ADITIVO AUTOMOTIVO
ADITIVO AUTOMOTIVO
ADITIVO AUTOMOTIVO
Início / CIDADES / Em depoimento na Câmara, Pernalonga dispara: fizeram pior em governos passados

Em depoimento na Câmara, Pernalonga dispara: fizeram pior em governos passados

PIXELS DE OURO
TENHO 9 MOTIVOS
ADITIVO AUTOMOTIVO

Anderson Carvalho de Sousa (foto) – o Pernalonga – foi duro em sua defesa, colocando seus delatores em xeque

Da Redação

Passado uma semana de seu depoimento na Câmara Municipal de Prados, atendendo convocação formulada pelos vereadores Daniel Fonseca e Silva de Carvalho (PDT) e César Murilo da Trindade Velho (PMDB), o assunto que levou o secretário de Obras e Serviços Públicos de Prados, Anderson Sousa, ainda se faz presente nas rodas das conversas políticas da cidade.

Pernalonga, como é conhecido o laborioso secretário de Obras, compareceu à Câmara de posse de sua defesa por escrito (veja íntegra abaixo), e acabou por deixar seus algozes perplexos ao mencionar que o fato relacionado na peça de acusação trata-se de prática comum, usual. “É comum a prefeitura atender os cidadãos, independentemente de partidos, que demonstrem necessidade de empréstimo de alguma máquina ou material da prefeitura”, cintando a Lei nº 1.951 de 22 de abril de 2010 que trata da ausência de privilégios no tratamento da população por parte dos servidores públicos.

Para corroborar a linha de sua defesa, Pernalonga lembrou um caso específico em que um ex-Secretário de Obras de uma gestão anterior retirou uma máquina de cortar piso do almoxarifado da prefeitura, com intuito de uso pessoal e que, mesmo passado dois meses da data do empréstimo, consta nos autos do almoxarifado a não devolução do mencionado equipamento.

O caso

Os dois vereadores que requereram a presença de Pernalonga na Câmara, foram protagonistas, ao que parece, de muito barulho por coisa de somenos importância. A denúncia de que Pernalonga houvera tomado para si materiais comprados pela prefeitura para uso em obras públicas, teria chegado às mãos do promotor de Justiça da Comarca que teria determinado abertura de inquérito para investigação do caso.

Segundo relato do próprio acusado, de fato ele tomou emprestado 17 canos de PVC de 50mm e meio cano de 3 ¼ que seriam usados para levar água para a piscina instalada em sua propriedade. “Como os materiais seriam usados por empréstimo, tendo acontecido de eu ter pago frete de camionete particular tanto para pegar os canos como para leva-los de volta, os quais foram devolvidos em perfeito estado, não onerando em nada a prefeitura, e não atrasando quaisquer obras que viessem a precisar destes materiais”, enfatiza Pernalonga.

O fato se deu no final de julho do corrente ano. Pelas palavras de Pernalonga, que estava em seu último dia férias, o pedido de empréstimo não foi de um “servidor privilegiado por ser secretário”, mas de um munícipe como qualquer outro. “É preciso que entendam que até posso ter sido ingênuo neste caso, mas eu agi de boa-fé”; e, sem se alterar, mostra que “se seu quisesse agir de má-fé teria utilizado caminhão da prefeitura, quando, então, ninguém iria questionar, porque imaginariam que o material estaria sendo destinado para alguma obra distante do centro como as tantas obras que vimos fazendo pelos quatro cantos de Prados”.

Caso encerrado?

Não foi possível à reportagem deste blogue ouvir os vereadores autores da denúncia, mas mediante as acusações de Pernalonga no melhor estilo “bateu, levou”, parece prometer mesmo que é bem melhor que o caso fique como está, uma vez que Pernalonga não poupou a ninguém em seu depoimento. A indignação estava evidente: “O que estão fazendo comigo e meus familiares é uma injustiça” E aponta para a administração do prefeito Juninho do Lester com sendo “séria, e que vem fazendo várias obras de sucesso mesmo com pouco dinheiro e enfrentando os atrasos perenes dos governos do Estado e Federal”.

Ao afirmar que vários objetos e materiais tomados do almoxarifado e administração em gestões anteriores ainda não foram devolvidos, mesmo depois de três anos de terem deixado o governo, Pernalonga devolve aos seus acusadores a responsabilidade de apurarem o prejuízo que os cofres públicos sofreram com esses empréstimos que agora já pode-se chamar de “doações” feitos em gestões anteriores. E o “caminho da roça” é indicado por Pernalonga: “Deixo de mencionar nomes evitando constrangimentos e em respeito às famílias, mas caso os vereadores queiram conferir, o almoxarifado está à disposição para a devida verificação”.

A “metralhadora giratória” usada por Pernalonga na Câmara, não para de disparar por aí. Segundo ele, “outra situação que merece apuração dos senhores vereadores são os casos dos terceirizados da prefeitura em gestões anteriores”. Segundo ele, os terceirizados ganhavam as concorrências, mas acabam usando toda a estrutura de máquinas, equipamentos e insumos para execução dos contratos.

Contando com casa cheia, o plenário do Legislativo de Prados presenciou e aplaudiu quase que uma “aula magna” proferida por Pernalonga, definindo mesmo que se a satisfação popular pelo atual governo até então era dúvida, agora passou mesmo a ser certeza.

Leia a íntegra da defesa de Pernalonga:

Resposta aos quesitos formulados pelos vereadores Daniel Fonseca e Silva de Carvalho e César Murilo da Trindade Velho.

Exmo. Senhor Presidente, em atendimento ao requerimento de convocação aprovado por esta Casa Legislativa na forma do artigo 29, XI do Regimento Interno da Câmara Municipal de Prados, venho apresentar os seguintes esclarecimentos:

1 – Quem autorizou a entrada de veículo particular e a retirada do material na Secretaria de Obras, já que o ilustre secretário estava de férias? Quem ficou respondendo pela Secretaria de Obras no período de férias do secretário?

A entrada do veículo particular no depósito da Prefeitura Municipal e retirada dos materiais foi autorizada por mim após contato telefônico com o Servidor Jardel Pinto Fonseca, designado através da portaria nº. 7834 de 1 de julho de 2019 (DOC. 01) para responder pela secretaria Municipal de obra e Serviços Urbanos, uma vez que no período de 01/07/2019 a 30/07/2019 eu estava gozando férias regulamentares (DOC. 02).

2 – Qual a relação dos materiais retirados? Como é feito o controle de entrada e saída do material do almoxarifado: Se todo material que sai é dado baixa e quem é o responsável pela liberação?

Os materiais retirados foram os seguintes:

– 17 CANOS PVC soldável DE 50 mm;
– ½ CANO DE 3 ¼;

A entrada e saída dos materiais do almoxarifado é realizada de forma singela, pelo servidor efetivo Marcos Geraldo Alves de Melo, por meio de um livro/ata onde é realizado o controle de entrada/saída de materiais de forma manuscrita há mais de 12 anos.

Como os materiais foram retirados apenas por empréstimo, não foi dado baixa dos materiais no depósito, mas foi feito um registro de saída por empréstimo. Solicitei a utilização de alguns canos para canalização de água para encher uma piscina e devolvi os materiais em perfeito estado de conservação e utilização cerca de 03 (três) dias após a retirada. O servidor Marcos, responsável pelo almoxarifado e o servidor Moisés fizeram a conferência dos materiais retirados, bem como da devolução integral deles. O controle foi feito por anotações no mesmo livro de registro de entrada/saída do almoxarifado.

3 – Que era(m) servidor(es) que estava(m) ajudando a carregar o material no caminhão particular? Ele não questionou a retirada desse material em veículo particular? E em que dia e hora o tal fato ocorreu, já que além de tirar o material ainda usaram mão de obra da secretaria?

Conforme constam nas fotos anexas ao requerimento dos vereadores, o servidor Claudir ajudou a carregar a caminhonete, o que não deve ter levado nem 02 (dois) minutos.

Eu não estava presente no local para saber se houve algum questionamento pelo servidor, mas soube que ele comunicou o servidor Moisés sobre a retirada dos materiais, solicitando o apontamento adequado nos registros do almoxarifado.

O fato ocorreu no dia 30/07/2019, por volta de 12:30 e o servidor Claudir estava em seu horário de almoço, não caracterizando utilização indevida de mão de obra da secretaria.

4 – Qual a intenção do ilustre secretário do uso dos materiais retirados da Secretaria de Obras e como seria sua utilização?

Conforme expliquei no item 2, os canos foram utilizados para encher uma piscina. Uma vez que os materiais não seriam empregados permanentemente, mas apenas no momento de encher a piscina, achei que não havia problema em pegar os canos emprestados. Destaco que paguei um frete de uma caminhonete para buscar e levar os materiais para não dar nenhum prejuízo para prefeitura, usei os materiais e devolvi três dias após em perfeito estado.

Queria dizer que a utilização dos referidos canos não atrasou nenhuma obra e não teve nenhum prejuízo para prefeitura, já que foi um empréstimo, cujo transporte eu paguei, e os materiais foram devolvidos rapidamente em perfeito estado.

Queria destacar que agi de boa fé, se eu quisesse agir de má fé teria utilizado caminhão da prefeitura e ninguém iria questionar, bem como o funcionário da prefeitura , de boa vontade, apenas quis ajudar a carregar a caminhonete no seu horário de almoço.

5 – O Prefeito Juninho e o Vice-Prefeito Ari tiveram conhecimento da ação ocorrida dentro da Secretaria de Obras?

Entendo que era desnecessário comunicar o Prefeito e o Vice-Prefeito, uma vez que na condição de secretário municipal, ocupo um cargo de confiança, e a utilização dos materiais é uma prática que vem ocorrendo na secretaria municipal de obras em várias gestões, como ficará demonstrado ao final desta resposta.

6 – Na atual gestão é comum qualquer cidadão pegar material no almoxarifado da prefeitura, ou só os privilegiados? O ilustre secretário tem exercido essa prática com frequência durante seu mandato?

Embora não seja uma prática usual, independentemente de partido, é comum a prefeitura atender os cidadãos que demonstrem a necessidade de empréstimo de alguma máquina ou material da prefeitura, inclusive existem programas de governo autorizando o empréstimo de equipamentos da prefeitura, v.g Lei nº. 1951 de 22 de abril de 2010, que em seu artigo 1º trata todos como cidadãos comuns, sem qualquer destaque de privilégios (DOC. 03)

Prova disso é que consta no registro do almoxarifado a retirada por empréstimo de uma máquina de cortar piso para o Senhor Lúcio, ex secretário municipal de transporte da gestão anterior, que provavelmente após o término do seu uso irá devolver.(DOC.04) Insta salientar que o equipamento está há mais de 02 (dois) meses com o referido cidadão.

Outra prova que essa administração trata toda população de forma igualitária, é que temos procurado atender todas as comunidades e famílias que precisem, independente de partido, estamos fazendo obras no Bichinho, no Orozimbo, na Estação, na Vila de Pinheiro Chagas, no Atalaia, no Coqueiro, na Taipa, no centro, na zona rural e em outras localidades, transformando o Município num verdadeiro canteiro de obras.

7 – Os materiais retirados da Secretaria de obras seriam inicialmente usados na ligação do poço artesiano da comunidade da Estação de Prados? Como foi solucionada a demanda?

De fato, os canos foram adquiridos para serem utilizados na ligação do poço artesiano da comunidade da Estação de Prados, o que ocorreu recentemente, atendendo a uma demanda antiga daquela população que só ocorreu na Administração do Juninho e do Ari.

A perfuração do poço artesiano foi iniciada no dia 13/09/2019 por uma empresa especializada contratada pela prefeitura e o serviço terminou apenas em 24 do mês de setembro. Desta forma, como o empréstimo e devolução dos canos ocorreu antes de iniciar as obras, não houve nenhum prejuízo para conclusão do poço artesiano, que hoje é uma realidade.

Aproveitando a oportunidade é importante esclarecer para todos os vereadores que em administrações anteriores, a Prefeitura Municipal já adotava essa prática de empréstimo de material a alguns cidadãos.

Consultando os registros do almoxarifado verificamos que vários dos beneficiados com os empréstimos eram servidores de confiança de Administrações anteriores, inclusive, quando assumimos a administração do município, os objetos ainda estavam em poder dessas pessoas.

Entre os materiais que foram resgatados por minha determinação, posso citar: lixadeira, motosserra, máquina de solda, entre outros.

Registro também que alguns equipamentos emprestados nas gestões anteriores ainda não foram devolvidos.

Deixo de apontar nomes das pessoas evitando constrangimentos e em respeito as famílias, mas caso os vereadores queiram conferir o almoxarifado está à disposição para a devida verificação.

Outra situação que merece apuração pelos dignos vereadores são os casos de terceirizados pela prefeitura em gestões anteriores, que na verdade utilizavam toda estrutura do Município, inclusive materiais (papel, impressora, telefone, filmadora, máquina fotográfica e veículos) para execução de seus contratos.

Finalizando, por se falar em privilégios, entendo que se isso ocorreu foi em administrações anteriores, uma vez que servidores ocupantes de cargos de confiança usaram de suas prerrogativas para realização de obras que beneficiaram os mesmos pessoalmente, como calçamentos, manilhamento, entre outros.

Entendo o papel da Câmara de fiscalizar, mas o que estão fazendo comigo e meus familiares é uma injustiça. Essa administração é séria, está fazendo várias obras com sucesso, mesmo como pouco dinheiro e com os frequentes atrasos nos repasses estaduais e federais. A oposição tem que ficar se apegando em coisas pequenas para tentar colocar defeito numa coisa que está sendo boa para toda população, por causa de politicagem, sem qualquer ação efetiva em prol do Município.

Prados, 05 de novembro de 2019.

ANDERSON CARVALHO DE SOUSA
SECRETÁRIO MUNICIPAL DE OBRAS E SERVIÇOS URBANOS

COMENTE ESTA POSTAGEM:
TENHO 9 MOTIVOS
ADITIVO AUTOMOTIVO
PIXELS DE OURO

Leia também:

Glaycon lidera Frente Parlamentar em defesa dos Parques Ecológicos e Unidades de Conservação

Do Jornal Correio da Cidade O deputado estadual Glaycon Franco lançou, na quinta-feira, 28 de …

ADITIVO AUTOMOTIVO
ADITIVO AUTOMOTIVO