Vereadores quase dobram bens em 4 anos na região. Em Peruíbe, Emer mais que dobrou

Sandro Thadeu, em A Tribuna

O patrimônio dos 101 vereadores da Baixada Santista que disputam a reeleição ou concorrem a prefeituras cresceu 92,73% nos últimos quatro anos. O total de bens dos eleitos, em 2008, somava cerca de R$ 22,3 milhões. Hoje, R$ 43 mi.

Os dados foram levantados por A Tribuna com base nas declarações de bens apresentadas pelos parlamentares à Justiça Eleitoral em 2008 e neste ano.

Sete dos 108 vereadores das nove cidades não participam do pleito deste ano e, por isso, não constam dos dados colhidos pela Reportagem. Outros 13 disputam o cargo de prefeito ou vice-prefeito.

> Confira a tabela com a evolução patrimonial dos atuais vereadores na Baixada Santista

Os números revelam realidades muito distintas na situação financeira de cada candidato: 11 deles declaram não ter propriedade nenhuma, enquanto a mesma quantidade de edis é milionária.

No ranking daqueles com patrimônio acima de R$ 1 milhão, os santistas são maioria (cinco). Depois, aparecem os vereadores de Bertioga (dois), Guarujá (dois), Peruíbe (um) e Praia Grande (um).

Ainda: pelo menos 35 dos 101 vereadores que participam do pleito deste ano elevaram em 100% ou mais o valor acumulado dos bens. Um deles teve crescimento de 499.900% – de R$ 100.00, passou a R$ 500 mil.

Esse panorama foi elaborado por meio da tabulação de dados públicos disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE – www.tse.jus.br), que podem ser consultados na internet por qualquer cidadão interessado em conhecer melhor os candidatos deste ano.

O total de bens acumulados pelos representantes da Câmara de Santos que participam do pleito atual mais do que dobrou (111,01%). O mesmo se deu em Bertioga (102,41%), São Vicente (143,63%) e em Peruíbe (233,12%), onde se verifica o maior aumento em termos proporcionais.

No topo

O líder do Governo no Legislativo santista, Marcus De Rosis (PMDB), é o vereador da região com o maior patrimônio acumulado (R$ 4,015 mi). Em 2008, era de R$ 1,190 mi, o que representa uma elevação de 237,39% em 48 meses.

Em seguida, aparece Ney Lyra (PRP), de Bertioga, que teve aumento de 990% no valor de seus bens (de R$ 275 mil, saltou para R$ 3 mi).

O terceiro e o quarto postos são ocupados por dois santistas: Braz Antunes Mattos Neto (PPS), cujo patrimônio passou de R$ 1,5 mi para R$ 2,571 mi, e Benedito Furtado (PSB), que de R$ 1,065 mi pulou para R$ 2,525 mi.

Além de Ney Lyra, outros edis conseguiram, em quatro anos, acumular propriedades que, juntas, totalizam mais de R$ 1 milhão, como Emer Elias Jaoude (PSC, R$ 2,227 mi), de Peruíbe, e Arlindo Barros (PSDB, R$ 1,365 mi), de Santos.

Também estão incluídos na listagem dos novos milionários Arnaldo do Nascimento, o Professor Arnaldo (PDT, R$ 1,310 mi) e Marcelo Squassoni (PRB, R$ 1,298 mi), ambos de Guarujá; Antônio Eduardo Serrano (PSB, 1,116 mi), de Praia Grande; e o presidente do Legislativo santista, Manoel Constantino (PMDB, R$ 1,136 mi).

Jurandyr José Teixeira das Neves, o Doutor Jurandyr (PT), de Bertioga, já acumulava, em 2008, uma riqueza de R$ 1,340 mi. Ele foi o único desses 11 que perdeu bens (caiu para R$ 1,307 mi).

Sem nada

Na outra ponta desse ranking, há 11 edis que declararam não ter nenhum bem. Quatro deles, em 2008, tinham algum patrimônio, mas se desfizeram dele.

Fazem parte dessa pequena relação dois vereadores de Praia Grande – Leandro Rodrigues Cruz, o Leandro do Avelino (PPL), e Sergio Luiz Schiano de Souza (PSB) –, assim como Cícero Cassimiro Domingos, o Kakulé (PSDB), de Itanhaém, e Marcelo Correia (PSDB), de São Vicente.

Os casos mais destacados

Dos atuais 101 vereadores que participam da eleição deste ano, 35 conseguiram multiplicar por, no mínimo, duas vezes o próprio patrimônio em apenas quatro anos.

O maior crescimento percentual foi de Alfonso Dari Weiland, o Alemão (PRP/Bertioga): de R$ 100,00, em 2008, passou para R$ 500 mil neste ano, o que representa uma elevação de 499.900%.

Na sequência, dois integrantes do PT: o santista Adilson Júnior, do PT (de R$ 800,00 para R$ 107.702,59, variação de 13.363%), e o vicentino Juracy Francisco de Jesus, o Jura (de R$ 1,8 mil para R$ 35,8 mil, alta de 1.888%).

Termos absolutos

Dos vereadores cujo valor em bens mais do que dobrou, cinco têm mais de R$ 1 milhão: Ney Lyra (PRP/Bertioga), Antônio Eduardo Serrano (PSB/Praia Grande), Emer Elias Abou Jaoude (PSC/Peruíbe), Marcus De Rosis (PMDB/Santos) e Benedito Furtado (PSB/Santos).

Há outros milionários, mas com alta patrimonial inferior a 100%: Braz Antunes Mattos Neto (PPS/Santos), Professor Arnaldo (PDT/Guarujá) e Arlindo Barros (PSDB/Santos).

Ainda estão entre os dez cujo patrimônio mais subiu, de modo absoluto, o vicentino Eronaldo José de Oliveira, o Ferrugem (PDT), de R$ 168.358,57 a R$ 767.306,47; e o ex-presidente da Câmara de Praia Grande Katsu Yonamine (PSDB), de R$ 297.204,67 para R$ 861.375,76.

Leia também:

Nota de falecimento – Selma Jerônimo