Motociclista de Peruíbe reúne mais de 100 mil pontos na CNH

Da Redação de A Tribuna

Um motociclista de Peruíbe que apresenta mais de 100 mil pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) prestou depoimento na Delegacia de Crimes de Trânsito (DCT), em São Paulo, na tarde desta quarta-feira. O motoqueiro, que tem 37 anos e trabalha como marceneiro na Cidade, acumula mais de 14 mil infrações gravíssimas e o caso está ajudando a polícia a identificar a atuação de uma quadrilha que age no Estado transferindo, irregularmente, pontos entre CNHs.

O que a Delegacia de Crimes de Trânsito (DCT) tenta agora é descobrir como esse condutor, que tem habilitação de categoria A, que permite dirigir motocicletas, conseguiu ter registradas multas de carros e caminhões em sua documentação.

No depoimento, o motociclista negou participação no esquema de fraude nas pontuações de CNH e alegou não saber de nada. Conforme o delegado titular da DCT, José Sampaio Lopes Filho, será pedida a quebra do sigilo bancário e telefônico do motociclista.

“Ele alega que não sabe de nada, não viu nada. Que teve a carteira suspensa por três meses, mas não se lembra quando”, contou o delegado, por telefone. “Mas a polícia acredita que é mentira dele”.

O motociclista teve a carteira suspensa um mês em 2007 e dois meses em 2009, porém, no depoimento, segundo Lopes Filho, o motoqueiro falou que foi só uma vez, por três meses. “Ele nega, fala que não sabe nem dirigir”.

Dentre as ações que serão tomadas agora está descobrir a senha que foi usada para a transferência dos pontos. “Vamos prosseguir com as investigações. Identificar qual senha foi usada, quem é o funcionário que apagou as multas e também ouvi-lo”, adiantou Lopes Filho.

O motociclista também negou que tenha recebido dinheiro para participar do esquema. “Vamos pedir a quebra do sigilo bancário e telefônico dele”, afirmou o delegado. “E tentar localizar e ouvir alguns desses motoristas cujos pontos foram jogados para o nome dele”.

Quadrilha

O caso do motoqueiro está ajudando a Polícia Civil a identificar a atuação de uma quadrilha que age no Estado transferindo, irregularmente, pontos entre CNHs.

A polícia pretende apurar como esse condutor do Município, que tem habilitação de categoria A, que permite dirigir motocicletas, conseguiu ter registradas multas de carros e caminhões em sua documentação. No total, o motociclista acumulou 14 mil infrações gravíssimas em sua carteira de habilitação.

A polícia chegou ao motoqueiro durante as investigações do caso de uma motorista de Pindamonhangaba, no interior do Estado, que tinha 85 mil pontos na carteira.

Despachantes, autoescolas e servidores público estão na mira da polícia. Em Pindamonhangaba, as investigações da DCT apontaram que parte dos pontos foi transferida pelos computadores da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) do município.

A quadrilha pode estar agindo em oito cidades do Interior. Apesar de Peruíbe ser o centro das atenções no litoral, por conta do motoqueiro, Lopes Filho não descarta investigações em outras cidades da região.

Leia também:

Nota de falecimento – Selma Jerônimo