sábado , 18 novembro 2017
TENHO 9 MOTIVOS
HOME / POLÍCIA - MP - JUDICIÁRIO / Tribunal do Júri de Peruíbe condena acusado por participar do assassinato de policial militar
Logo Centauro 120x60

Tribunal do Júri de Peruíbe condena acusado por participar do assassinato de policial militar

juri-pcc-carlos
Atuação dos representantes do MP foi determinante para a condenação

Do Blogue do Ministério Público de Peruíbe

No dia de ontem, (15/09/2016), em julgamento realizado na Câmara Municipal de Peruíbe, CARLOS CORREA foi condenado por ter participado do assassinato do policial militar Sidnei Barbosa de Oliveira, morto na madrugada do dia 29 de janeiro de 2005.

Segundo o apurado, membros de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios do Brasil, desconfiaram que o policial Sidnei havia identificado alguns integrantes de uma quadrilha ligada à facção criminosa, o que teria resultado nas prisões dos integrantes dessa quadrilha.

Em razão disso, SAMUEL ALVES DA SILVA, que à época estava preso na penitenciária de Hortolândia, entrou em contato com ELVIS EVANGELISTA, traficante que atuava em Peruíbe, e determinou a execução do policial Sidnei.

ELVIS, por sua vez, solicitou o auxílio de RAFAEL RODOLDO VEIRA, TIAGO DE AGUIAR MENDES, IVAN LUIS BISPO, FÁBIO LUIZ TRINDADE, CARLOS CORREA e do então adolescente SILAS EVANGELISTA (irmão de ELVIS).

As funções de IVAN e FÁBIO foram transportar as armas e os demais acusados até as proximidade da residência do policial, tendo IVAN ainda ficado incumbido de dar fuga aos acusados após a execução. Já CARLOS, por ser vizinho e conhecido do policial Sidnei, ficou com a função de atraí-lo para fora de sua residência, bem como esconder o armamento utilizado após a execução. As funções de ELVIS, TIAGO, RAFAEL e SILAS, por sua vez, eram de efetuar disparos de arma de fogo quando o policial saísse de sua residência após ser atraído por CARLOS.

Dessa forma, na madrugada de 29 de janeiro de 2005, CARLOS compareceu à residência de Sidnei e solicitou um medicamento, sendo prontamente atendido pelo policial. QuandoSidnei saiu de sua residência para entregar o remédio solicitado, foi alvejado por 28 disparos de arma de fogo (4 revolveres calibre 38 e uma espingarda calibre 12) efetuados por ELVIS, TIAGO, RAFAEL e SILAS.

Em seguida, CARLOS recolheu as armas e os projeteis e os escondeu na casa de RONALDO FERREIRA GOMES, o qual responde por porte de arma de fogo.

ELVIS já havia sido julgado e condenado pelo Tribunal do Júri de Peruíbe no ano de 2011 a uma pena de 14 anos de reclusão.

No dia de ontem, foi a vez de CARLOS ser submetido à Júri Popular, tendo os jurados acolhido os argumentos do Ministério Público de Peruíbe de que o acusado foi o responsável por atrair o policial para fora de sua residência e rechaçado os argumentos da Defesa no sentido de que o réu agiu amparado por inexigibilidade de conduta diversa e coação moral irresistível.

Diante do veredicto a que chegou o Conselho de Sentença, a Magistrada que presidiu a sessão aplicou uma pena de 13 anos e 06 meses de reclusão a ser cumprida em regime inicial fechado.

Os réus SAMUEL, FÁBIO, IVAN, TIAGO, RAFAEL e RONALDO serão julgados no próximo dia 29 de setembro às 09h30min, em julgamento que ocorrerá mais uma vez na Câmara Municipal de Peruíbe.

Sobre mrwash

Confira também:

Suspeito de matar turista em camping de Peruíbe durante assalto é preso

Crime aconteceu no dia 9 de setembro, em Peruíbe (SP). Vítima estava acampada e foi …

Em Peruíbe, polícia faz operação para coibir baile funk em vias públicas

Durante a ação, jovens e possíveis suspeitos de tráfico foram flagrados consumindos drogas e bebidas …

Prefeitos pedem mais policiais civis para a Baixada Santista

Estado já anunciou o reforço total de 1.565 profissionais, mas não informou o montante destinado …