Início / MINHA LAVRA / Poema – O último Natal

Poema – O último Natal

O último Natal

Este momento antecede
O do desterro cabal:
Para uns não cheira nem fede
Ser este o último Natal.

Natal que já foi primeiro,
Segundo e até perenal;
Dos costumes é lindeiro
O se esquecer do Natal.

Se houve razão que procede
Este desfecho fatal,
Por palavras não se mede
Se é derradeiro o Natal.

Por prados eu vou, brejeiro,
Tal quem descansa, afinal,
Feliz buscar o ano inteiro;
Não somente no Natal.

Peruíbe, 25 de dezembro de 2017
Washington Luiz de Paula

COMENTE ESTA POSTAGEM:

Leia também:

Poema – O sino da igreja

O sino da igreja Ouvindo o sino da Igreja de Santo Antonio – Prados, MG …