Traficante acusado de matar três militares é preso em Realengo

Ele retornou à Favela MInha Deusa após a tomada da Rocinha pelas forças de segurança
Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia
Rafael Constâncio dos Santos e Everardo dos Santos Carvalho Júnior, vulgo Bem 10, apresentados na 33ª DP

Marcelo Victor, em O Dia Online

Policiais do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 14º BPM (Bangu) prenderam Maurício dos Santos, de 23 anos, o Birrinha, apontado como gerente do tráfico de drogas na Favela Minha Deusa, em Realengo, Zona Oeste, no fim da noite desta quarta-feira. Ele teria voltado à comunidade após deixar a Favela da Rocinha, em São Conrado, Zona Sul, com a tomada das forças de segurança. Segundo a PM, contra ele há cinco mandados de prisão, três por homicídios de militares. Dois homens também foram presos e um menor apreendido.

Os PMs faziam uma incursão na favela, por volta das 21h30, quando flagraram Everardo dos Santos Carvalho Júnior, o Bem 10, de 23 anos, Rafael Constâncio dos Santos, 27, e um menor de 15 anos com três radiotranmissores, 70 trouxinhas de maconha, 60 pedras de crack e 23 sacolés de cocaína, além de um caderno de anotações com a movimentação do tráfico.

Quando deixavam a comunidade com os presos, os policiais suspeitaram e abordaram dois homens em uma moto. Com Birrinha foram encontrados 109 pedras de crack e de trouxinha de maconha, conhecida como Desireé (venda casada das duas drogas) e quatro munições para fuzil AR-15. Ele estava desarmado e não reagiu. O dono do veículo foi liberado. O veículo e o proprietário estavam com a documentação regular.

Na 33ª DP (Realengo), central de flagrantes da região, os PMs descobriram que há cinco mandados de prisão contra Birrinha, três deles por homicídio, um por furto e outro por roubo de veículo, segundo o Serviço Reservado (P-2) do 14º BPM. O traficante, que nunca havia sido preso, é acusado de participação nas mortes de um bombeiro e do soldado da PM Sílvio Miranda Coutinho, e do desaparecimento do major do Exército Maurício Ribeiro Dainese. Ainda segundo a polícia, todos os crimes ocorreram no mês de agosto deste ano.

O soldado da PM foi morto em Campo Grande, Zona Oeste. Ele era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Andaraí, Zona Norte. O assassino usou a própria arma do soldado para cometer o crime. Já o major do Exército foi visto pela última vez na loja de conveniência de um posto de gasolina na Rua Piraquara, um dos acesso à Favela Minha Deusa. O oficial era lotado na 9ª Brigada de Infantaria Motorizada, também em Realengo.

Após os crimes, Birrinha teria se refugiado na Favela da Rocinha. A comunidade era controlada pela facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA), que era liderada por Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, preso em novembro, a mesma da Favela Minha Deusa.

Com a tomada da Rocinha pelas forças de segurança há 18 dias, Birrinha teria retornado à Minha Deusa. O bandido também é apontado pela PM como um dos responsáveis pela grande quantidade de roubos de veículos na Zona Oeste. No sábado, policiais do 14º BPM já haviam recuperado um Vectra branco que teria sido roubado por ele no Viaduto de Padre Miguel.

Ainda de acordo com a polícia, Bem 10 estava em liberade condicional há cinco dias, após cumprir pena por associação para o tráfico.

Leia também:

Cão salva menina de 12 anos ao lutar com cobra e acaba internado: ‘Herói’

Cachorro lutou com um cobra de aproximadamente 2 metros, segundo a família. Por G1 Santos …