Lama que atingiu praia de Peruíbe pode ter vindo da Argentina

O material, que surgiu na última quarta-feira, está sendo analisado pela Cetesb Rogério Stonoga, em A Tribuna A lama que atingiu cerca de 2,5 km de extensão de praia na região central de Peruíbe pode ter como origem o Rio da Prata, na Argentina. O material, que surgiu na Cidade na última quarta-feira, está sendo analisado pela Cetesb. O laudo deve ficar pronto em 15 dias. A conclusão sobre a possível origem do material é do engenheiro Gilberto Berzin, professor os e especialista em circulação oceânica. “Pela foto publicada em A Tribuna percebe-se que o material é argila. Este material foi trazido pela corrente marítima”, explica. Berzin fortalece sua tese com base em estudos elaborados por Felipe Pimenta e outros pesquisadores da USP. “A argila é tão fina que em um grão de areia cabem centenas de grãos de argila. Ou seja, isso facilita o transporte desse material pelas correntes marítimas que vêm do Sul. Como no início da semana passada houve mudança na maré, ele veio em direção à praia, no caso em Peruíbe”. O professor destaca, ainda, que o material tem características da argila encontrada na região do Rio da Prata, cuja desembocadura no oceano lança diariamente centenas de toneladas de sedimentos em até mais de 200 milhas da costa. Análise A Cetesb informou, ontem, que coletou, na sexta-feira, amostras de água, sedimento e organismos na orla...

Read More