Início / Arquivos de tag:

Arquivos de tag:

Jovem de Peruíbe pede dinheiro para a avó, larga duas faculdades e vira empresário

Aos 17 anos, Derick Morgan vendia joias de bicicleta em Peruíbe, SP. Dez anos depois, jovem montou duas lojas e gerencia 30 revendedoras.

Depois de perdir dinheiro para avó, Derick virou empresário e gerencia duas lojas (Foto: Leandro Ribeiro / Arquivo Pessoal)
Depois de perdir dinheiro para a avó, Derick se tornou empresário (Foto: Leandro Ribeiro/Arquivo Pessoal)

Orion Pires, do G1 Santos e Região

Aos 17 anos de idade, um jovem de Peruíbe, no litoral de São Paulo, tomou algumas decisões que mudariam de vez a sua própria história. Após ser demitido do emprego, ele largou duas faculdades para investir em um antigo negócio de família, que estava parado há mais de quatro décadas. Derick Morgan Maragni, hoje com 27 anos, pediu R$ 300 emprestados para a avó, comprou “prata pura”, fabricou suas primeiras joias e começou a vendê-las de bicicleta pelas ruas da cidade.

As dificuldades iniciais serviram de lição e hoje, com a ajuda dos dois irmãos, Derick é um empresário, comanda mais de 30 revendedoras e gerencia duas lojas do ramo de alianças e joias em Peruíbe e Itanhaém.

“A minha família paterna é do ramo de joalheria desde a década de 1960. Começou com meu bisavô, depois passou para o meu avô, ainda em São Paulo. Eles fabricavam peças para a primeira dama e para um público mais elitizado naquela época. Com o passar dos anos, eles foram cansando e a oficina que tinham na Capital foi desativada. Isso já faz uns 40 anos”, lembra.

Empreendedor

O empresário afirma que, quando mais jovem, não era fã dos estudos tradicionais, mas já pensava em abrir um negócio próprio. A habilidade para trabalhar com prata foi descoberta na época em que ele era empregado em uma loja de materiais elétricos e ferramentas. Foi o impulso que Derick precisava para empreender.

Derick fabrica as próprias peças desde os 17 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Derick fabrica as próprias peças desde os 17 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

“Aos 17 anos, eu lembro que meu avô Ernesto me deu um pote de maionese com várias peças de prata pura dentro. O irmão dele, o tio Carlão, que era artesão e a última geração ainda em atividade, mexia com ouro e achei interessante fazer uma pulseira. Ele me ajudou e, em três meses, montei minha primeira peça. Depois disso, comecei a conversar com meu avô sobre um maquinário parado que ele tinha em casa, em Peruíbe, e comecei a aprender”, relata.

Derick faz esboço dos desenhos e depois monta peça (Foto: Orion Pires / G1)
Derick faz esboço dos desenhos e depois monta peça (Foto: Orion Pires / G1)

No mesmo período em que investia parte do tempo para recuperar os equipamentos “velhos” da casa do avô, o jovem estava descontente com a faculdade. Fez alguns semestres de Gestão Ambiental e parou. Depois, começou a cursar Ciências Contábeis, e também cancelou.

“Aconteceu meio que tudo ao mesmo tempo. Eu trabalhava em um lugar e fui para outro do ramo de ferramentas. Trabalhei apenas 15 dias e fui demitido. Aí, pensei em mudar tudo. Pedi R$ 300 emprestados para a minha avó materna, para comprar um pouco de prata, e comecei a criar meus próprios anéis e brincos personalizados, todos feitos à mão”, diz.

Boca a boca

Com a ajuda da mãe, o jovem vendia seus produtos de porta em porta. Maragni fez um cartão de visitas e, aos poucos, foi profissionalizando o trabalho. “Foram cinco anos vendando de bicicleta e com o tempo surgiu a necessidade de abrir um espaço físico e investir em maquinário”, lembra.

Há cerca de dois anos, o jovem abriu a primeira loja, no Centro da cidade, resgatando o antigo nome da família. “Em homenagem ao meu avô e meu tio, trouxe de volta o nome Maranatha”. A primeira loja foi aberta em Peruíbe, depois uma nova unidade na cidade vizinha, Itanhaém.

Voluntariamente, Derick criou peças para o atacante Neymar Jr (Foto: Arte G1)
Voluntariamente, Derick criou peças para o atacante Neymar Jr (Foto: Arte G1)

Exclusiva

Segundo o empresário, as peças exclusivas são seu diferencial. “As peças exclusivas da loja, ou pedidas pelos clientes, são desenhadas por mim. Também me especializei em designer. Há alguns meses, criei por conta própria algumas peças para o Neymar. Estudei durante meses os símbolos que ele costuma usar em bonés, roupas e tatuagens, e mandei de presente para ele um escapulário. Fiquei muito feliz quando o vi usando a peça em algumas fotos”, revela.

Para gerenciar as lojas e os revendedores, Maragni conta com a ajuda dos dois irmãos, que são formados em Administração. Dennis Joseph Morgan Maragni, de 25 anos, é responsável pela parte financeira da empresa. Já Brian Morgan Maragni, de 28, que se juntou aos irmãos após um intercâmbio nos Estados Unidos e uma temporada na capital paulista, atua com os revendedores.

Produtor e empresário da banda Bonde do Forró morre em acidente de carro

Do Portal Alerta Rondônia

Na tarde desta quinta-feira (13) por volta das 17hs a Policia Militar foi informada que após a localidade conhecida como “Pedra da Memória, uma pessoa que conduzia um veiculo Pálio de cor cinza teria perdido a direção do veiculo vindo a capotar na BR 425.

Os Policiais foram ao local e ao chegar constataram que Paulo Ferreira de Oliveira, 54 anos, já estava sem vida. Paulo Oliveira como era conhecido, era irmão do Ex-Prefeito Chico Oliveira, e irmão do Dj Maluco e primo do Ex-Vereador José Aldir dos Santos. PAULO OLIVEIRA, foi comerciante no Município de Guajará-Mirim e depois foi trabalhar em Goiânia, gerenciando a carreira e os negócio do irmão Edivaldo Oliveira, que é cantor e empresário, e também, tinha uma fazenda na 2ª Linha do Distrito do Iata, zona rural do Município de Guajará-Mirim, aonde pretendia morar e já tinha construído residencia e um comércio.

Os Policias ao colherem informações no local do acidente com populares que estavam no local não foi possível identificar o motivo do acidente, pois a pista estava em boas condições e em lugar de boa visibilidade, e foram informados por uma amiga da família que Paulo poderia ter tido um mal súbito fazendo com que o mesmo perdesse o controle do veiculo vindo a capotar de forma fatal.

O corpo de Paulo Ferreira Oliveira será velado na Igreja Batista da Liberdade, pastoreada pelo Pastor Aparecido e seu corpo será enterrado no Município de Guajará-Mirim, todos os familiares de Paulo Oliveira estão vindo para o velório e enterro, inclusive o cantor e empresário Edivaldo Oliveira (DJ Maluco).

Empresário de Peruíbe, SP, escreve livro com termos típicos do Nordeste

‘O Severino – Dicionário’ surgiu como brincadeira e está na 2ª edição. Ao todo, novo livro conta com 800 expressões típicas do Nordeste.

Sérgio da Silva (à esquerda) fundou Centro Nordestino em Peruíbe (Foto: Reprodução/ Facebook)
Sérgio da Silva (primeiro à esquerda) fundou Centro Nordestino em Peruíbe (Foto: Reprodução/ Facebook)

Rodrigo Martins, do G1 Santos e Região

Um empresário de Peruíbe, no litoral de São Paulo, decidiu escrever um livro no qual apresenta termos utilizados pelos nordestinos e os seus significados. A aprovação do público local – muitos migrantes nordestinos moram na cidade –  foi tão boa que Sérgio da Silva, de 50 anos, decidiu lançar uma segunda edição do livro ‘O Severino – Dicionário’, com palavras, verbetes e expressões nordestinas.

Livro contém palavras, gírias e verbetes da cultura nordestina (Foto: Rodrigo Martins/ G1)
Livro contém palavras, gírias e verbetes da cultura nordestina (Foto: Rodrigo Martins/ G1)

Natural de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Sérgio morou durante 17 anos no interior da Paraíba e foi desta forma que a sua relação com a cultura daquela região do país se estreitou. “Vivi a minha infância e adolescência em Solânea, na Paraíba. É uma cidade pequena, de 40 mil pessoas, que fica a 100 km de João Pessoa. Com isso, surgiu a ideia de colocar algumas expressões que, mesmo relativamente desconhecidas longe do Nordeste, estão no dicionário. Juntei mais algumas expressões, verbetes e, inclusive, contei uma história verídica que se passou comigo, mais curiosa e engraçada. Também coloquei receitas e outros temas bem peculiares”, explica.

Na primeira edição, o livro contava com 700 termos. Na segunda edição, porém, 100 palavras a mais estão incluídas. “Essa segunda edição eu fiz mesmo por conta da cultura, das raízes nordestinas. A primeira foi mais na brincadeira, aproveitando que a cidade tinha uma grande quantidade de nordestinos e seria possível trabalhar com esse nicho. Porém, não era algo ligado a vendas ou lucro. Gosto da cultura e, nessa segunda edição, tenho a ideia de manter essa tradição mesmo, enaltecer os costumes de lá. Aumentei a quantidade de palavras existentes”, diz.

A ligação do empresário com o povo nordestino é tão grande que ele decidiu fundar o Centro de Tradições Nordestinas de Peruíbe, que já existe há seis meses. “Fundei essa entidade porque acredito ser importante essa manutenção da cultura nordestina. O nosso objetivo é promover eventos e fazer festas nos mesmos moldes das que são realizadas por lá”, afirma.

Já sobre a continuação do ‘dicionário’, Sérgio garante que uma terceira edição pode surgir em breve. “O legal desse livro é que você o dá para algum nordestino, ele olha e acha interessante, mas sempre acrescenta mais algum termo. Então, são novas ideias que surgem. Tem muita coisa ligada a região onde eu morei, mas que varia se você vai para Pernambuco ou Ceará, por exemplo. Por isso, tenho a intenção de fazer um livro mais amplo e bem editado, visando atender a esse público”, conclui.

Empresário é solto após ficar 33 dias em cativeiro no Litoral

Do Portal JCNet

Um empresário de 69 anos foi encontrado, na madrugada desta quinta-feira (21), em um cativeiro em Mongaguá, no Litoral de São Paulo, após ficar 33 dias refém. A DAS (Delegacia da Divisão Anti Sequestro) prendeu cinco homens suspeitos de sequestrar a vítima.

A vítima, que é ex-vereador de Mogi das Cruzes (Grande SP), foi abordada no dia 18 de janeiro em um posto de combustíveis da cidade. Os criminosos, segundo a polícia, usavam dois veículos -um Ecosport branco e um Corolla azul.

No caminho até o cativeiro, os sequestradores trocaram de carros para dificultar a localização por parte da polícia.

Durante os 33 dias de cárcere, os sequestradores fizeram poucos contatos com familiares da vítima e pediram, segundo a polícia, uma quantia “consideravelmente grande” de dinheiro. Os valores não foram divulgados pela polícia. Com o passar dos dias, o valor foi diminuindo, mas o resgate não chegou a ser pago.

Os sequestradores chegaram a fazer ligações para a família de outras cidades. Na semana do Carnaval, por exemplo, ligaram do Estado do Rio.

De acordo com a diretora do DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa), Elisabete Sato, o uso autorizado de grampos telefônicos foi importante para a solução do crime.

Cativeiro

Segundo a polícia, a casa usada como cativeiro era ampla, mas o refém ficou em um quarto pequeno. No espaço não havia iluminação, o que fez com que a vítima perdesse a noção de tempo.

A vítima contou aos policiais que ficou sempre com a mesma roupa e que, para mantê-las limpas, lavava no chuveiro e as colocava em frente ao ventilador para que secassem.

De acordo com relato do empresário, que estava bastante abatido, na hora de servir as refeições, os criminosos usavam toucas ninjas para que não fossem reconhecidos.

“Quando ele foi libertado pelos policiais, ele pulava de alegria”, contou a diretora do DHPP. “Foi uma sensação indescritível”, afirmou.

Dois dos suspeitos, entre eles o chefe da quadrilha, foram presos em um restaurante em Suzano (Grande SP). Os dois tentaram fugir, mas ao serem capturados confessaram o crime e levaram a polícia até o cativeiro.

No cativeiro, localizado no bairro Agenor de Campos, a polícia encontrou os outros três criminosos que cuidavam da vítima. De acordo com a diretora do DHPP, um outro integrante da quadrilha ainda é procurado. Com eles, foram apreendidas duas armas, de calibres 380 e 9 mm.

Os sequestradores foram encaminhados ao 2º DP (Bom Retiro), na capital, e depois serão transferidos para um CDP (Centro de Detenção Provisória).

Polícia identifica dupla que matou empresário

O menor, suspeito do crime, foi apreendido no Álvaro Weyne. Seu comparsa, de 20 anos, está sendo procurado
FOTO: REPRODUÇÃO
Jailson Ramos, o ´Dark´, é suspeito de ter atirado no empresário. A Polícia está à procura dele

Márcia Feitosa, no Diário do Nordeste

A Polícia identificou a dupla acusada do latrocínio (roubo seguido de morte) que vitimou o empresário João Carlos Clemente Soares, 66. Um adolescente de 16 anos, suspeito do crime, foi apreendido, ontem. Seu comparsa seria Jailson de Sousa Ramos, o ´Dark´, 20, que ainda não foi encontrado. O adolescente, foi apreendido em sua residência, no bairro Álvaro Weyne, pela equipe do 7ºDP (Pirambu).

Segundo informações do delegado titular daquela unidade, José Jesuíta Barbosa Filho, durante o dia de ontem, quatro testemunhas estiveram na delegacia fazendo o reconhecimento formal do garoto apreendido. Todas confirmaram que ele seria a pessoa que desceu da moto e travou uma luta corporal com o empresário, instantes antes deste ser baleado pelo outro ocupante do veículo.

O rosto

Uma das funcionárias disse que o garoto estava sem capacete e que seu rosto era bastante visível. Após os procedimentos realizados no 7ºDP, as testemunhas e familiares que presenciaram o latrocínio se dirigiram até a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde foram novamente ouvidos.

De acordo com o delegado Barbosa Filho, na tarde de ontem, a prisão preventiva de Jailson Ramos foi pedida. Ele disse, ainda, que uma motocicleta, de cor vinho, que foi citada por várias testemunhas como sendo o veículo em que a dupla de assaltantes estava, foi encontrada na casa do pai de Ramos. A motocicleta já está apreendida e ficará à disposição da Polícia, enquanto durar as investigações.

O delegado contou também que uma outra pessoa, que não teve a identidade revelada, foi até o 7ºDP denunciar que tinha sido vítima de ´Dark´ em uma ´saidinha´ bancária. Segundo o homem, que reconheceu o suposto assaltante em uma fotografia, neste assalto, o suspeito teria roubado R$ 11 mil.

Ramos já respondeu por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. “Estamos apurando cada caso. Sabemos que ele é envolvido em diversos crimes, mas precisamos confirmar tudo. No caso do latrocínio do empresário, este está confirmado, foi realmente ele”, disse o delegado. As investigações mostram que ´Dark´ seria, inclusive, o atirador. “Já constatamos isto. Foi ele quem disparou”, concluiu Barbosa. O suspeito mora no Grande Pirambu e a equipe do 7ºDP está diligenciando constantemente a sua procura. Conforme Souto, o adolescente apreendido nega que tenha participação no crime, mas as provas são contundentes contra ele.

Buscas

O comandante do 5º BPM, tenente-coronel PM Francisco Souto, informou que uma denúncia anônima possibilitou identificar o local onde os acusados estavam escondidos. A partir de então, um cerco foi comandado por ele juntamente com o major Marden Oliveira, comandante da 5ª Cia/5ºBPM (Pirambu). Policiais da Força Tática de Apoio (FTA) e do Serviço Reservado estão empenhados nas diligências ao atirador.

FOTO: EWERTON LEMOS
João Carlos Clemente Soares teria regido à tentativa de assalto e acabou morto. Os latrocidas fugiram sem levar nada do dono da Ironte

O crime

O empresário, João Carlos Clemente Soares, foi assassinado em sua fábrica, situada na Avenida Francisco Sá, no bairro Monte Castelo, por volta do meio-dia da última segunda-feira (3). Ele foi seguido por uma dupla de assaltantes, que trafegava em uma motocicleta, após sair de uma agência bancária. A abordagem à vítima aconteceu já dentro da fábrica de panelas de alumínio Ironte.

Houve luta corporal, quando um dos acusados anunciou o assalto. Os latrocidas fugiram sem levar nada da vítima. Baleado, o empresário morreu, logo depois, no hospital.

Empresário morre em acidente na Raposo Tavares

Vítima andava de moto pela rodovia quando foi atingida por um Corsa; outras seis pessoas ficaram feridas

Da Agência Bom Dia, no Diário de S. Paulo

Um acidente envolvendo seis veículos na noite desta sexta-feira (16) por volta das 23h45 na rodovia Raposo Tavares acabou matando o empresário Guilherme Bruno Rodriguez. Ele estava de moto a acabou morrendo a caminho do hospital.

De acordo com o boletim de ocorrência o motorista de um Monza seguia pela rodovia no sentido interior-capital. No km 94 o Monza acabou atingido por um veículo Celta.

O Celta neste momento foi para no acostamento. Mas o Monza acabou ficando a pista e foi atingido novamente desta vez por Fiesta.

O empresário Guilherme Bruno Rodriguez vinha logo atrás com sua moto e na garupa a atendente Daniela Bazo Morão, 25 anos. Ele não conseguiu frear e acabou também batendo.

O motorista de um Corsa acabou atingindo a moto com o empresário e a mulher que estava na garupa.

Seis pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas ao Hospital Regional da cidade por viaturas dos Corpo de Bombeiro, do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) da concessionária da rodovia  ViaOeste, O piloto da moto não resistiu ao ferimentos e morreu no hospital. Já a garupa da moto teve ferimentos graves e está em observação. As outras vítimas foram medicadas e não correm risco de morte.

Em Salto
Um acidente envolvendo dois carros deixou quatro pessoas feridas na tarde deste sábado (17) em Salto. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, os veículos trafegavam na rodovia da Convenção, quando o segundo carro bateu na traseira do primeiro.

No primeiro veículo havia três adultos e um bebê, que foi retirado do local pelo pai, que também estava no carro. O homem levou a criança até sua casa, que ficava nas proximidades e voltou ao local do acidente no momento em que o Corpo de Bombeiros chegou para prestar os primeiros socorros.

No segundo veículo, o condutor estava sozinho e, assim como as outras três vítimas, apresentou apenas ferimentos leves. Uma ambulância da Prefeitura Municipal de Salto, em apoio ao Corpo de Bombeiros, socorreu duas vítimas.

A Polícia Militar Rodoviária esteve no local para registrar a ocorrência.

Empresário que caiu de prédio em Tambaú é membro da 1ª Igreja Batista

Do Folha do Sertão

O empresário que caiu de um prédio de luxo em Tambaú é membro da Primeira Igreja Batista e é conhecido como “Tiago”. Sem informações mais detalhadas das motivações da queda, trabalhasse ainda com a possibilidade de tentativa de suicídio.

Pelo que foi informado por pessoas próximas, Tiago estaria passando por uma situação financeira difícil e que estaria bastante endividando (o que poderia teria aguçado o desespero da vítima).

Por outro lado, um fato não afasta a possibilidade de tentativa de assassinato, já que, momentos antes à queda, vizinhos ouviram uma forte discussão envolvendo Tiago.

Uma unidade da USA do Samu foi acionada e prestou o pronto atendimento, já que encontraram a vítima ainda com vida. Em seguida, a equipe médica o encaminhou para o Hospital de Emergência e Trauma da Capital, onde permanece em estrado bastante grave.

Empresário de Caarapó morre em acidente na BR-163

Ele viajava em companhia da família
Foto: Osvaldo Duarte/Dourados News
O empresário Aparecido Torres da Silva, morador em Caarapó, morreu na hora

Do Correio do Estado

O empresário de Caarapó, Aparecido Torres da Silva, morreu na noite de ontem (04), em um acidente no km 244, da BR-163, próximo de Dourados.

Segundo informações policiais, Aparecido conduzia um Gol, de cor prata, com placas de Caarapó, na companhia da esposa Simone Pereira da Silva e dois filhos, um de 13 e outro de 3 anos.

Um Corsa, com placas de São Gabriel do Oeste, teria invadido a pista contrária, na tentativa de ultrapassar e bateu de frente com o Gol, matando Aparecido.

Simone e os filhos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital da Vida e passam bem.

Os ocupantes do Corsa, que ainda não foram identificados, estão internados no Hospital Evangélico e também não correm risco de morte.

(Com informações do Dourados News)

Corpo de empresário morto em acidente é enterrado em Barra Mansa

Do Diário do Vale

O corpo do empresário Mauro Antônio, de 54 anos, foi sepultado por volta das 13h de ontem, no Cemitério Municipal. Ele morreu ontem, ao bater em uma árvore com sua caminhonete Ford Ranger, placa LTX-3819.

Segundo testemunhas, Mauro Antônio teria perdido o controle do veículo, após se envolver numa colisão lateral com o caminhão, placa KNB-0034, dirigido por Nilson da Silva Souza. O acidente foi por volta das 6h, na Rodovia Presidente Dutra, no Km 278.

Já o acidente entre um caminhão e uma viatura da Polícia Militar foi registrado no início da manhã de hoje, por volta das 6h, na Rodovia Presidente Dutra, no Km 278. Policiais rodoviários federais disseram que o motorista do caminhão teria perdido o controle da direção e batido na mureta central da pista.

Em seguida, o caminhão ainda atingiu a viatura da PM. A batida aconteceu na pista sentido São Paulo e ninguém ficou ferido.

Segundo a NovaDutra, concessionária que administra a rodovia, a faixa da esquerda chegou a ficar interditada, com o trânsito fluindo apenas em meia pista. Não houve registro de congestionamento.

Empresário ribeirão-pretano morre em acidente na Régis Bittencourt

Juliano Minniti Silveira estava indo à Florianópolis; ele perdeu o controle da motocicleta

Do EP Ribeirão

Um empresário ribeirão-pretano do ramo de automóveis de 33 anos morreu, após se envolver em um acidente no km 560 da Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), em Barra do Turvo (SP), na tarde de quinta-feira (1).

Segundo um amigo da família, que não quis se identificar, Juliano Minniti Silveira estava indo para Florianópolis (SC), quando perdeu o controle da motocicleta em uma curva e caiu em uma vala de concreto da rodovia. Ele morreu no local.

Ainda de acordo com o amigo, Minniti como era conhecido, estava sozinho e encontraria uma turma em Curitiba (PR) para seguir viagem.

A vítima era casada e deixou dois filhos. Ele era proprietário de uma loja de carros na Avenida João Fiusa, no bairro Alto da Boa Vista.

O corpo está sendo trazido para Ribeirão e será velado no memorial Bom Pastor. Seu sepultamento está previsto para às 17h, no cemitério Bom Pastor.

Empresário morre após reagir a assalto em São Paulo

O homem, de 46 anos, estava em seu carro quando foi abordado por quatro assaltantes

Do Band Notícias

Um homem baleado em uma tentativa de assalto em Santana, zona norte de São Paulo, morre nesta sexta-feira. O caso ocorreu por volta da meia noite, na Rua Voluntários da Pátria.

A vítima estava em seu carro, um Audi, quando parou no farol em frente a um hospital e foi abordado por quatro assaltantes.O empresário, Pedro Alberto Pereira, de 46 anos, reagiu e foi baleado.

Após levar os tiros, a vítima tentou fugir dos bandidos, mas perdeu o controle do seu veículo e atingiu o portão do Pronto Socorro do Hospital Municipal Doutor Lauro Ribas Braga. A vítima foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

O caso será registrado no 13º Distrito Policial da Casa Verde.