Da esquerda para a direita: Juninho do Lester (Prefeito), Jeane (Secretária de Assistência Social), Rildo (Secretário de Saúde), Willen (Presidente do "Água Viva"), e Denilson (Prefeito de São Tiago)

Prados terá unidade feminina de clínica de recuperação de dependentes químicos

Prefeito Juninho do Lester dá as boas vindas ao representante das Obras Sociais Agua Viva: “Qualquer iniciativa que vise ajudar nosso povo tem todo nosso apoio”

Da Redação

O “pontapé inicial” para a instalação em Prados de uma comunidade terapêutica voltada para o tratamento de mulheres vítimas do alcoolismo e das drogas foi dado no último dia 26 de abril quando o prefeito Juninho do Lester recebeu em seu Gabinete na prefeitura representantes da entidade “Obras Sociais Água Viva” para tratar do assunto.

Durante o encontro, que teve caráter informal e explicativo, o prefeito Juninho do Lester pode ouvir do presidente da Obras Socias Água Viva, Willem de Keijzer, os motivos pelos quais Prados foi escolhida pela fundação para acolher uma unidade feminina como sendo mais um dos projetos da entidade, que tem por preocupação precípua o oferecimento de ajuda a pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Convocada para a reunião, a secretária municipal de Assistência Social, Jeane Araújo Jorge, fez uma explanação sobre os problemas enfrentados por muitas famílias da comunidade, vítimas principalmente do álcool, classificando o problema como sério, e que deve continuar merecendo a atenção e o acolhimento do poder público, principalmente apoiando iniciativas como a que o “Água Viva” pretende empreender no município.

Representando a Santa Casa de Misericórdia de Prados, a médica Carmen Maria de Melo Heimovski, lembrou que já é hábito do hospital prestar assistência às entidades sociais do município, colocando-se à disposição para colaborar com a nova comunidade terapêutica.

Em sua palavra de boas-vindas, o prefeito Juninho do Lester comprometeu-se a disponibilizar todos os recursos que estejam ao alcance da administração municipal para colaborar com mais esta iniciativa que tem por objetivo o bem-estar das famílias que sofrem ao verem um ente escravo do vício; e lembrou que o povo de Prados é muito solidário e está sempre disposto a colaborar com as obras sociais da cidade.

Willem de Keijzer, presidente da “Água Viva” fala sobre o projeto de instalar uma unidade feminina em Prados. Ao lado, o prefeito de São Tiago, Denilson Reis.

História

Conforme descrito no site oficial, a entidade “Obras Sociais Água Viva” é uma fundação brasileira, fundada em 2004 por missionários holandeses, que oferece ajuda a pessoas em situações vulneráveis. Esta ajuda é proporcionada através de uma Comunidade Terapêutica, casas sociais e uma marcenaria. Diferentes tipos de atendimento e apoio são oferecidos, como acompanhamento psicológico, atividades lúdicas, aprendizagem profissional, alimentação adequada e reinserção do indivíduo na sociedade.

São três os projetos até aqui da entidade: A Comunidade Terapêutica, as Casas Sociais, e a Fábrica de Móveis, todas os três estabelecidos em Ritápolis, todos eles voltados para o objetivo geral da entidade que é o resgate de vidas em obediência ao “mandamento de Deus de trabalhar em favor das pessoas mais vulneráveis em nossa sociedade dando atenção, esperança e perspectiva tanto físico, emocional como espiritual através de um atendimento profissional e carinhoso”.

Secretária de Assistência Social de Prados, Jeane Araújo Jorge, oferece relatório circunstanciado sobre a problemática da dependência química na cidade.

Unidade feminina

A comunidade terapêutica feminina será instalada na zona rural de Prados, em área particular já designada para o recebimento da entidade.

Para o presidente do “Água Viva”, Willen de Keijzer, que se mostrou até surpreso com o acolhimento recebido por parte das autoridades pradenses, não é possível ainda prever um prazo para que a unidade esteja funcionando. “Temos a área e a boa vontade do poder público de Prados em ajudar, então, a partir de agora temos que pensar na parte documental e legal, e na estruturação física do local, e não podemos pensar em nada menos que seis meses para começarmos nosso trabalho aqui na cidade”, disse. Segundo Willen, a casa deverá abrigar inicialmente até 12 mulheres.

Estiveram presentes a reunião, além do prefeito Juninho e da secretária Jeane, o secretário de Saúde de Prados, Rildo Costa e o responsável pela Vigilância Sanitária do município, Paulo Afonso Pereira de Magalhães. O representante do “Água Viva” veio acompanhado do prefeito de São Tiago, Denilson Silva Reis, que, na qualidade de presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência Centro-Sul (CISRU) de Minas Gerais, fez questão de oferecer atestado de idoneidade e competência de resultado às Obras Sociais Água Viva: “Posso garantir que esta é a entidade que tem o trabalho mais sólido, cujo ordenamento técnico tem permitido um índice de recuperação bastante alto”, aferiu.

Ao término da reunião na prefeitura, os presentes foram conhecer as futuras instalações da comunidade terapêutica feminina, na zona rural de Prados.

Representante da Vigilância Sanitária do município, Paulo Afonso, e a Dra. Carmen, também presente à reunião, representando a Santa Casa de Misericórdia da cidade.

Leia também:

Cão salva menina de 12 anos ao lutar com cobra e acaba internado: ‘Herói’

Cachorro lutou com um cobra de aproximadamente 2 metros, segundo a família. Por G1 Santos …