Conheça as propostas do candidato Edson Mühlmann à Prefeitura de Peruíbe, SP — Foto: Divulgação

Conheça as propostas do candidato Edson Mühlmann à Prefeitura de Peruíbe, SP

Por Liliane Souza, do G1 Santos e Região

Construção de hospital municipal e maternidade, abertura de escolas aos finais de semana, criação de um parque industrial com doação de terreno para indústrias não poluentes, desassoreamento dos rios e instalação de mirantes estão entre as propostas do candidato à Prefeitura de Peruíbe, no litoral de São Paulo, Edson Mühlmann (REDE).

Edson Mühlmann é aposentado e tem 71 anos; seu número nas urnas é o 18. Em entrevista ao G1, ele destaca alguns pontos de seu plano de governo. “Na área da habitação, a gente tem que fazer um estudo com os governos estadual e federal para arrumar verba para poder oferecer moradias a baixo custo”, afirma o candidato.

G1 Santos está produzindo uma série de entrevistas com os candidatos a prefeito das cidades da Baixada Santista. Os prefeituráveis de Peruíbe responderam a dez questões sobre temas diversos e todos tiveram o mesmo tempo de resposta. Para acompanhar toda a cobertura basta acessar a página especial.

Confira a entrevista completa:

Qual sua principal proposta no que diz respeito à área da saúde? Como planeja executá-la?

Vou declarar de utilidade pública o Hotel Glória, que é um hotel do Estado que está fechado há 35 anos. Vou fazer o hospital e maternidade ali, que dá de 500 a 600 leitos. Inclusive, tem heliporto em cima, que a gente pode colocar helicóptero e atender as emergências. Peruíbe depende tudo de fora. Até Itariri, que é pequena, tem pessoas que vão ter atendidas lá porque aqui não temos. Só temos uma UPA [Unidade de Pronto Atendimento] e uma unidade de pronto-socorro.

Quais serão suas prioridades na área da educação, caso seja eleito?

Tenho conversado com meu secretário, que é diretor de escola estadual. Tenho falado com ele que a gente precisa dar uma ênfase na educação. Fizeram uma lei baixando o nível de educação, isso atingiu todo o Brasil e hoje nós temos uma dificuldade nessa área. Melhorar a escola e integrar os pais dos alunos com os professores. Temos um problema que, às vezes, o professor corrige o aluno e os pais, ao invés de conversar, ficam contra o professor e, às vezes, dá força para o filho ser malcriado. Tem que haver um entendimento entre pais e mestres para solucionar esse problema. Trocar ideias e os pais participarem da escola. E, as escolas vão continuar pintadas de branco e azul. Normalmente quando muda o prefeito, muda tudo. No nosso caso, não. Vamos fazer o que é necessário. Não vamos gastar tintas desnecessariamente. Se tiver que homenagear escolas, vamos homenagear o Gilson [Gilson Bargieri, prefeito de Peruíbe entre 2001 e 2004], que sempre pintou de azul e branco. E, vamos terminar todas as obras iniciadas. É isso o que queremos, um povo educado.

O que está previsto para a área da cultura?

Eu me reuni com o pessoal da Associação Comercial e com os hoteleiros. Pedi para eles indicarem quem será o secretário da área. Eles acharam interessante porque é um sonho deles. Eles, inclusive, gostariam de pôr votação na cidade, para a cidade escolher o secretário. Mas, nesse primeiro passo, eu pedi para eles se reunirem e escolherem e, eu vou gerenciá-los. Vamos mexer tudo o que for preciso na área de cultura, esporte e turismo. Em Peruíbe, na parte de turismo, temos o segundo melhor ar do mundo. E, com o hospital, nós teremos muitos aposentados morando aqui. Teremos um embalo em tudo isso aí.

Quais medidas devem ser implementadas para contribuir com a diminuição dos índices de criminalidade?

Nessa área tem que fazer um estudo da Guarda Municipal para saber se vai armá-los, porque também não adianta ter uma polícia só para parecer bonito. Os caras não têm armas, ninguém respeita. Nessa área, precisa de um estudo para ver como vamos resolver.

Quais ações estão previstas para contribuir com a preservação do meio ambiente?

Eu tenho um secretário de meio ambiente. Ele cursou meio ambiente no Japão e esteve no Acre, com o Chico Mendes. Ele conhece tudo de ecologia. Dizem que a estrada do Una não tem que pavimentar, mas, tem que pavimentar, colocar pavimentação rústica, fazer um negócio que condiz com a natureza. Quando chove, toda a areia vai para o rio e, aí assoreia o rio, o peixe não sobe para desovar. Está faltando peixe. Pescador esportivo fica um dia e não pega nada de peixe. A gente também tem a estrada do Guaraú, onde precisa fazer um acostamento.

O que deve ser feito para estimular a geração de emprego?

Fiquei sabendo que o Gilson tinha declarado uma área para indústrias. Vou verificar isso. Se já existe essa área, vamos oferecer terreno de graça para trazer empresas que não poluam e, claro, vamos exigir equipamentos, como filtro de ar e de água, para Peruíbe ser uma cidade modelo nessa área.

Leia também:

Nota de falecimento – Selma Jerônimo