Início / CIDADES / “Pode até parar tudo no município; só não pode parar a Saúde”, diz prefeito Juninho à sua equipe
Joomla extensions, Wordpress plugins
Rildo: "Atendimento à Saúde é a prioridade para o prefeito Juninho"

“Pode até parar tudo no município; só não pode parar a Saúde”, diz prefeito Juninho à sua equipe

Rildo: “Atendimento à Saúde é a prioridade para o prefeito Juninho”

Da Redação

Como não é diferente com nove entre 10 prefeitos do Brasil, Lester Rezende Dantas Junior, prefeito de Prados, na região do Campo das Vertentes das Minas Gerais, enfrenta uma luta titânica para administrar o município, buscando não faltar com a confiança que quase 60% do eleitorado lhe concedeu nas eleições de 2016. A razão? A crise instalada pelos quatro cantos do Brasil, e que agora parecer ter origem e causa já decantada a quatro ventos, como sendo os desastrosos governos comandados pelo Partido dos Trabalhadores (PT), no Brasil, em Minas Gerais e – também e infelizmente – na pequenina Prados.

Juninho do Lester, como é carinhosamente conhecido em Prados, é um homem simples, do campo, mas que buscou na formação superior seguir a carreira do pai, que também é contador como ele. Probo, justo em suas decisões, e de bons costumes nas ações que leva a efeito enquanto administrador público, Juninho sabia estar preparado para o desafio que enfrenta com coragem e destreza deste quando assumiu a prefeitura em janeiro de 2017.

Equipe acertada

Ao chegar em seu terceiro ano de mandato, o que coincide com o ano pré-eleitoral de 2020, é previsível que os descontentes sempre apareçam com aquelas comparações desconcertantes, como se fosse possível esquecer os mandatos anteriores que pareciam mesmo levar a cidade e o município para um grotão sem fundo. Mas Juninho parece não se importar. Para ele parece mesmo que o que vale é que a administração está andando, e que sua equipe de governo de primeiro escalão cumpre bem os papéis para o quais foram convocados.

Para um analista da política local, cabe ao administrador público saber mandar. “O prefeito não precisa estar em todos os lugares ao mesmo tempo, mas seus secretários sim têm esse dever”, lembra. Para o mesmo analista, “quem vê a cidade sendo ‘rasgada’ de ponta a ponta pelas máquinas, o calçamento chegando onde ontem era apenas mato e lama, a Educação e Saúde recebendo grau de satisfação máximo pela família pradense não pode, sem parecer injusto, criticar o prefeito”, diz.

Saúde é o que interessa

A Saúde parece ser um espelho significativo do sucesso da Administração Juninho do Lester em Prados. Se comparado com municípios da região, onde há relatos de falta de insumos e remédios, Prados pode comemorar, pois não falta remédio na farmácia da prefeitura, e não há registro de falta de gêneros como seringas, agulhas, equipos, máscaras, luvas e outros nas unidades de saúde do município.

Não menos diferente que nas outras secretarias, a administração da Secretaria de Saúde do município está a cargo de um homem competente, mas sobretudo humano. Rildo Costa foi convocado pelo prefeito para essa árdua tarefa, e a vem cumprindo de modo a receber elogios por onde passa. Para Rildo não há segredo nisso. Modesto, ele dá a receita: “Eu simplesmente abri as portas da Secretaria, e recebo todos do mesmo jeito aqui”. E ele está certo, já que o povo gosta mesmo é de sentir que as pessoas estão mesmo interessadas em ajudar na solução de seus problemas. Mas Rildo não é daqueles que simplesmente recebem as pessoas para dar uma “palavra de consolo”, ou, como se diz no jargão popular, para “enrolar”. Não! Antes pelo contrário, ele está ciente de que foi lhe atribuída uma confiança pelo prefeito Juninho, e não pode faltar com ela, que é a de resolver os problemas, numa tentativa quase sagrada de minorar o sofrimento de quem precisa de socorro para seus problemas de saúde.

Quando indagado sobre o mérito de seu sucesso à frente da Secretaria de Saúde, Rildo Costa faz questão de enfatizar que o crédito é do prefeito. “Juninho sabia que eu tenho bastante conhecimento e muitos amigos na direção dos hospitais regionais, e também com deputados e outros agentes da área em Belo Horizonte e em Brasília; por isso me convocou, e eu, mesmo sabendo das dificuldades que iria enfrentar, aceitei o desafio que, graças ao bom Deus, tem dado certo”, enfatiza.

Perguntando como ele se ajeita com as constantes falta de verbas, mais uma vez ele atribui mérito ao prefeito Juninho: “O prefeito, desde que assumiu, fez questão de lembrar que, em razão da crise, pode faltar qualquer coisa em qualquer lugar, menos na Saúde; e, graças a essa sensibilidade do prefeito temos conseguido atender a demanda do município”.

A dívida do governo estadual de Minas para com os 853 municípios mineiros ultrapassa a casa dos R$ 10 bilhões. Só para a Saúde da cidade de Prados o governo petista de Fernando Pimentel ficou devendo quase R$ 4 milhões. Só em 2017 foram exatos R$ 2.040.726,54, que, somados ao R$ 1.762.651,55 de 2018, somam R$ 3.803.378,09. A ausência desse dinheiro tem obrigado o prefeito Juninho a remanejar verbas, sempre a partir de recursos próprios da municipalidade.

COMENTE ESTA POSTAGEM:

Leia também:

Melhor que uma notícia boa, só duas notícias boas: Jardim Brasil e Estância dos Eucaliptos têm importantes obras em andamento

COMENTE ESTA POSTAGEM: