do G1 Santos e Região

Um bingo clandestino foi fechado na noite desta segunda-feira (12) em Peruíbe, no litoral de São Paulo. Várias pessoas que estavam jogando no local foram encaminhadas para a delegacia e liberadas após depoimento.

Segundo informações da Polícia Militar, uma denúncia anônima levou os policiais militares a uma casa na rua Tucuruvi, no Centro de Peruíbe. No local, eles encontraram um bingo clandestino. Os policiais apreenderam 24 máquinas caça-níqueis, em três salas diferentes, além de uma quantia em dinheiro que estava nas máquinas.

No total, 13 pessoas estavam jogando nas máquinas e cinco funcionários trabalhavam no local. Eles foram encaminhados para 1º Distrito Policial da cidade, mas ninguém ficou preso.

Polícia Civil apreende mais de 30 jovens em operação em Praia Grande

Operação aconteceu nesta sexta-feira (2) para evitar crimes na cidade. Foram apreendidas bicicletas e diversas pessoas foram para a delegacia.

Do G1 Santos e Região

A Polícia Civil em Praia Grande, no litoral de São Paulo, fez uma operação nesta sexta-feira (3) com o objetivo de evitar crimes na cidade. Os policiais apreenderam 40 bicicletas e 30 adolescentes foram levados para a delegacia.

A Polícia Civil fez um levantamento das últimas ocorrências de roubo na cidade. Os investigadores mapearam os locais onde os criminosos mais agiram e também traçaram o perfil dos assaltantes. “Seriam adolescentes, menores de 18 anos e com modos operantes, de bicicletas. Geralmente, eles estariam valendo-se desse veículo por ser rádido para render as vítimas. O foco deles seria bicicletas, celulares e objetos de fácil locomoção”, disse o delegado Bruno Matteo Lázaro. Assim, eles foram para os lugares com o maior número de ocorrências.

Ao todo, os policiais apreenderam 40 bicicletas na orla da praia. Todas apresentavam algum tipo de modificação do modelo original. Segundo a polícia, essa é uma tática utilizada pelos criminosos para que as vítimas não identifiquem os veículos. Além disso, 30 adolescentes foram levados para a Delegacia Sede da Cidade.

Durante a operação, os policiais também apreenderam dois menores por receptação. Eles estavam com uma moto roubada. Outras duas pessoas também, foram trazidas para a delegacia por porte e tráfico de drogas.

O delegado explica que um dos objetivos desse trabalho é criar um banco de dados para ajudar na investigação de crimes.”A gente procura cadastrar adolescentes que já tiveram passagens criminais. Com base nisso, foi feito um registro deles um pouco mais detalhado por já terem migrado do crime, eles agora vem do crime, já temos cadastro, perfil e endereço de onde eles atuam”, disse o delegado.

Polícia Civil prende mulher com 790 pedras de crack no centro

Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo 

Foto: Polícia Civil
As drogas estavam embrulhadas em papel alumínio

A Polícia Civil prendeu uma mulher em flagrante com 790 pedras de crack, às 7 horas desta quinta-feira (27), na Rua dos Estudantes, região central da Capital.

Após denúncia anônima, policiais do 1º Distrito Policial (Sé) foram até o local indicado e encontraram a doméstica M.A.G., de 47 anos, carregando 784 pedras de crack, embrulhadas em papel alumínio, prontas para venda.

O entorpecente estava dentro de sacolas de compras e pães. A droga seria vendida no centro de São Paulo.

Presa em flagrante e levada ao 1º DP, a mulher foi revistada por uma policial feminina, que encontrou mais cinco pedras de crack no sutiã da mulher. Ela foi indiciada por tráfico de drogas e permanece detida, à disposição da Justiça.

As pedras foram encaminhadas à perícia do Instituto de Criminalística (IC).

Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública
Rua Líbero Badaró nº 39 – Centro / Telefone: (0xx11) 3291-6685
Portal: www.ssp.sp.gov.br

Polícia apreende 62 kg de crack em fundo falso de caçamba em Cajati

Fernando Diegues, no A Tribuna

O nervosismo do motorista de uma caminhonete resultou na descoberta de 62 quilos de crack escondidos no fundo falso da caçamba, em Cajati, no Vale do Ribeira. Morador de Curitiba, no Paraná, o vendedor Luiz Alberto Ditz, de 34 anos, foi preso em flagrante.

A apreensão aconteceu na altura do KM 517 da Rodovia Regis Bittencourt, no final da tarde de quinta-feira. Conforme o apurado, uma equipe da Polícia Rodoviária Federal fazia patrulhamento pela rodovia quando viu uma caminhonete Nissan cinza. Ela estava estacionada junto a uma borracharia.

Os policiais resolveram abordar o veículo e suspeitaram do nervosismo do motorista. A equipe passou a fazer uma vistoria minuciosa no veículo e descobriu que havia um fundo falso no compartimento de carga.

Tabletes

A droga foi encontrada quando a capota e o revestimento de fibra do carro foram retirados. Ao todo eram 80 tabletes de crack que pesavam 62,33 quilos.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão em flagrante contra o vendedor. Segundo a Polícia Rodoviária, o acusado alegou que vinha de Foz do Iguaçu, mas o entorpecente teria saído do Paraguai.

Possivelmente o crack seria levado para São Paulo. O flagrante foi registrado na Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Jacupiranga.

Polícia Rodoviária apreende mais de 60 quilos de crack em Cajati, SP

Droga foi encontrada com um representante comercial de Curitiba (PR). Entorpecente estava escondido no fundo falso de uma caminhonete.
Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária
Droga estava escondida dentro de fundo falso de caminhonete

Do G1 Santos e Região

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu, nesta quinta-feira (20), mais de 60 quilos de crack em Cajati, no interior de São Paulo. A droga foi encontrada com um representante comercial morador de Curitiba (PR). O entorpecente estava escondido no fundo falso de uma caminhonete.

Segundo a polícia, a equipe da 5ª Delegacia, com sede em Registro (SP), estava em patrulhamento de rotina na altura do Km 517 da Rodovia Régis Bittencourt quando suspeitou de uma caminhonete estacionada em uma borracharia. Quando os policiais abordaram o motorista, um representante comercial de 34 anos, residente em Curitiba, ficou nervoso. Diante dessa reação, foi iniciada uma vistoria mais minuciosa no veículo.

Os policiais rodoviários encontraram um fundo falso no interior do compartimento de carga, que só foi descoberto após a remoção da capota de fibra e do revestimento da caçamba. Dentro, estavam escondidos 80 tabletes de crack, pesando um total de 62,33 quilos.

O representante comercial foi preso em flagrante por tráfico de drogas e recolhido para o sistema carcerário da região. A pena para esse tipo de crime é de cinco a 15 anos de reclusão.

Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária
Foram apreendidos mais de 60 quilos de maconha em Cajati, SP

Polícia de Juquiá, SP, prende homem após roubo em consultório dentário

Homem foi flagrado com diversos objetos de dentistas. Prisão ocorreu no Centro da cidade nesta quinta-feira.

Do G1 Santos e Região

A Polícia Militar em Juquiá, no interior de São Paulo, prendeu na madrugada da última quinta-feira (13) um homem suspeito de praticar crime em um consultório odontológico na cidade. A polícia afirma que reforçou as ações preventivas em torno de consultórios de dentistas, devido às recentes ações criminosas direcionadas a estes locais.

O flagrante foi feito na avenida Brasil, no Centro da cidade, em frente a um consultório odontológico. Segundo a polícia, um homem suspeito chamou a atenção, sendo submetido a uma abordagem. A polícia encontrou com o homem diversos objetos, supostamente roubados.

A polícia afirma que, nos bolsos, o homem escondia relógio, isqueiros, placas de dentes, escovas, lupa e um cheque no valor de R$ 190, além de outros materiais e produtos odontológicos. Com a suspeita, a dona do consultório foi chamada e afirmou à polícia que o local havia sido arrombado.

O homem, de 35 anos, foi preso em flagrante. Segundo a polícia, ele já tinha passagem por furto. Desde o dia 17, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo disponibilizou um serviço telefônico gratuito para receber denúncias. Os profissionais devem ligar para o número 0800-7005572.

Polícia prende motorista que sequestrou e estuprou jovem de Praia Grande a Peruíbe

Crimes foram cometidos entre os dias 4 e 6 do início do mês nas cidades de Itanhaém, Peruíbe e Mongaguá
 (Foto: Divulgação)
O motorista Gilberto de Lima Leite, de 39, foi preso pela Polícia Civil, na noite de ontem (10)

Thales Mauá, da Reportagem do Diário do Litoral

Seis dias após estuprar e sequestrar uma balconista, de 20 anos, o motorista Gilberto de Lima Leite, de 39, foi preso pela Polícia Civil, na noite de ontem (10), em Itanhaém. O criminoso manteve a vítima em cárcere durante dois dias, percorrendo as cidades de Mongaguá, Praia Grande, Peruíbe e Itanhaém, abusando da balconista e consumindo entorpecentes.

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém realizavam diligências pelas vias da cidade, quando, por volta das 19h, avistaram o veículo de Gilberto, um Peugeot vinho, trafegando pela Avenida Harry Forssel, no Jardim Belas Artes.

Ao visualizarem o veículo, investigadores abordaram o motorista e o encaminharam à DIG. Na unidade policial, a balconista reconheceu Gilberto. O acusado teve prisão temporária decretada pela 1ª Vara Criminal de Mongaguá.

No veículo do acusado foram apreendidos um facão, um lubrificante e pacotes de preservativo. Sob o comando do delegado da DIG, Douglas Borguez, do chefe dos investigadores, Mário Augusto, os policiais José Braz e João Paulo realizaram a prisão de Gilberto.

O crime

Na noite do último dia 4, a vítima saía de seu trabalho, um quiosque na orla de Praia Grande, quando parou em um ponto de ônibus.

Nesse momento, Gilberto passava pelo local com seu veículo, parou no ponto de ônibus e abordou a vítima. O motorista afirmou que era policial federal, ordenando que a jovem entrasse no carro, se não ele a mataria.

Após arrebatar a balconista, Gilberto se dirigiu a cidade de Mongaguá, onde em um matagal próximo do Rio Preto, estuprou a jovem.  Ainda naquele município, o criminoso teve problemas no veículo e solicitou ajuda de um homem, mandando a balconista ficar em silêncio.

Em um momento de distração do acusado, a jovem conseguiu escrever um bilhete pedindo socorro e jogou para fora do veículo.

Segundo relatou a balconista, durante o dia Gilberto consumia tóxicos, como cocaína e crack e no período da noite abusava sexualmente dela.  A jovem informou ter sido estuprada inúmeras vezes. De acordo com a balconista, Gilberto estava muito alterado devido a farta utilização de drogas.

Na manhã do dia 6, ao perceber que a gasolina do veículo estava acabando, Gilberto liberou a vítima. A jovem conseguiu ajuda de uma mulher e foi até a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) onde registrou o caso.

 (Foto: Divulgação)
Ao visualizarem o veículo, investigadores abordaram o motorista e o encaminharam à DIG

Polícia de Cajati, SP, encontra fábrica de palmito clandestina no Inferninho

Em maio a polícia apreendeu duas toneladas do produto saindo da cidade. Esse tipo de crime ambiental é comum no Vale do Ribeira.
Foto: Divulgação/PM
Produto era manipulado no meio do mato, sem condições de higiene

Do G1 Santos e Região

A Polícia Ambiental de Cajati, no interior de São Paulo, encontrou uma pequena fábrica no meio do mato, onde se produzia palmito em conserva em condições precárias de higiene. No barraco, encontrado em uma terreno particular, foram encontrados 175 potes de palmito do tipo jussara, prontos para comercialização, e 136 unidades in natura do produto.

A ocorrência aconteceu no domingo (9), durante fiscalização de rotina. O local onde os produtos foram encontrados fica no bairro Inferninho. Um homem, caseiro do terreno particular, que assumiu ser o responsável pelo material apreendido, foi ouvido e liberado em seguida.

Em maio (6), a polícia da cidade havia apreendido duas toneladas de palmitos, pronto para o consumo, em uma caminhonete com placa de São Paulo. Na sexta-feira (7), em Sete Barras, foram apreendidos 300 quilos do produto fabricado da mesma forma.

Segundo a Polícia Militar Ambiental do Vale do Ribeira, a apreensão de palmitos extraídos e fabricados ilegalmente é comum na região. Os infratores geralmente prestam depoimento, assinam termo circunstanciado e são liberados, podendo ser multado ou não pelo crime ambiental.

Foto: Divulgação/ Polícia Militar Ambiental
Crime é comum no Vale do Ribeira

Polícia Civil divulga retrato falado de suspeito de latrocínio

Polícia Civil - DHPPDa Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública

A Polícia Civil divulgou o retrato falado do suspeito de ter assassinado um comerciante, de 50 anos, durante um roubo ocorrido às 12h10 de 20 de fevereiro deste ano, na Rua Miguel Teles Júnior, no bairro do Cambuci, no centro da Capital.

O comerciante sacou R$ 7 mil em uma agência bancária. Ao chegar próximo da empresa onde era proprietário, desceu do veículo Fiat Fiorini e foi abordado por um homem armado, que anunciou o assalto. A vítima foi baleada. O autor dos disparos fugiu na garupa de uma motocicleta.

Durante as investigações, testemunhas e imagens de câmeras de monitoramento auxiliaram na elaboração de retrato falado do suspeito.

A 3ª Delegacia de Repressão a Homicídios Múltiplos do Departamento Estadual de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) prossegue com as investigações.

Denuncie

Quem tiver qualquer informação sobre o possível autor, pode ligar no Disque Denúncia, pelo número 181. O serviço é gratuito, válido para todo o Estado, e não é necessário se identificar.

Criado em outubro de 2000, por meio de uma resolução da secretaria da Segurança Pública (SSP) em parceria com o Instituto São Paulo Contra a Violência, O Disque-Denúncia funciona 24 horas por dia, durante os sete dias da semana, em todo o Estado. A ligação é gratuita e o sigilo das informações é absoluto. Também é possível fazer a denúncia pelo 190 da Polícia Militar.

Entregador de pizza é alvo de golpe de bandidos em Iguape. Ladrão é morto pela polícia

Fernando Diegues, em A Tribuna

O que seria um assalto contra um entregador de pizzas terminou com um acusado morto e outro preso em Iguape, no Vale do Ribeira, no final da noite de quarta-feira. O confronto aconteceu após PMs desconfiarem do local onde a vítima faria a entrega.

Por volta das 23 horas, uma equipe da Polícia Militar estava em patrulhamento pelo bairro Rocio. Na esquina das ruas Jalde Antônio Fragoso e Registro os policiais foram abordados por um motociclista, que queria informações sobre como chegar na Travessa 16 da Rua da Lagoa para entregar uma pizza.

Os policiais explicaram o caminho e alertaram que o local era pouco movimentado e escuro. Suspeitando que poderia ser um assalto, a equipe foi na frente da vítima.

Dupla

Quando os policiais entraram com a viatura na travessa, viram dois homens caminhando e com os rostos parcialmente cobertos. Posteriormente eles foram identificados como o pescador Alef de Andrade Tobias, de 19 anos, e Richard Thawan Paz de Lima, de 22 anos.

Ao perceber a aproximação da viatura, Richard teria sacado algo que aparentava ser uma arma de fogo. Por causa disso um dos policiais reagiu e disparou duas vezes contra o suspeito, que caiu ferido no chão.

O outro homem foi detido e o baleado chegou a ser socorrido, mas não resistiu. Depois do confronto foi constatado que o ferido estava com uma arma de brinquedo, imitando uma pistola.

Alef recebeu voz de prisão e foi levado para a Delegacia Sede de Iguape. Questionado, o detido confirmou ter simulado a compra de uma pizza e pedido troco para R$ 100,00 com a intenção de cometer o roubo.

Polícia Ambiental apreende mais de 300 quilos de palmito em Eldorado

Apreensão foi na tarde deste sábado (4), na rodovia SP-165. Homem responderá por crime ambiental e vai pagar multa de R$ 90 mil.
(Foto: Divulgação / Polícia Ambiental)
Apreensão de palmitos foi na cidade de Eldorado

Do G1 Santos e Região

A Polícia Ambiental em Eldorado, no interior de São Paulo, apreendeu mais de 300 quilos de palmito juçara na tarde deste sábado (4). Um homem foi multado e vai responder em liberdade por crime ambiental.

O produto foi encontrado embalado em latas dentro de um carro, que foi parado em abordagem de rotina da polícia. O flagrante aconteceu no Km 83 da rodovia SP-165, em Eldorado.

O motorista do veículo foi encaminhado à delegacia para prestar depoimentos. Ele será multado em R$ 90 mil e responderá em liberdade por crime ambiental.

Pedreiro é morto em Peruíbe após abraçar o filho pedindo para não morrer, diz polícia

Outro homem foi assassinado em Peruíbe, SP, na frente da esposa. Polícia acredita que crimes tenham ligação e sejam um acerto de contas
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Sérgio Neves Mateus é um dos suspeitos do duplo homicídio. Polícia divulgou imagem do homem que já é considerado foragido

Do G1 Santos e Região

Dois homens foram mortos a tiros em Peruíbe, no litoral de São Paulo, nesta quarta-feira (2). As vítimas moravam em casas próximas e, segundo a polícia, foram executadas pelo mesmo grupo. Ainda de acordo com informações da polícia, um dos homens chegou a segurar o filho de dois anos, implorando para não morrer. A polícia já identificou um dos suspeitos.

O crime ocorreu no bairro Caraguava. Flávio Aparecido dos Santos Pereira, de 25 anos, e Lourival Bezerra da Silva, de 23 anos, eram pedreiros, mas, segundo o delegado Francisco Wenceslau, da Delegacia Sede de Peruíbe, faziam parte de um grupo especializado em roubo de cargas e comércios. “Os autores dos crimes e as vítimas são da mesma quadrilha. Tudo leva a crer que foi um acerto de contas”, revela.

Um dos suspeitos do duplo homicídio já foi identificado. “Ele já estava sendo investigado por roubos na região. Agora já é considerado foragido por conta desse crime”, explica o delegado.

De acordo com a polícia, os assassinatos aconteceram em um intervalo de poucos minutos. O primeiro a ser executado foi Flávio. Ele estava no banheiro de casa quando três homens usando toucas na cabeça arrebentaram a porta e invadiram a residência. Dois deles dispararam contra o pedreiro, que morreu no local. A mulher da vítima estava no local e viu tudo.

Pouco tempo depois, a 350 metros do primeiro homicídio, foi a vez de Lourival ser assassinado por três homens com as mesmas características. Ele estava com a mulher e o filho de dois anos quando o grupo invadiu a casa. O pedreiro chegou a abraçar o menino, pedindo para não ser morto, mas os criminosos atiraram mesmo assim. O homem ainda foi socorrido por parentes, mas não resistiu e morreu na frente de casa. A criança não foi atingida.

Polícia esclarece mortes de pedreiros em Peruíbe

(Foto: Divulgação)
Flávio e Lourival foram mortos após roubaram objetos furtados de seus comparsas

Thales Mauá, da Reportagem do Diário do Litoral

Horas após as execuções dos pedreiros Flávio Aparecido dos Santos Pereira, de 25 anos, e Lourival Bezerra da Silva, de 23, a Polícia Civil de Peruíbe esclareceu os crimes.

Informações preliminares indicam que as vítimas pertenciam a uma quadrilha que realizava furtos em Peruíbe e foram executadas pelos próprios comparsas.

Flávio e Lourival foram mortos após assaltarem a casa de um de seus comparsas, o também pedreiro Sérgio Neves Mateus, de 37 anos. Na casa dele, localizada na Rua Bauru, no Caraguava, os pedreiros recolheram na noite de terça-feira, diversos objetos, entre televisões e outras mercadorias roubadas pela quadrilha.

Sérgio é apontado como responsável pelos disparos que mataram Flávio e Lourival. Ele está foragido e sua prisão preventiva foi requerida pelo delegado Francisco  Antônio Wenceslau.

Dois homens que participaram das execuções com Sérgio e pertencem a quadrilha estão identificados e foragidos. Seus nomes não serão divulgados para não atrapalhar as investigações.

A primeira vítima do trio foi Flávio.  Por volta das 3h, o rapaz estava em sua residência, na Rua Piracicaba, quando os atiradores entraram no imóvel e o executaram com cinco tiros.

Logo depois, o trio foi até a casa de Lourival, na Rua Bauru. A vítima foi morta na frente de seu filho de 2 anos.

%

Polícia de Peruíbe, SP, prende trio que roubava residências no litoral sul

Suspeitos assaltaram duas casas no mesmo dia. Todos os objetos e veículos roubados foram recuperados.

Do G1 Santos e Região

A Polícia em Peruíbe, no litoral de São Paulo, prendeu, nesta quinta-feira (2), três homens suspeitos de roubar residências no litoral sul. De acordo com a polícia, o trio foi encontrado na avenida Luciano de Bona quando voltava de outro furto.

Ainda segundo os policiais, os criminosos assaltaram um imóvel na cidade e fugiram com o carro da vítima levando equipamentos eletrônicos. Em seguida, eles foram para Itanhaém, também no litoral de São Paulo, e roubaram outra casa.

O trio foi surpreendido pela polícia quando retornava para Peruíbe. Os criminosos foram levados para a delegacia e todos os objetos e os veículos roubados foram recuperados.

Polícia persegue van clandestina por 26 quilômetros pela Baixada Santista

Créditos: Cláudio Vitor Vaz
Outras duas vans também foram apreendidas por policiais militares

Eduardo Velozo Fuccia, de A Tribuna

O motorista de uma van que transportava passageiros do Litoral Sul para São Paulo desobedeceu a uma ordem de parada de policiais militares, na manhã desta sexta-feira, e fugiu em alta velocidade, colocando em risco a vida dos ocupantes desse e de outros veículos.

Até ser alcançada, a van percorreu 26 quilômetros, passando por Praia Grande, São Vicente e Cubatão. Durante a perseguição, uma viatura da PM contou com o apoio de um helicóptero da corporação, que monitorava do alto a rota de fuga, e de patrulheiros rodoviários, que interceptaram o veículo de lotação.

A abordagem ocorreu na Rodovia Padre Manuel da Nóbrega, em Cubatão, cerca de três quilômetros após a praça de pedágio do Humaitá, na Área Continental de São Vicente.

Dotada de dispositivo eletrônico de cobrança, a van passou pela praça de pedágio em alta velocidade, sem parar. Os soldados Clécio Nunes e Émerson Mazzeo, da viatura 45-131, vinham logo atrás, momento em que a cancela do pedágio abaixou e foi arrancada.

O suporte que afixa o giroflex na parte superior do carro oficial também ficou danificado, mas os policiais não se feriram. Mais à frente, patrulheiros rodoviários interceptaram a van.

“Achei que o motorista não ia parar. Ele passou a mais de 100 km/h pelo pedágio, quando a velocidade máxima permitida é de 40 km/h. Ele ainda falava no rádio com outra pessoa enquanto dirigia. Eu só pensava em minha filha, que tem 8 anos”, narra uma promotora de vendas, de 28.

Um dos sete passageiros da van, a mulher embarcou em Mongaguá e pagaria R$ 25,00 para ser levada até a Estação Jabaquara do Metrô, na Zona Sul da Capital. Uma aposentada de 68 anos, que embarcou em Itanhaém e pagaria R$ 30,00 para ser levada ao mesmo destino, resume a conduta do motorista: “parecia um louco”.

De acordo com os soldados Nunes e Mazzeo, a perseguição começou na Avenida Ministro Marcos Freire, na altura do viaduto 2 da Via Expressa Sul, na Vila Mirim, em Praia Grande. “Fazíamos um patrulhamento de rotina e demos um sinal de parada para a van, mas o seu condutor iniciou a fuga em alta velocidade”, detalham.

No mesmo bairro, na Avenida Júlio Prestes de Albuquerque, outras duas lotações foram alvos de fiscalização, mas os seus motoristas atenderam à ordem de parada. Após a constatação do transporte intermunicipal de passageiros irregular, foi elaborado termo circunstanciado (TC) versando sobre a contravenção penal de exercício ilegal de profissão.

Créditos: Cláudio Vitor Vaz
A praça do pedágio do Humaitá, em São Vicente, teve uma das cancelas danificadas pela perseguição

Lotação é vinculada à Taxi Van

O delegado Luiz Evandro de Souza Medeiros, do 1º DP de Praia Grande, apreendeu a van e a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de Alexandre André Reberte, de 29 anos, o motorista da lotação perseguida por 26 quilômetros. O veículo está em nome de outra pessoa.

Acusado de cometer o crime de desobediência e as contravenções penais de exercício ilegal de profissão e de direção perigosa de veículo na via pública, Alexandre foi liberado após a elaboração de termo circunstanciado (TC).

Essas infrações penais não sujeitam o autor a prisão em flagrante e são apreciadas diretamente pelo Juizado Especial Criminal (Jecrim), segundo explicou o delegado Medeiros.

A lotação está vinculada à Associação de Proprietários e Condutores Autônomos de Vans, Micro-ônibus e Similares de Peruíbe (Táxi Van), cujo presidente, Fábio Luiz Trindade, o Juarez, foi recentemente condenado a 8 anos, 6 meses e 20 dias de reclusão pelos crimes de associação para o tráfico e formação de quadrilha.

Com cerca de 70 associados, a Táxi Van é acusada pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) de realizar clandestinamente o transporte remunerado intermunicipal de passageiros.

Sob o amparo de liminar concedida em junho de 2011 pela 1ª Vara Judicial de Peruíbe, a Táxi Van conseguiu que seus veículos deixassem de ser fiscalizados por agentes da Artesp. A autarquia, porém, cassou a liminar junto à 7ª Camara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

O órgão colegiado do TJ-SP decidiu por unanimidade, em 12 de julho de 2012, que os atos administrativos têm presunção de veracidade e legalidade, não podendo o administrado se blindar de seus efeitos com a simples alegação de que atua sob o respaldo de liminar ou outra proteção jurisdicional.

No entanto, a Táxi Van conseguiu mais duas liminares com teor idêntico ao da primeira. Desta vez, as medidas foram dadas pela 3ª Vara Judicial de Embu das Artes e pela 1ª Vara da Fazenda Pública de Marília, cidades que não guardam relação com o local onde fica a sede da associação e com a linha de transporte por ela explorada.

Por meio de interposição de agravo de instrumento, a Artesp conseguiu suspender os efeitos da liminar concedida pela 1ª Vara da Fazenda Pública de Marília. Essa decisão foi publica na edição de sexta-feira do Diário Oficial do Estado.

Polícia de SP divulga retrato falado de suspeitos de matar dentista queimada

Retrato falado de dois suspeitos de matar dentista queimada em São Bernardo do Campo
Retrato falado de dois suspeitos de matar dentista queimada em São Bernardo do Campo

Larissa Leiros Baroni, do UOL São Paulo

A SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) divulgou na tarde desta sexta-feira (26) o retrato falado de dois suspeitos de matar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, 46. Ela foi queimada viva dentro de seu consultório, em São Bernardo do Campo (ABC Paulista), na quinta-feira (25), após os assaltantes constatarem que havia apenas R$ 30 em sua conta bancária.

Os retratos foram feitos a partir dos depoimentos de seis testemunhas, entre elas um frentista do posto de gasolina aonde os bandidos fizeram o saque e a paciente que era atendida por Cinthya no momento do assalto. De acordo com a polícia, ambos aparentam ter cerca de 25 anos. Informações sobre os suspeitos podem ser passadas pelo telefone (11) 4368-0166, 4367-1653, 4125-1377, 4345-2585 ou pelo disque-denúncia 181.

A polícia, que trabalha com a hipótese de que o crime tenha sido cometido por quatro pessoas, já havia divulgado a imagem de um dos suspeitos, Jonathas Cassiano Araújo. Ele aparece em imagens captadas por uma câmera de segurança da loja de conveniência onde efetuou o saque com o cartão da vítima e está sendo procurado pela polícia –ainda não há, contudo, um pedido de prisão preventiva contra o Araújo.

“Apesar das evidências contra o Jonathas, que foi identificado por seis testemunhas e pela própria mãe, esperamos reunir mais provas contra ele para fazer o pedido”, disse o delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Mauricio Souza Blazeck, ressaltando, ainda, que Araújo não tem antecedentes criminais. Segundo ele, o suspeito trabalhava como técnico de informática e estava desempregado há um mês.

“É questão de honra para a polícia ver esses criminosos atrás das grades o mais rápido possível”, continuou Blazeck, que classificou o crime como “bárbaro” e os criminosos como “perigosos”.

Ainda não se sabe a motivação do crime contra Cinthya. A polícia, no entanto, descarta a participação de menores no caso. Ninguém foi preso.

Com medo, homem atacado diante da webcam deixa o litoral, diz polícia

Morador de 59 anos disse à polícia que pode até não voltar à cidade. Criminosos que assaltaram aposentado ainda não foram capturados.

Do G1 Santos e Região

O homem que foi assaltado e esfaqueado diante de uma câmera instalada em um computador em Praia Grande, no litoral de São Paulo, saiu da cidade e pode não voltar mais. Até o momento, os três criminosos não foram capturados.

Segundo os investigadores do 2º Distrito Policial da cidade, onde a ocorrência foi registrada, o aposentado de 59 anos foi embora para um outro município, não divulgado, dizendo que não volta enquanto os suspeitos não forem presos e que, talvez, não retorne nunca mais para Praia Grande.

Ainda de acordo com os policiais, várias pessoas ligaram para a delegacia passando pistas sobre o paradeiro dos criminosos. As equipes foram para a rua para averiguar as indicações, mas até o momento ninguém foi detido. Quem tiver qualquer informação sobre os criminosos pode ligar para o 181 ou para a delegacia, no telefone (13) 3477-6733.

O caso

Três criminosos entraram em uma casa durante a madrugada de terça-feira (23), roubaram e esfaquearam um morador de Praia Grande. O que eles não esperavam é que uma câmera instalada em um computador, que estava ligada na frente deles, pudesse registrar toda a ação.

O homem estava dormindo quando três suspeitos entraram na casa, por volta das 2h. Eles foram até o quarto e surpreenderam o morador, que estava deitado. Um dos criminosos ficou ameaçando o aposentado com uma faca enquanto os outros procuravam dinheiro. Os assaltantes encontraram R$ 400, mas queriam mais. Um deles chegou a cortar o pescoço do morador, que não pôde reagir. Depois, outro homem dá várias facadas na vítima. Em seguida, eles vão embora com o dinheiro.

A vítima ficou com ferimentos de faca na barriga, nas costas e no pescoço. Ele conseguiu ir até a porta da casa e pedir socorro. O morador ficou internado por quatro dias e teve alta médica.

A polícia acredita que o crime foi uma tentativa de latrocínio. “Ele foi torturado para dizer onde estava esse dinheiro que ele provavelmente tinha. Na verdade, ele só tinha esses R$ 400, que foi a quantia subtraída”, explica o delegado Marcos Roberto da Silva. Nas imagens é possível ver o rosto dos criminosos, o que ajudará a encontrá-los. “Os indivíduos não são conhecidos. Nós já fizemos várias diligências. Já verificamos o nosso acervo fotográfico e pedimos, inclusive, a ajuda de policiais de outras unidades”, finaliza o delegado.

SP: polícia prende mais duas pessoas de quadrilha que fraudava licitações

Elas são suspeitas de participação no esquema investigado pela Operação Fratelli, que apura irregularidades em contratos públicos

Chico Siqueira, direto de São José do Rio Preto, especial para o Portal Terra

Agentes da Polícia Federal (PF) prenderam neste sábado mais duas pessoas acusadas de participar do suposto esquema de desvios de verbas públicas investigado pela Operação Fratelli, realizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) e Ministério Público Federal (MPF). Com as prisões, sobe para 15 o número de pessoas presas desde que a operação teve início, na última terça-feira, quando 13 pessoas foram presas, 19 conduzidas coercitivamente para depor e 160 mandados de busca e apreensão de documentos e computadores foram cumpridos em casas de empresários, prefeitos, ex-prefeitos e servidores públicos em dezenas de cidades do Estado de São Paulo.

As prisões deste sábado foram feitas em Votuporanga (SP), cidade onde está instalada a sede do grupo Scamatti & Seller, cuja mulher de um dos sócios e um funcionário da área de informática do grupo, foram presos em suas residências. Eles tiveram a prisão temporária de cinco dias decretada pela Justiça de Fernandópolis. As prisões foram pedidas à Justiça pelos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), de São José do Rio Preto, que coordenam as investigações.

A mulher foi encaminhada para a prisão feminina de General Salgado e o homem está preso na Cadeia Pública de Votuporanga. Os dois devem depor no início da semana, numa tentativa dos promotores de tentarem obter mais informações sobre o suposto esquema, uma vez que os diretores do grupo, que estão presos desde terça-feira, se recusaram, a pedido dos advogados, de falar em seus depoimentos, realizados nesta semana.

Na sexta-feira, a Justiça prorrogou por mais cinco dias o prazo da prisão temporária dos 13 presos – 12 empresários e um servidor público. O prazo, que terminaria nesta sábado, foi ampliado porque, uma vez soltos, os acusados poderiam atrapalhar as investigações. Mas advogados dos presos já entraram com habeas corpus, cujos pedidos devem ser apreciados no início da próxima semana pelo Judiciário.

Quadrilha fraudava licitações

De acordo com o Ministério Público, os suspeitos fazem parte de uma quadrilha, que usava mais de 40 empresas de fachada e contava com ajuda de servidores públicos, entre eles prefeitos e funcionários graduados da Caixa Econômica Federal (CEF), para fraudar licitações e garantir repasses rápidos e superfaturamento de obras financiadas pelos governos estadual e federal em cerca de 80 prefeituras do interior de São Paulo, num volume financeiro de contratos que passaria de R$ 1 bilhão.

Segundo os promotores, são mais de 1.000 contratos, de verbas estaduais e federais, incluindo às oriundas de emendas parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e da Câmara dos Deputados, repassadas pelo Governo do Estado e pelos ministérios de Cidades e de Turismo e intermediadas por deputados estaduais e federais.

Pelo menos dois deputados estaduais, Itamar Borges (PMDB) e Roque Barbiere (PTB), teriam caído no grampo, segundo informações do jornal O Estado de São Paulo. Nesta semana, quatro técnicos da Procuradoria-Geral da Justiça do Estado de São Paulo foram enviados a São José do Rio Preto para participar da análise das provas recolhidas durante a operação. A procuradoria é o órgão do Ministério Público responsável por investigar prefeitos e deputados.

Polícia apreende animais abatidos e equipamentos de caça em Sete Barras

Dois tatus e dois quatis foram encontrados pela Polícia Militar Ambiental. Multa pode chegar a mais de R$ 2 mil pela morte dos animais.
Foto: Divulgação/Polícia Militar Ambiental
Animais e equipamentos apreendidos

Do G1 Santos e Região

Policias Militares Ambientais apreenderam nesta terça-feira (9) quatro animais da fauna silvestre abatidos, uma arma e utensílios utilizados para a caça de animais em Sete Barras, no interior de São Paulo. O material foi encontrado na área rural do município que fica na região do Vale do Ribeira. A multa aos responsáveis pode chegar a mais de R$ 2 mil pela morte dos animais.

Segundo informações dos policiais, por volta das 18h um homem foi encontrado em atitude suspeita e abordado pelos PMs. Com o suspeito foram localizados quatro animais da fauna silvestre brasileira abatidos, sendo dois tatus e dois quatis. Uma espingarda, cinco armadilhas para caça (jequi), vários cartuchos de diversos calibres, um apito conhecido como “chama” e três embalagens distintas contendo pólvora e espoletas.

O homem foi preso em flagrante e os objetos foram conduzidos para a Delegacia de Sete Barras. O envolvido está a disposição da Justiça, assim como os objetos apreendidos. O infrator ambiental ainda foi multado em R$ 2 mil por matar os animais.

Polícia em Itanhaém, SP, apreende quase uma tonelada de camarão

Pescados ficavam armazenados com gelo no porão do barco. Pesca está proibida porque o camarão está em período de defeso.
Foto: Reprodução/TV Tribuna
Parte do camarão apreendido pela Policia Ambiental

Do G1 Santos e Região

A Polícia Ambiental de Itanhaém, no litoral de São Paulo, apreendeu, na noite desta segunda-feira (8), cerca de 900 quilos de camarão. A pesca está proibida até o final de maio porque o camarão está em período de defeso.

Os policiais ambientais, junto com uma equipe do Instituto Chico Mendes, pararam uma embarcação para abordagem e encontraram quase uma tonelada de camarão dentro do barco. Eles chegaram ao terminal pesqueiro de Santos e apreenderam um barco que estava com a rede armada para a pesca. A embarcação estava em alto mar na direção da costa de Itanhaém.

Os camarões pescados ficavam armazenados com gelo no porão do barco. “O produto pescado é destinado a instituições de caridade. É feita uma doação”, explica o sargento da Polícia Ambiental Valério Sales. Durante a abordagem, os dois pescadores que estavam na embarcação não apresentaram documento de pescadores profissionais e nem habilitação para conduzir o barco.

Desde o dia 1º de abril está proibida a pesca de camarão em parte do litoral brasileiro por causa do período de defeso. A lei criada em 2008 tem o objetivo de proteger a reprodução da espécie. O período de defeso do camarão termina no dia 31 de maio. Até lá, a pesca da espécie está proibida, porque eles estão no período de reprodução.

Motociclista foge da polícia e bate em carro em Praia Grande, SP

Perseguição começou em São Vicente e terminou em Praia Grande, SP. Jovem de 18 anos ficou gravemente ferido e foi encaminhado ao hospital.

Do G1 Santos e Região

Um jovem de 18 anos bateu de moto na traseira de um carro depois de fugir da Polícia Militar por vários quilômetros na tarde desta quarta-feira (3). A perseguição começou em São Vicente, no litoral de São Paulo, e terminou em Praia Grande. O rapaz, que ficou gravemente ferido, teve várias passagens criminais quando era menor de idade.

A perseguição começou na Rua Polydoro de Oliveira Bittencourt, no bairro Vila Margarida, em São Vicente. Segundo a polícia, o jovem, que estava com uma moto de 660 cilindradas, se assustou quando viu a viatura. A equipe desconfiou e fez sinal para ele parar, mas o motociclista acelerou e conseguiu entrar na Rodovia dos Imigrantes, indo em direção à Praia Grande.

Os policiais começaram então a perseguir o suspeito mas acabaram, depois de um tempo, o perdendo de vista. Outras viaturas e o helicóptero Águia foram acionados, e foi a aeronave militar que viu quando o jovem bateu com a moto na traseira de um carro, já em Praia Grande, na Avenida Ministro Marcos Freire. O motorista do veículo atingido perdeu o controle e atingiu um poste. Os dois foram levados para o Hospital Irmã Dulce. O motociclista chegou em estado grave e o motorista do carro com ferimentos leves.

A polícia constatou que a moto tem as mesmas características e emplacamento de uma outra, de Santos. A polícia também verificou que o suspeito não tem passagens pela polícia depois de fazer 18 anos, mas apresenta vários registros criminais de quando menor de idade, entre eles por tráfico de drogas, receptação, tentativa de fuga da Fundação Casa, roubo e furto. O rapaz também não tem Carteira de Habilitação para dirigir.