Com 100% dos votos apurados, Peruíbe “elege” Aécio Presidente. Alex Matos e Zeca são os candidatos mais votados

Alex Matos vota em Peruíbe, ao lado filho.

Da Redação

Com 53.321 votos apurados, com 15.400 (28,88%) de abstenções, 1.791 votos brancos e 2.035 votos nulos, o eleitorado de Peruíbe seguiu a média geral do Estado oferecendo 40,97% dos votos válidos para o candidato a Presidente da República Aécio Neves, do PSDB.

A atual Presidente ficou em terceiro lugar, com 9.174 votos (26,91%), atrás de Marina Silva, que obteve 9.426 votos (27,65%).

Com isso Peruíbe “ajudou” São Paulo e levar o candidato tucano ao segundo turno das eleições à Presidência, concorrendo com Dilma Rousseff.

Deputados

Com 6.467 votos desperdiçados, contando os brancos e nulos que foram dados no lugar de um nome para deputado estadual, além dos 4.802 votos oferecidos às legendas, apenas 26.652 eleitores optaram por escolher um nome dentre os que concorriam à Assembleia Legislativa do Estado.

O atual vereador e Presidente da Câmara, Zeca da Firenze, foi o mais votado na cidade, com 5.205 votos (16,55%), deixando para trás nomes importantes e de “peso” como Caio França (2.336), Caruso (1.411), Telma de Souza (508), Campos Machado (337) e Luciano Batista (309). O outro candidato a deputado estadual de cidade e também vereador, Mohai, ficou em terceiro lugar no município, com 1.411 votos (4,49%).

Para a Câmara dos Deputados, Peruíbe oferecia dois candidatos próprios, sendo que justamente os dois foram os mais lembrados pelos eleitores da cidade. O ex-vereador Alex Matos ficou com a primeira colocação, com 4.571 votos (14,32%), e o atual vice-prefeito, Nelson do Posto, amealhou 3.346 votos (10,49%). Ambos também deixaram para trás o campeão de votos desta eleição, Celso Russomanno (2.949) e o ex-prefeito de Registro e atual deputado e Presidente da Assembleia Legislativa, Samuel Moreira, que conseguiu apenas 2.349 votos na cidade nos mais de 220.000 que ele teve no total.

Faltou expressão

Os perto de 30.000 votos dados para os candidatos a deputados ficaram no geral bastante diluídos entre muitos candidatos de fora da cidade e até da região, e alguns que talvez nunca tenham pisado em Peruíbe.

Sintomática também é a votação aos candidatos apoiados pelos políticos de hoje e de ontem, que parecem não terem convencido o eleitorado de que seus candidatos mereciam os seus votos.

A prefeita Ana Preto, por exemplo, obteve votação decepcionante para os candidatos que apoiou, como Campos Machado, que é assim uma espécie de seu padrinho político dentro do PTB, mas que não conseguiu mais que pífios 337 votos para deputado estadual, enquanto que o outrora muito bem votado na cidade, deputado federal Nelson Marquezelli, também do PTB, não conseguiu mais que 259 votos.

O deputado federal Beto Mansur, com quem o ex-prefeito Gilson Bargieri dividiu o apoio que também deu a Alex Matos, consegui 357 votos apenas. Maria Lúcia Prandi, apoiada pelo diretório municipal do PT, somou 392 votos; enquanto que Bruno Covas, apoiado pelo PSDB local, obteve 1.556 votos, ficando logo atrás de Samuel Moreira, outro tucano que não tem feito muita questão de esconder seu descontentamento com a tucanada peruibense.

Em resumo, se era para se esperar que desta eleição surgisse um nome forte para concorrer à prefeitura em 2016, parece que a votação dos dois prefeituráveis por antecipação – Zeca da Firenze e Alex Matos – não encheu de ânimo nem a um, nem a outro. Mas também não evidenciou que algum ex-prefeito tenha força para se aventurar naquele pleito, à exceção de Alberto Sanches Gomes que mais uma vez ajudou em oferecer votação acima da média para seu amigo Samuel Moreira.

A lição tirada desta eleição: O eleitorado de Peruíbe reclama por um nome novo. Ou, pelo menos, por um fato novo. Os dois anos que separam este pleito da eleição para prefeito de 2016 será tempo mais que suficiente a que, tanto Alex, quanto Zeca, busquem este fato novo. E façam a diferença; porque de “igual”, o povo anda “por aqui”.

Leia também:

Cão salva menina de 12 anos ao lutar com cobra e acaba internado: ‘Herói’

Cachorro lutou com um cobra de aproximadamente 2 metros, segundo a família. Por G1 Santos …