Início / EDITORIAIS / Morre José Pereira de Melo, cidadão peruibense

Morre José Pereira de Melo, cidadão peruibense

NOTA DE FALECIMENTO: morre o Dr. Fernando Ferreira de Matos (Imagem: MP/SE)Morreu no dia de ontem (15), em Igaraçu do Tietê, o querido amigo José Pereira de Melo, que ficou conhecido em Peruíbe como JP Melo ou mesmo Dr. Melo.

A passagem de Dr. Melo por Peruíbe foi marcante. Com seu jeito todo peculiar de ser, mexeu com as estruturas políticas, escancarando o lado mais cruel dos politiqueiros peruibenses, que se aproveitaram ao máximo do coração que não cabia em seu peito, e tiraram dele o maior e nefasto proveito, a ponto dele acabar por ter que sair de Peruíbe, enojado que ficara com as pessoas que que se diziam amigas, mas que no fundo, no fundo, intentavam – e conseguiram no mais das vezes – roubá-lo.

O que restou deste tempo foi o título de cidadão peruibense, que recebeu por mãos do saudoso então vereador Anielo Pernice Neto.

Dr. Melo tinha um caso de amor por Peruíbe, e não conseguia esconder isso de mim que, a um bom tempo, fui – com muita honra e orgulho – conselheiro e confidente político dele. O fato de se ver na contingência de sair de Peruíbe para ir morar num recanto bucólico no interior de São Paulo parece ter sido – a meu ver – o gatilho que pode ter sido responsável por disparar o câncer que acabou consumindo-o, vitimando-o fatalmente em meio a uma cirurgia.

Lamento muitíssimo seu passamento. Choro sua morte como quem um dia chorou a morte de pelo menos três outros ilustres passageiros que ousaram desafiar os mal-acostumados políticos de Peruíbe que, em sua grande maioria, não passaram, como não passam, de amantes de si mesmo e de seus ideais particulares e mesquinhos, nada confessáveis, convenhamos. Refiro-me a Francisco Pereira da Rocha (Dr. Rocha), acidentado mortalmente em 1988, em plena campanha eleitoral daquele ano; a Marcos Ensel Wizentier (Vereador Marquinhos), também vitimado por um câncer aos 36 anos de idade, em 1998; e, mais recentemente, José Roberto Preto, falecido na passagem para seu último ano de governo como prefeito de Peruíbe, em 2007. Todos tinham muito em comum. Quem conhece a história de Peruíbe, e quem os conheceu, sabe do que estou escrevendo.

Tenho muito que falar de Dr. Melo. Boas recordações. Excelente aprendizado enquanto fui assim uma espécie de seu “guru” que, ao invés de ensinar, acabou por muito aprender. Infelizmente fomos – eu e ele – vítimas destes algozes que se fazem perenes em Peruíbe. Tenho certa convicção de que, tivesse ele me ouvido um pouquinho mais, teria galgado já o seu almejado cargo de prefeito, ou até mesmo teria sido eleito deputado naquela eleição na qual Dr. Enéas Carneiro puxou alguns deputados com os poucos votos que Peruíbe bem que poderia ter-lhe dado.

Tal como José Roberto Preto e Marcos Ensel Wizentier, Dr. Melo foi um daqueles que se pode contar nos dedos de uma das mãos que soube reconhecer meu trabalho, minha experiência e minha inspiração. Só isto dá ensejo a que eu sinta muitíssimo sua morte, ainda mais eu estando longe e sem condições para lhe render a homenagem de corpo presente como bem gostaria de fazê-lo.

Que o bom Deus o acolha. Que sua família se sinta confortada por estas palavras sinceras que brotam de um coração agradecido pelo que ele representou para mim e para minha família.

Dr. Melo contava 66 anos. Seu sepultamento dar-se-á nesta tarde, no Cemitério de São João Batista, em Igaraçu do Tietê, interior de São Paulo.

Washington Luiz de Paula

COMENTE ESTA POSTAGEM:

Leia também:

Morre em Peruíbe Paulo Roberto Aparecido (Paulinho Imóveis)

Da Redação Vítima de enfarte, faleceu no dia de hoje, o corretor de imóveis Paulo …