Início / GERAIS / Esposa fala sobre os últimos momentos do Dr. Rodrigo Malagoli
Joomla extensions, Wordpress plugins

Esposa fala sobre os últimos momentos do Dr. Rodrigo Malagoli

11749945_952895091434136_1344665110_o[1]
Dr. Rodrigo e Katarine: sorriso para não esquecer.

Da Redação

Em comovente e exclusivo depoimento a este blogue, Katarine Rodrigues, esposa de Rodrigo Malagoli, fala sobre os últimos minutos da vida de seu marido que se suicidou no último dia 13 de julho (veja matéria aqui).

Conforme seu relato, o conhecido médico veterinário “estava extremamente depressivo, mas muito carinhoso comigo e com minha família”, e lembra que a foto que ilustra a matéria publicada neste blogue foi tirada no sábado (11) anterior à sua morte, à porta da Igreja Adventista do Sétimo Dia que ele frequentava com os seus.

Rodrigo Malagoli foi encontrado já sem vida pela esposa e pela secretária de seu consultório. “Eu havia marcado médico para ele para aquele mesmo dia”, lembra Katarine. Segundo ela, por volta das 11 horas ela se despediu dele com um abraço e um beijo: “Disse que voltava mais tarde para almoçarmos, mas ele estava com um olhar distante”, relata.

Uma hora depois, Katarine recebe um telefonema apreensivo da secretária do consultório. “Ela me disse que ele havia pego medicações na clínica e ido lá para trás onde há um quarto”. Desesperada, Katarine saiu de seu local de trabalho às pressas e correu para o consultório. “Entramos juntas no quarto. Abri a janela do quarto e o vi deitado na cama, sem respirar”, relembra. Enquanto o SAMU era chamado ela fez de tudo para reanima-lo: “Fiz respiração boca-a-boca, massagem cardíaca, mas não consegui…” Emocionada, desabafa: “Eu o amava, e hoje sentimos muito a falta dele; e meus filhos também eram apaixonados pelo pai”.

Perguntada sobre os dias que se seguiram depois da tragédia que se abateu sobre a família, Katarine chora: “Está tudo tão difícil. Todos em casa chorando. Meu filho chega a passar mal, pois eram apaixonados por ele”.

Para a viúva, Rodrigo Malagoli era especial. “Ele era sim de difícil relacionamento com as pessoas, mas ele sempre dizia para ter paciência com ele, ‘porque às vezes fico doente’”. Comovida, Katarine lembra de seu sorriso “tão lindo”, e não esconde as lágrimas para uma certeza: “Nunca mais teremos ele aqui”.

COMENTE ESTA POSTAGEM:

Leia também:

Prados realiza evento pela luta antimanicomial neste próximo sábado, 1º de junho

Cursos Online com Certificado - Cursos 24 Horas Da Redação O Dia Nacional da Luta …

Joomla extensions, Wordpress plugins
ADITIVO AUTOMOTIVO
TENHO 9 MOTIVOS