Nabor Nunes Filho deixa a arte aos 68 anos

Autor de seis livros, ele morreu devido a um infarto e deixa a mulher e três filhos

Karina Pilotto, de O Liberal

“Um exilado de todas as nações, um estranho em todos os lugares, o avesso de todos os tecidos, fugitivo de todas as prisões, um vilão de todas as histórias, um assíduo em todas as solidões, um leigo em todas as disciplinas, um anátema de todas as doutrinas, um desvio de todas as direções”. Era com as palavras acima que o poeta, compositor, professor e escritor Nabor Nunes Filho definia sua personalidade. O artista morreu na última quarta-feira devido a um infarto. Ele seria entrevistado ontem para uma matéria para o + Cult do LIBERAL.

Atualmente Nabor residia em Americana, mas era natural de Itabaiana, município do estado da Paraíba. Seu talento deu origem a seis livros, “Fraquezas de (Não) Ser”, “Natália: Atrevimentos e Destinos”, “Versos do Amor Diverso”, “Eroticamente Humano”, “Cláudia e Anelise: Paixões de Outono” e “…Porque Não Sei Ficar Quieto”. As obras estão disponibilizadas em versões online e impressas, vendidas em sua página no site de publicações online Clube dos Autores. O artista também se dedicava aos estudos teóricos, e foi professor da faculdade de Ciências da Religião e compositor cultural no Núcleo Universitário de Cultura.

O autor encontrou a arte aos oito anos de idade, quando começou a praticar música com a banda de Itabaiana. Nabor vem de uma família de poetas e repentistas, que se dedicaram a cultura nordestina no passado. O autor foi enterrado ontem à no Cemitério da Saudade. O escritor deixou viúva e três filhos.

Leia também:

Nota de falecimento – Selma Jerônimo