SEB: A conta de viagem, dos passeios e brinquedos

Do blog de Aroldo Murá, no Paraná Online

A boca pequena, pastores ouvidos pela coluna admitiram que a saída de Mauro Serafim da Presidência da SEB – dois meses apenas depois de substituir André Zacharow – teria como provável explicação o fato de o advogado, membro da Igreja Batista Independente, “não ter querido determinar o pagamento de uma nota de despesas de viagem a Foz do Iguaçu, no valor de R$ 22 mil”.

Serafim, velho causídico e professor de Direito, sabidamente alguém que não enfia a mão em cumbuca, teria se negado a validar pagamento de despesas com hotel, passeios, refeições e compras de brinquedos feitas por um antigo diretor da SEB, durante os dias que participou, em Foz, de evento religioso nacional. Os brinquedos foram destinados aos netos, que acompanharam os avós no périplo. Mas se concentraram, é claro, na parte lúdica do encontro. “viúva”, no caso representada pelo então presidente da Sociedade Evangélica Beneficente, SEB, Mauro Serafim, já assolada por dívidas, não bancou a conta inexplicável.

Não se sabe como se comportou sobre o assunto o sucessor de Serafim, agora representante da “viúva” que médicos e pastores estimam ter dívidas andando entre R$ 270 a 300 milhões. Vencidas, a maioria há muitos meses.

Manifesto dos médicos do Evangélico reforça posição de conselheiros

Nas edições de ontem e de terça-feira, a coluna deu destaque ao incisivo manifesto assinado por representantes de duas igrejas evangélicas no Conselho Deliberativo da Sociedade Evangélica Beneficente (SEB), a entidade mantenedora do Hospital Evangélico de Curitiba e da Faculdade Evangélica do Paraná (FEPAR).

Ontem, foi tornado público manifesto de médicos do Hospital Evangélico  que, em síntese reclama: pagamento de  atrasados; e adverte que os profissionais da Medicina que lá atuam pretendem entrar em greve, cancelando até atendimentos cirúrgicos, enquanto não tiver a categoria atendidas suas solicitações.

Substituição dos diretores

E mais pedem os médicos: querem a substituição de toda a Diretoria da SEB. Os médicos garantem que os débitos do Evangélico são de  R$ 270 mihões. Os pastores no manifesto de segunda-feira estimaram em R$ 300 milhões a dívidas em atraso da SEB. No manifesto dos pastores há duas referências  que podem ter detonado o estopim dos médicos: o documento questiona a situação de repasses aos médicos de pagamentos por serviços prestados ao SAS, além de pedir contas sobre descontos de INSS e FGTS.

Leia também:

Nota de falecimento – Selma Jerônimo